Coaching como ferramenta de desenvolvimento profissional

Um jogador de futebol ao treinar cobranças de faltas, a cada 10 tentativas conseguia fazer um gol. Era nesse gol marcado que ficava toda a sua atenção e daqui a pouco ele já estava marcando dois gols a cada 10 cobranças

João Luiz Cortez, www.administradores.com.br,
Não existe fracasso, apenas feedback. Este é um grande conceito. Richard Bandler(1), acompanhando atletas de alto desempenho, percebeu que a diferença entre os campeões e os outros era que os primeiros ao treinarem mantinham sua atenção nos acertos.

 

Um jogador de futebol ao treinar cobranças de faltas, a cada 10 tentativas conseguia fazer um gol. Era nesse gol marcado que ficava toda a sua atenção e daqui a pouco ele já estava marcando dois gols a cada 10 cobranças até chegar a índices de acerto muito elevados. Já os outros lamentavam-se pelos gols perdidos.

 

Quando recebemos nossos resultados (feedback) apenas como resultados e, principalmente, fonte de aprendizado e mudança tiramos um enorme peso dos nossos ombros e ficamos livres e leves para obter aquilo que queremos.

 

O aprender está no fazer; não existem pessoas sem recursos, apenas estados mentais sem recursos; ter uma escolha é melhor do que não ter nenhuma. Esses são apenas alguns dos diversos pressupostos do coaching.

 

E ter uma escolha não significa saber que ela existe, mas exercê-la. Assim, eu sei que tenho a possibilidade de fazer exercícios físicos, mas isto só será uma escolha, ou uma opção, para mim, se eu programo um horário do meu dia e, por exemplo, vou correr. Se, por outro lado, os dias passam, as semanas e meses também sem que eu tenha feito nada, mesmo sabendo que existe a opção do bom condicionamento físico, ela não é uma escolha para mim.

 

Apesar de existirem várias definições para coaching, talvez nenhuma consiga abranger tudo que o esta técnica pode representar. Basicamente, é um processo estruturado no qual um profissional especializado reúne-se com o cliente, com a finalidade de alcançar determinados objetivos.

 

O coaching ajuda a pessoa a operar no pico da sua capacidade, direcionando-a para o caminho desejado. Diferentemente do conceito de ensinar, a técnica é voltada a ajudar o cliente a aprender.

 

Ter um profissional especializado (coach) utilizando este processo (coaching) aumenta enormemente as chances do cliente alcançar suas metas. Quem, ao longo da sua vida, não desejou ter um apoio, alguém que o ajudasse a perceber aspectos de uma situação que sozinho não conseguia perceber? Que contribuísse para, a partir destas percepções, realizasse ações alinhadas? Que colaborasse para que "o freio de mão fosse solto" e que cada acelerada representasse um forte movimento em direção a um futuro desejado?

 

Afinal, todo comportamento tem um propósito, e nossas ações não acontecem ao acaso, pois sempre estamos tentando conseguir algo, embora possamos não estar conscientes do que seja. Coaching não é psicologia nem terapia.

 

Em verdade, o coaching – individual ou em grupo – é uma parceria sinérgica e imparcial entre o coach (profissional especializado) e coachee (cliente), no qual o primeiro tem as respostas e o segundo, as perguntas. Esses questionamentos fazem com que o cliente reflita, passando a perceber novas opções. E ocoaching vai muito além de perguntas. Várias outras técnicas são utilizadas pelo coach.

 

O coaching ajuda o desenvolvimento do indivíduo, e por conta disso é utilizado nas mais diferentes áreas do conhecimento. Seja para emagrecer, parar de fumar, resolver questões financeiras, empresariais ou mesmo com a família.

 

Para se ter uma ideia da importância que o coaching ganhou no mercado corporativo, basta dizer que ele vem ajudando diversos executivos a vencer as dificuldades próprias da profissão, incluindo o relacionamento com os colegas, a qualidade das decisões tomadas e, consequentemente, os resultados obtidos. Empresas que investem em coaching têm retorno de até 500%.

 

Hoje, o coaching é um mercado que movimenta bilhões. Pesquisas mostram que 90% das empresas europeias e americanas utilizam coaching, e as empresas listadas na Fortune 500 que utilizam coaching, em sua maioria (95%) tiveram um aumento na utilização do coaching nos últimos anos.

 

Coaching bem aplicado gera um aumento do lucro líquido das empresas ou divisões que o utilizaram. Aproximadamente 100 mil coaches atuam no mundo atualmente com várias organizações de treinamentos de coaching.

 

Já o mentoring, conceito que muitos podem confundir com o coaching, é uma atividade desenvolvida por um profissional com grande experiência em uma determinada área, que dá conselhos e orientação. O mentor representa a figura de um modelo para o seu cliente.

 

João Luiz Cortez - é sócio da Iluminatta Business (www.iluminattabusiness.com.br) e especialista em cursos de Certificação em Coaching, Formação em Programação Neurolinguística, Vendas, Negociação, Gerência de Vendas e Liderança. É também trainer da International Coaching Community (ICC), da Neurolinguistic Programming University (NLPU), Califórnia; e membro da NLP Global Training and Consulting Community.


(1) Richard Bandler juntamente com John Grinder foi o criador da PNL - Programação Neurolinguística. 



Tags: coaching desenvolvimento ferramenta profissão

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração