Multicanalidade, segurança, simplicidade: esses são os desejos do consumidor para 2018

Neste ano, o Reino Unido teve seu primeiro supermercado a permitir que seus clientes pagassem a conta por meio da impressão digital

Gastão Mattos, Administradores.com,

O consumidor mudou e o que mais lhe importa é a conveniência na hora de comprar. A atitude omnichannel – a compra em múltiplos canais – ganha força e deve se consolidar em 2018. Se o consumidor já mudou, está mais do que na hora de o varejo oferecer a ele as melhores e mais seguras opções para que possa comprar com segurança e de forma simplificada no canal que ele desejar.

Começar uma pesquisa na internet e finalizar a compra na loja física ou vice-versa já é uma realidade. A compra também já pode ser realizada via aplicativos, redes sociais ou até mesmo em uma troca de e-mails. O consumidor transita pelo mundo físico e digital e quer ser atendido bem aonde está, sem ter a necessidade de ser redirecionado para outro local para pagar.

No Brasil, uma loja-conceito foi inaugurada com o sugestivo nome de Omnistore em um shopping de São Paulo. Nela, tudo é monitorado: se entrou um homem ou uma mulher, faixa etária, quanto tempo ficou observando qual parte da loja e por aí vai. Vitrines inteligentes, mapa de calor, monitoramento total e ainda a possibilidade de pagar via celular sem se dirigir ao caixa e, se preferir, receber o produto em casa.

Em 2017, o Reino Unido teve seu primeiro supermercado a permitir que seus clientes pagassem a conta por meio da impressão digital. A invenção foi denominada Fingopplay e funciona através de um sistema infravermelho que escaneia as veias dos dedos e vincula o mapa biométrico às contas bancárias de cada cliente. A rede americana de fast-food KFC lançou em setembro, na China, um sistema de pagamento via reconhecimento facial. Os chineses, aliás, praticamente abandonaram o dinheiro em espécie e passaram a fazer pagamentos via seus celulares. Lá, qualquer loja está preparada para cobrar assim.

Segundo artigo da revista "Forbes", cerca de 40% dos consumidores na China utilizam novos métodos de pagamento para suas compras, fundamentalmente por meio de duas plataformas, o Alipay e o Wechat. E de acordo com o relatório "Economia da Informação 2017", divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) na China, o volume de transações via mobile payment deve alcançar 6,3 trilhões de dólares até 2020, segundo projeções do IResearch Global. Aqui no Brasil, também vimos o crescimento do mobile payment e das carteiras digitais, o que deve se consolidar em 2018.

Resumindo algumas das novidades anunciadas no ano, vale destacarmos o Braspag Omnichannel, plataforma de pagamento na qual os lojistas multicanais poderão visualizar e gerenciar em um único lugar todas as informações de pagamento da loja física e virtual.

Para o consumidor, traz a possibilidade de comprar em casa e retirar na loja, autenticando a compra apenas no espaço físico, diminuindo a chance de fraudes. Outro exemplo é fazer uma reserva de hotel, gerar a pré-autorização no cartão e só finalizar de fato a transação ao dar o check in.

Para dar mais agilidade aos empreendedores no gerenciamento do seu negócio, lançamos o Braspag App, de forma piloto, mas que estará disponível para o próximo ano. Destinado a gestores e coordenadores de e-commerce, operações, finanças e produtos, bem como executivos de contas que precisam de um rápido overview da operação do seu cliente, o app funcionará como dashboard simplificado da operação, trazendo indicadores-chave de desempenho das lojas.

Visando atender a questão da segurança, uma grande preocupação tanto de lojistas quanto dos consumidores, apresentamos ao mercado o Silent Order Post e o Silent Order Token – soluções de pagamento que atendem a lojistas com diferentes níveis de PCI - PCI Security Standards Council - conjunto de regras que protegem estabelecimentos e consumidores de fraudes de cartão de crédito.

Em 2018, lançaremos o botão conectado, que traz o conceito de IOT, com duas modalidades de uso: a primeira, associada a um botão físico, que poderá ser instalado no local desejado pelo consumidor. Ele poderá programá-lo para comprar um determinado produto, deixando já configurada a quantidade por meio de um pré-cadastro, em que também serão fornecidos dados pessoais, dados do cartão de crédito e endereço de entrega – tudo armazenado de maneira criptografada e segura. Ao apertar o botão, o pedido é gerado automaticamente e entregue no endereço cadastrado. Na segunda modalidade, o fluxo é semelhante, mas sem a necessidade do botão físico. Ele é substituído por um aplicativo para smartphone, que também aciona compras pré-cadastradas por meio de apenas um clique. Para confirmar o pedido ao cliente, a loja poderá enviar um e-mail, como já fazem hoje os principais varejistas online do Brasil.

Internet das Coisas, Inteligência Artificial, mobile payment, carteira digitais, pagamento via link, novas plataformas de pagamento. O mercado de meios de pagamento deve acelerar ainda mais em 2018. Para o próximo ano, as tecnologias desenvolvidas serão cada vez mais aperfeiçoadas, bem como estudaremos o desenvolvimento e lançamento de novas para darmos continuidade à nossa nova missão que é simplificar o ato de comprar.

Gastão Mattos —  CEO da Braspag, empresa do grupo Cielo