Nove práticas para mídias pagas na Black Friday

Essa é a principal oportunidade do ano e merece toda atenção

Sérgio Hneda, Administradores.com,
iStock

Em sua nona edição, a data mais esperada do ano para o varejo chega com ainda mais força que os anos anteriores. Segundo a eBit, em 2017, a Black Friday gerou R$ 2,1 bilhões de faturamento para o setor de e-commerce. Quando comparamos com 2016, temos um crescimento de 10,3%. 

Na outra ponta, temos um cenário desafiador para os e-lojistas. Isso porque, segundo o IBGE, os campeões de vendas no ambiente online, entre janeiro e julho de 2018, foram Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (4,8%); artigos de uso pessoal e doméstico (7,4%); e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (5,6%). Enquanto que os grandes protagonistas da época da BK, ficaram para trás, como Combustíveis e lubrificantes (-6,5%); Tecidos, vestuário e calçados (-4,4%); Móveis e eletrodomésticos (-0,5%); Livros, jornais, revistas e papelaria (-8,9%); e Equipamentos e material de escritório, informática e comunicação (-1,0 %). 

Outro dado relevante pode ser encontrado em um levantamento realizado pela OLX, no primeiro semestre desse ano. Segundo a pesquisa, 52% dos entrevistados pretendem realizar alguma compra planejada e 48% esperam realizar compras de oportunidade. Ou seja, mesmo com instabilidade em nosso cenário econômico, financeiro e político, ainda há uma grande janela de oportunidades que podem ajudar a alavancar as vendas do varejo online. 

Para isso, é importante seguir as melhores práticas durante a Black Friday. Por movimentar todo o mercado, ocasionando alta concorrência, conquistar um espaço acaba saindo mais caro. O CPC (custo por cliente) e CPM (custo por mil impressões) apresentam crescimento acentuados nesse período. Portanto, um bom planejamento das campanhas Google Ads e Facebook Ads, farão a diferença. Confira algumas dicas: 

1. Garanta que as tags de Analytics, conversão e remarketing estejam implementadas corretamente; 

2. Separe as melhores promoções e foque nelas para chamar atenção da sua audiência;

3. Crie uma identidade visual e aplique em todas os layouts de mídia: anúncios gráficos e de textos; 

4. Revise suas listas de remarketing. Aqui vale impactar também um público mais antigo do site; 

5. Compre palavras-chave que envolvam seu produto + black friday (geladeira black friday, passagens aéreas black friday); 

6. Revise sua campanha do Google Shopping e certifique-se que todos os produtos estão qualificados para aparecer;

7. Foque em campanhas de remarketing com comunicação de Black Friday;

8. Trabalhe uma campanha de Leads Ads no Facebook para aquisição de base. Você pode usar uma isca onde quem se cadastrar terá acesso antecipado as ofertas de Black Friday;

9. Desenhe um planejamento de budget e estratégias. Considere investir mais na semana da Black Friday. Lembre-se que os leilões ficam mais competitivos e por isso, você precisa aumentar seus lances. Segundo o Google, clientes pequenos e médios, investem em média, 30% a mais no mês de novembro.

Por fim, vale destacar que essa é a principal oportunidade do ano e merece toda atenção. Portanto, não poupe esforços em atuar da melhor maneira possível, agindo com assertividade e contando com o know-how de profissionais especializados no tema. 

Sérgio Hneda — Planning Specialist for New Business na agência GhFly, uma das principais agências digitais do Brasil, líder em performance e gestão de campanhas inovadoras com foco em resultado.