Jovem é demitida após publicar carta aberta sobre sua pobreza ao CEO da empresa

O diretor da empresa afirmou que a demissão não tem ligação com a carta

Redação, Administradores.com,
Reprodução/Medium

Atolada em dívidas e lutando contra o que parece ser um estado de estresse e tristeza, Talia Jane resolveu publicar no Medium uma carta aberta ao CEO da empresa em que trabalhava. A ex-funcionária do setor de atendimento ao cliente da Eat24, subsidiária da multinacional Yelp, não se limitou em compartilhar o sofrimento que passava por causa do baixo salário que ela afirma que ganhava.

Segundo a carta, Jane não tinha dinheiro para fazer compras de alimentos. Ela aproveitava o pão que era disponibilizado na empresa porque não tinha como comprar esse alimento para ter em casa. Em toda a extensão do texto, Jane aponta as ironias de trabalhar em uma empresa de alimentos e não ter recursos para pagar por eles. E reforça o ponto de que seu salário não dava conta do aluguel e outras despesas.

A carta fala sobre as difíceis condições de vida em um local de alto custo e salário, e faz exigências à Yelp para tomar providências quanto às dificuldades financeiras pelas quais passam seus funcionários. Leia o texto completo aqui (em inglês).

O desabafo, entitulado "Uma carta aberta ao meu CEO", foi direcionado a Jeremy Stoppleman, diretor executivo da Yelp, sediada em são Francisco, Estados Unidos. Algumas horas após a publicação da carta no Medium, Talia Jane foi demitida. Ela alega que haja uma ligação direta entre os dois eventos, pois o texto violaria os termos de conduta da empresa.

Com a repercussão do caso, Stoppleman, que é diretor executivo da Yelp, comentou a situação no Twitter, afirmando que há dois lados para qualquer história. No Twitter, ele fez questão de afirmar que havia lido a carta e concordava que o custo de vida na cidade de São Francisco era mesmo muito alto e que ele mesmo estava trabalhando formas de mudar isso. Ele continuou dizendo que nada teve a ver com a demissão de Jane e que a decisão da empresa não foi ocasionada pela carta que ela escreveu para ele.

A ex-funcionária compartilhou links no Medium para suas contas no Pay Pal e outros sites, esperando receber alguma ajuda financeira, já que agora está desempregada.

O que você acha do caso? A demissão foi justa? Talia Jane deveria mesmo ter escrito a carta? Deixa sua opinião nos comentários.




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração