Franquias

5 passos para checar se o negócio está preparado para se tornar uma franquia de sucesso

A partir do momento em que um empresário decide transformar seu negócio em uma franquia, é preciso ter em mente a necessidade de realizar um estudo prévio de sua situação, de maneira estratégica

Elaine Bezerra, Administradores.com,
iStock

Em ambientes empresariais, há uma crescente demanda das organizações pela incorporação de linhas estratégicas que permitam responder às suas mudanças internas e externas. Ultrapassar os concorrentes e obter retorno do capital que está sendo investido solicita que existam estratégias consistentes com os objetivos da empresa e que possam ser agressivas e maduras o suficiente para que seja possível identificar oportunidades de negócios de maneira antecipada.

A franquia é um formato de negócio que visa um estímulo ao crescimento organizacional dentro de países industrializados. Pode ser entendida como um sistema de distribuição de produtos, serviços e/ou tecnologias, com base em um relacionamento de colaboração entre empresas jurídica e financeiramente distintas e independentes. Isso, pois, o franqueador e suas franquias são individualizados e conseguem obter crescimento com custos baixos de operação e expansão.

A grande questão é que a partir do momento em que um empresário decide transformar seu negócio em uma franquia, é preciso ter em mente a necessidade de realizar um estudo prévio de sua situação, de maneira estratégica. A decisão para expandir sua marca passa por diversos desafios e através de estudos foi possível mapear os principais deles.

Os cinco passos a seguir são capazes de demonstrar que, se atendidos, pode-se certificar se a marca é forte e o negócio pode ser replicado no formato de franquias.

Passo 1: As Barreiras de Entrada

As barreiras de entrada nada mais são do que um conjunto de reações que o empreendedor pode esperar ao ingressar em um novo negócio. É fundamental que o negócio esteja vinculado aos fatores de entrada no mercado e que sejam capazes de superar as principais barreiras, sejam elas:

Financeiras: Esta barreira é considerada uma das mais críticas já que os custos iniciais de investimento e operação são elevados. Ter uma estrutura financeira para arcar com o projeto, sendo hábil para relacionar as bases econômicas com o possível lucro ou prejuízo operacional a fim de se decidir por investir ou não no negócio.
Técnicas: Fator fundamental para dar prosseguimento ao negócio já que bens e serviços produzidos necessitam de um elevado conhecimento e muitas vezes a aplicação de tecnologias, padronização e aprimoramento contínuo;

Legais: Para o sucesso do negócio, este precisa estar alinhado a todos os aspectos legais brasileiros e possuem o desafio de passar pela fiscalização governamental.
Ao tomar uma decisão frente a investir em um negócio ou considerar os riscos envolvidos é crucial conhecer esses fatores e saber como responder a eles. Expandir através de franquias é um desafio interessante a se considerar. Há também o ponto em que, geralmente, barreiras de entrada mais elevadas oferecem mais condições de sucesso para aqueles que estão preparados para vencê-las. O fato é que esses mercados não são, definitivamente, feitos para amadores ou empreendedores aventureiros.

Passo 2: Atratividade do produto

É inquestionável o fato de que um produto necessita ser algo requisitado por seu cliente, tenha um diferencial competitivo dentro de seu mercado de atuação, atenda às necessidades de seu público-alvo com qualidade, possua um preço adequado e a devida proteção dos serviços oferecidos.

Passo 3: Comunicação satisfatória

Todo o processo de comunicação dentro do negócio só é satisfatório se atender aos seguintes requisitos:

- Conhecer seu objetivo;
- Saber o que quer comunicar;
- Entender a relevância da informação a ser passada;
- Fazer uso de técnicas e métodos para a comunicação mais eficaz;
- Avaliar o momento e o impacto da mensagem.

Através de uma metodologia de comunicação adequada entre os membros de uma organização possibilita materializar e multiplicar as boas práticas de gestão da comunicação em um futuro relacionamento franqueador e franqueado, sendo assim possível focar em resultados e soluções operacionais sempre com um senso de cooperação mútua.

Passo 4: Uma Marca forte

A marca preconiza a capacidade de distinguir um produto ou serviço entre outros com características iguais ou similares. As funções da marca são:

Descritiva: com as marcas é possível singularizar e identificar bens e serviços que circulam no mercado dando certa identidade aos produtos;

Mercadológica: segmenta o mercado em alguns casos e em outros contribui para discriminar os preços de acordo com o nível de posicionamento da marca;

Homogeneidade: permite que os consumidores tenham a certeza de que o produto adquirido de uma marca determinada possua as condições de qualidade idênticas qualquer que seja o ponto onde se comercializa;

Garantia de qualidade: estas condições que são sinalizadas dão uma garantia de qualidade no caso de serem encontradas falhas em sua elaboração;

Indicadora de origem: pela marca é possível que o usuário identifique a origem do produto.

Estas características permitem de forma intangível que a marca agregue valor a uma empresa, dando a ela ferramentas de competitividade, incrementando o valor de seus ativos e facilitando as transações comerciais. O direito da titularidade da marca se encontra estabelecido e legalmente autorizado para a sua exploração conforme as características assinaladas em seu registro com exclusividade e tendo o direito de vender, transferir ou ceder as dispensas que derivam da marca de forma protegida.

Passo 5: Conhecimento dos Riscos e geração de ações de contingência

O risco inerente da operação, que está relacionado à:

Rentabilidade: É medida através da comparação da expectativa de ganho prevista;

Ao sistema de contratos: Estes contratos se referem à maneira pela qual é utilizada a marca, através da imagem e dos direitos de comercialização;

Estudos prévios: Uma pesquisa aprofundada a respeito do fluxo de caixa e dos comprometimentos das partes envolvidas com a marca.

Logo, após um estudo aprofundado é possível obter uma decisão definitiva da possibilidade de se multiplicar uma empresa através do formato de franquias.

Realizar este tipo de projeto de expansão é um caminho de sucesso para organizações versáteis, ágeis e com uma visão empreendedora apurada. A eficiência é uma questão-chave para o setor de franquias. Redes plurais são mais eficientes do que predominantemente franqueadas ou redes de propriedade da empresa. Logo, redes plurais em forma de franquia podem ser um importante veículo. Isso devido ao caráter simbiótico desta forma organizacional com base na capacidade do franqueador para gerir sinergias entre propriedade da empresa e estabelecimentos franqueados.

Elaine Bezerra é diretora da Troow Gestão & Franchise – rede de franquias de consultoria, treinamento e expansão empresarial




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração