10 dicas sobre educação financeira infantil

O momento que as crianças começam a contar é o ideal para iniciar a educação financeira de forma saudável

Redação, Administradores.com,
iStock

Especialistas em educação orientam que o aprendizado sobre o valor do dinheiro deve começar cedo. Porém, sabemos que nem sempre é uma tarefa fácil falar sobre isso com crianças, já que estas muitas vezes ainda não sabem o valor das coisas e nem o poder que ele tem. Por isso, torna-se até comum ouvir frases como “é 'só' pegar dinheiro no banco” ou “é 'só' pagar com o cartão”, pelos simples fato de que eles, os pequenos, não sabem de onde vem o dinheiro e o funcionamento do sistema econômico.

Com isso, nota-se a necessidade de ensinar os futuros adultos sobre a utilização desse bem. Sejam essas orientações práticas ou teóricas, o importante é treiná-los, para que assim eles possam se tornar adultos com uma vida financeira saudável.

Leonardo Lourenço, superintendente de Marketing da Mongeral Aegon, deu 10 dicas de como abordar este tema.

1 – Se a criança já sabe contar, é hora de começar a falar de educação financeira

O momento que elas começam a contar é o ideal para iniciar a educação financeira.

Incialmente você deve mostrar algumas moedas e ensinar o valor de cada uma. Faça pilhas, agrupando e somando o dinheiro na prática.

2 – Dar mesada não é uma forma de cobrar por boas notas

A partir dos sete anos, as crianças já entendem o significado de uma mesada e já podem começar a gerenciar quantias de dinheiro. No entanto, não é recomendável associar a mesada ao estudo, pois ela não deve ser um prêmio por boas notas. Afinal, estudar é responsabilidade da criança e ela deve entender isto.

3 – Ensine seu filho a poupar e como gastar melhor o dinheiro que tem

Ensinar seu filho sobre reserva financeira para que assim ele possa alcançar objetivos de curto, médio e longo prazo. Você pode, por exemplo, adesivar quatro porquinhos de cerâmica com as palavras: investimento, doação, poupança e gastos. 'Gastos' são objetivos de curto prazo, o que ele quer no momento, um lanche na escola por exemplo.

'Poupança' são para os objetivos de médio prazo, ou seja, algo que ele quer realizar em seis meses, como a compra de um brinquedo. Já a tarja ‘investimentos’ está relacionada ao longo prazo. Uma reserva financeira para a vida dele. Como poupar para um carro ou, até, para a sua aposentadoria. E, o último porquinho é o da 'doação'. É importante que ele reflita sobre dar algo em troca sobre o que recebe.

4 – Explique que o dinheiro deve ser separado de acordo com os objetivos traçados pela criança

Uma das melhores dicas de educação financeira tanto para adultos como para crianças é se pague primeiro. Isso quer dizer: separe do seu orçamento a parcela destinada ao que você deseja guardar.

A reserva financeira deve ser encarada como uma despesa fixa, não como o que sobra do orçamento. Ensine isto para o seu filho para que ele possa atingir seus objetivos de forma mais rápida.

5 –  Lembre seu filho que algumas vezes ele vai ter que esperar e juntar dinheiro para comprar o que deseja

Nem sempre o dinheiro que ganhamos no mês é suficiente para realizar a compra de algo que desejamos. Por isso, crianças devem saber desde sempre que juntar dinheiro é uma forma de conseguir o que ela quer, mas para isto é necessário tempo e paciência.

6 – Explique a diferença entre precisar e querer

Existem produtos necessários como os de alimentação, limpeza e vestuário. Estas coisas são o que ele precisa. Já a propaganda infantil desperta na criança o desejo de ter e não a necessidade. Explique para ele esta diferença "simples".

7 – Explique para a criança como funciona o cartão de crédito

Explique o conceito de crédito e alerte sobre os perigos do cartão. Ensine que não é somente passar o produto e não pagar depois. Fale também sobre os juros e sobre a necessidade de se programar para que o pagamento do cartão ocupe uma fatia do seu orçamento, não ele todo.

8 – Explique como é o seu trabalho e por que você é pago por ele

O salário é composto por vários fatores, mas os dois principais são tempo e esforço. É o valor atribuído ao seu trabalho (esforço) e conhecimento vezes o tempo trabalhado.

Uma forma de explicar para o seu filho é dizer quais são suas atividades diárias e o valor da sua hora trabalhada. Assim ele vai entender que é uma troca e que o dinheiro vem deste resultado.

9 –  Inclua a criança em pequenas decisões financeiras no supermercado como qual fruta comprar

Educação financeira é baseada em escolhas. Muitas vezes para conseguirmos a quantia que desejamos temos que abrir mão de alguma coisa. Ele pode aprender isso em um supermercado. Separe um valor e diga que ele tem que escolher um produto com o que tem na mão.

10 – Ensine que o dinheiro é só uma ferramenta para chegar aonde se quer

Ensine-o que dinheiro não é tudo, mas sim uma ferramenta que pode proporcionar um bem ou uma experiência. Mas, no entanto, existem valores mais importantes como viver momentos em família, educação, ética e cidadania.