Mais comentada

Antecipar compras: como aproveitar esse "novo" hábito de consumo

Ter pequenos "estoques" de alguns produtos é cada vez mais comum, principalmente aqueles de uso pessoal, rotineiro e que não são perecíveis, como shampoo e desodorante

Fabio Cerneiro, Administradores.com,
iStock

Dizem que a história humana é cíclica e diversos costumes retornam em novas gerações, porém com outras roupagens e motivações. Na moda, por exemplo, é comum ouvirmos que uma peça voltou com tudo. Quando falamos em hábitos de consumo, essas tendências também podem ser observadas. E, assim como a porchete, não podemos negar que o hábito de antecipar as compras "voltou com tudo".

Embora hoje tenhamos a inflação relativamente controlada e uma geração que nunca precisou correr ao mercado antes dos preços subirem, cada vez mais pessoas têm escolhido antecipar suas necessidades e comprar produtos que só precisarão depois de um bom tempo. Para vocês terem noção do quão forte tem sido essa tendência, de acordo com pesquisa do Reclame Aqui, 34% dos entrevistados usaram a Black Friday para antecipar as compras de Natal.

Diferente da pochete, que não conseguimos ver voltando, fomos capazes de mapear alguns pontos que motivam as pessoas a adiantarem suas compras. Se há algo que não segue esse princípio cíclico da história humana é a necessidade de economizar que todo brasileiro possui. E esse é um dos motivos mais fortes para alguém antecipar as compras: aproveitar preços baixos.

Ao trabalhar esse tipo de consumo por oportunidade, o lojista ganha a vantagem de girar seu estoque de acordo com seu interesse. Ações como esta podem ajudar o e-commerce a manter uma renovação saudável dos seus estoques, além de atrair novos compradores

Ter pequenos "estoques" de alguns produtos é cada vez mais comum, principalmente aqueles de uso pessoal, rotineiro e que não são perecíveis, como shampoo e desodorante. Por serem compras recorrentes, muitos consumidores ficam atentos a uma boa promoção para comprar muitos produtos de uma só vez. O fato de possuírem um ticket médio menor facilita bastante essa movimentação.

Para aproveitar esse comportamento, nossa dica para o lojista é trabalhar bundles (kits) com uma quantidade razoável de unidades de um mesmo produto, dando um desconto interessante para o comprador.

Além disso, é impressionante como as palavras "frete grátis" possuem um efeito quase hipnotizante nos consumidores, que, boa parte das vezes, estão dispostos a comprar uma maior quantidade de produtos para eliminar os custos com o envio.

Uma boa estratégia é trabalhar o frete grátis para compras com um ticket mínimo. Isso incentiva o consumidor a comprar mais produtos do que o planejado inicialmente. Um exemplo de quem usa esse artifício com primazia é a Amazon. Quem nunca acessou o site para comprar 1 livro e acabou levando outros 3 para não ter que gastar R$ 10 ou R$ 20 de frete?

Datas como Natal, Dia dos Pais e Dia das Mães movimentam os e-commerces, principalmente com as compras de presentes. O problema é que a elevada demanda em um curto espaço de tempo pode sobrecarregar a logística de lojas que não estiverem preparadas, levando a algumas compras atrasadas. O que gerará uma grande frustração para quem comprou com o intuito de presentear.

Uma estratégia interessante para lojistas menores é "forçar" a antecipação de compras antes dessas datas para aliviar um pouco a demanda e conseguir entregar todas as compras no prazo, satisfazendo seus clientes.

Com o Natal chegando, todo esse movimento de antecipação das compras deverá ser bastante relevante. Mas agora que você leu esse artigo, diferente da volta da pochetes, não será pego de surpresa.

Fabio CerneiroFundador da Promobit, plataforma de social commerce que permite com que consumidores compartilhem ofertas, descontos e cupons.