A tecnologia e as ações diferenciadas na apresentação do talento profissional

Como utilizar todas as opções de ferramentas tecnológicas em benefício próprio?

Daniel Barbosa, Administradores.com,
iStock

A revolução tecnológica do século XXI resultou na globalização e acesso a recursos que anteriormente eram inalcançáveis por muitos profissionais, o que trouxe uma gama de possibilidades ao contribuir no networking pessoal, trazer novos modelos de capacitação, realizar cursos à distância e também permitir melhor acompanhamento das ações feitas por outros profissionais. As mudanças também ocorreram nos processos seletivos, onde a atração de talentos torna-se diferenciada e com mais foco em resultados de médio e longo prazos para as empresas. Mas como utilizar todas as opções em benefício próprio?

Nota-se que diversas empresas e consultorias optaram, nos últimos anos, por realizar entrevistas virtuais para reduzir custos e otimizar o recrutamento dos melhores candidatos sem aplicar um processo tradicional. O uso de ferramentas como o LinkedIn aumentou a fim de compreender a experiência de profissionais que não necessariamente se candidataram à uma vaga ou enviaram um currículo, mas que podem ser um futuro talento para aquela organização. Com este fácil acesso, é um grande diferencial que o indivíduo defina e estabeleça a sua marca no mercado e a exponha nas redes sociais, seja por experiência ou por ações, planejando o acompanhamento de possíveis contratantes. Manter o LinkedIn sempre atualizado e administrar os conteúdos lançados é fundamental para consolidar a própria imagem junto aos empregadores.

Recentes ferramentas como vídeos de curta duração, pequenas apresentações de cunho profissional e plataformas que possibilitam a exposição das atribuições de maneira diferenciada também costumam ser solicitadas pelo recrutador. Caso trabalhadas de forma independente pelo profissional serão grandes aliadas ao candidato em sua divulgação à potenciais empregadores, uma vez que levam a experiência para fora do papel por meio de competências intrínsecas, técnicas, de gerenciamento e comportamento.

Apesar das novas inclusões, o currículo permanece como um dos itens mais importantes e beneficia-se com os avanços da tecnologia e a diversidade de informações. Aplicar formatações diferenciadas com terminologias de mercado e textos que facilitem a compreensão das experiências é uma ação que colabora, e muito, com a apresentação e adesão do profissional às empresas. Apesar de não existir uma regra na elaboração do documento, vale ressaltar que os dados precisam ser coerentes à realidade e pertinentes ao que será dito na entrevista.

Ainda que os processos conduzidos de forma tradicional permaneçam em atividade, estas mudanças e inclusões notavelmente revolucionaram a procura e a captação de talentos. Se aplicadas corretamente, estas viabilizarão que a tecnologia trabalhe a favor de quem está em busca de novas colocações, novas oportunidades, novos projetos ou desenvolvimento profissional, contribuindo para que profissionais se destaquem no mercado de trabalho.

*Daniel Barbosa atua como Consultor de Transição de Carreira na Thomas Case & Associados, tem formação em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Metodista de São Paulo e é Graduando em Psicologia pela FMU.




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração