Por falta de paciência, experiência é o item menos preenchido em currículos

Atitude diz respeito aos currículos on-line e pode fazer com que profissional não apareça em buscas de empresas

Infomoney,

A falta de paciência na hora de preencher currículos on-line tem feito muitos candidatos não preencherem adequadamente um dois itens mais importantes do documento: o espaço destinado à experiência.

De acordo com o presidente da Curriculum e especialista em recolocação profissional, Marcelo Abrileri, geralmente, este tipo de currículo possui muitos itens a seren preenchidos, o que faz com que as pessoas coloquem apenas uma ou duas experiências recentes e partam para outro quesito, pensando em preencher o cadastro com mais cuidado em outro dia.

Porém, alerta, tal atitude diminui as chances dos candidatos, já que, ao fazer uma busca, a empresa pode não encontrar o que deseja, sem contar o fato de que muita gente não cumpre a promessa de voltar e completar as informações depois.

O problema da experiência

Além da falta de preenchimento adequado, o item experiência protagoniza um dos problemas mais sérios encontrados nos currículos, o desalinho com o objetivo do candidato.

Abrileri explica que, muitas vezes, as pessoas colocam apenas as experiências mais recentes e dispensam experiências anteriores que poderiam ser mais relevantes. Além disso, há profissionais que, por vergonha ou um julgamento errado, deixam de colocar experiências que consideram vergonhosas, como um trabalho na empresa da família ou a atuação em profissões menos qualificadas.

Contudo, diz Abrileri, tudo que é colocado ou subtraído do currículo deve ter relação com o cargo pleiteado. Em outras palavras, a pessoa deve avaliar se a experiência é relevante para o cargo almejado antes de tomar qualquer decisão.

“Desinformação e a maneira errada de encarar uma experiência anterior fazem com que as pessoas selecionem de forma equivocada o que é colocado no currículo (…) Esses dados deixados de lado podem ajudar a fazer com que a pessoa apareça em uma busca”, diz Abrileri.

Outros erros

De modo geral, aconselha Abrileri, as pessoas devem ter a máxima atenção ao preencher currículos on-line. Erros de português e prolixidade estão entre os principais problemas encontrados nos documentos, que fazem com que os recrutadores desistam de entrevistar um profissional.

Além disso, as pessoas não devem deixar de preencher o objetivo profissional, cursos e idiomas, bem como só colocar observações adicionais, se estas realmente forem importantes. “Cerca de 85% dos candidatos que preenchem o campo destinado às observações adicionais não colocam informações relevantes”, diz o especialista.

Neste sentido, exemplifica, o fato de um estudante cursar a faculdade em um determinado período e só estar disponível para o trabalho no período da tarde, por exemplo, é um exemplo do que deve ser colocado em tal campo.



Tags: carreira currículos experiência seleção

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração