Como montar um plano de estudos para aprender um novo idioma

Especialista dá dicas de como desenvolver métodos eficazes para alcançar a fluência em uma língua estrangeira

Redação, Administradores.com,
iStock

O desejo de aprender sobre novas culturas, alavancar a carreira, estudar fora ou viajar motiva inúmeras pessoas a se dedicarem ao estudo de um segundo idioma. Mas assimilar as estruturas de uma nova língua é uma atividade que exige empenho, prática e disciplina. Buscar uma escola especializada é o ideal , mas além disso é necessário que o estudante crie hábitos e treinamentos que o ajudem a se familiarizar com o vocabulário, pronúncia e expressões do novo idioma.

Para a coordenadora dos cursos de inglês do Centro Europeu de Curitiba, Thais Scharfenberg, uma boa dica é apostar na rotina, “É importante que o aluno elabore práticas de memorização e absorção de conteúdo personalizadas e as insira no dia a dia”, afirma. Entretanto a especialista destaca que priorizar o estudo diário não significa sobrecarga, “Um erro muito comum é planejar uma jornada de estudos muito longa e repetitiva, o que acaba resultando em estresse e desmotivação. O ideal é desenhar um plano após uma análise do tempo, horários e recursos disponíveis”, detalha.

Segundo a especialista, estabelecer objetivos a longo prazo também é muito importante, assim como fragmentar o aprendizado ao longo da semana. “Criar objetivos, quinzenais, mensais e trimestrais pode trazer resultados bastante positivos. Lembrando que tentar passar um dia inteiro estudando pode não ser tão eficiente quanto reservar uma ou duas horas específicas por dia”, esclarece.

Outro ponto relevante apontado pela profissional é priorizar as atividades de leitura e escuta, como assistir filmes e séries e ler textos e notícias. “É claro que as prioridades dependem muito dos objetivos de cada um, mas de maneira geral, dedicar 70% do tempo a exercícios desse teor produz uma internalização e familiaridade natural com a língua”, orienta Thais. Praticar exercícios que aprimorem a escrita e oralidade também podem fazer a diferença, “Assim como nos exercícios em uma academia, aprender uma língua estrangeira exige repetições periódicas para que as reproduções sejam lapidadas. Uma dica legal é copiar textos a mão e depois ler o trecho em voz alta várias vezes. Além disso revisitar regulamente informações já aprendidas pode ajudar bastante na absorção dos conteúdos” completa Thais Scharfenberg.




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração