Mais comentada

Como pequenas mudanças de hábito ajudam nas finanças pessoais

Você não precisa ganhar na loteria ou ter uma vida reclusa para ter equilíbrio financeiro. Pequenos hábitos fazem toda a diferença

Redação, Administradores.com,
iStock

Em tempos de crise econômica, a preocupação com as finanças pessoais deve ser ainda maior. E administrar bem as finanças é fundamental para manter as contas em dia.

Uma pergunta que sempre devemos nos fazer é: se eu perdesse o emprego hoje, quanto tempo conseguiria manter as minhas despesas? “Se você chegou à conclusão que não passaria ao menos seis meses tranquilo até encontrar outro emprego, é hora de reorganizar a sua vida financeira”, afirma Diogo Martins Gonçalves Morais, professor especialista em educação financeira na Faculdade de Tecnologia Termomecanica e autor do livro “Educação Financeira para o Ensino Médio” do Colégio Termomecanica, instituições gratuitas mantidas pela Fundação Salvador Arena.

Você não precisa ganhar na loteria ou ter uma vida reclusa para ter equilíbrio financeiro. A formação de pequenos hábitos que passam despercebidos no nosso dia a dia podem transformar as nossas finanças. Veja as dicas que o professor Diogo Morais tem para quem deseja iniciar 2016 com o pé direito.

O primeiro passo é ter consciência de como o seu dinheiro é gasto. Anote diariamente todos os seus gastos em um período de três meses. Existem vários aplicativos para smartphones que podem apresentar uma síntese dos gastos de maneira prática e didática. O velho caderninho de anotações também pode ser útil.

Depois é hora de definir metas para a diminuição gradativa das despesas. Lembre-se que os pequenos passos rumo ao objetivo são sempre mais seguros. Qualquer atitude precipitada poderá lhe trazer frustrações e desgaste de energia. Liste todas as dívidas e observe a taxa de juros definida para cada uma delas. Ordene-as a começar pela dívida com a maior taxa.

Reúna a família. Envolva-os nas economias domésticas como redução do consumo de água e energia elétrica. Não se esqueça que a energia elétrica é um dos itens que mais ficou caro em 2015. No planejamento prévio das compras de supermercado, fique atento a alta dos preços e substitua produtos sempre que possível.

Discuta abertamente como programar atividades de lazer. Em alguns casos, a pipoca e o refrigerante do cinema (o famoso combo) são mais caros que o próprio ingresso para ver o filme. Não tenha receio e nem vergonha de solicitar descontos e buscar as melhores opções de compras. Economizar é hábito comum de todas as pessoas de sucesso e devemos ensinar isso aos nossos filhos. Ao invés de dizer não aos filhos, aproveite a oportunidade para praticarem juntos um plano de poupança para atender ao pedido deles. A educação financeira deve ser praticada o mais cedo possível.

Proteja seu dinheiro da inflação. Se estiver livre de dívidas, não se esqueça que a inflação promete se manter em alta em 2016. Embora a incerteza política faça com que qualquer previsão seja frágil, tudo indica que investir em títulos do tesouro pós-fixado – títulos emitidos pelo governo - ou Certificado de Depósito Bancário (CDBs) – título privado emitido pelos bancos -, que ofereçam rentabilidade de no mínimo 100% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), sejam as melhores opções para 2016. Faça um bom planejamento, de acordo com os seus objetivos e o tempo que está disposto a esperar para ter o retorno.

 




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração