Mais comentada

4 atitudes que todo empreendedor público precisa ter

Em meio a dificuldades burocráticas, nutrir a criatividade, questionar o sistema, buscar ser exemplo e arriscar-se são práticas indispensáveis para o sucesso de um gestor público

Marcela Agra, Administradores.com,
Thinkstock
"O empreendedor é aquele que pensa e age de forma diferente"

Tema da matéria de capa da última edição da revista Administradores, a carreira pública é um assunto em alta no Brasil, graças à quantidade de editais de concursos públicos nos últimos anos e outros tantos previstos. Na reportagem da revista, abordamos o tema sob a ótica do empreendedorismo, ressaltando a importância de valorizar o espírito empreendedor dos profissionais, independente do setor em que ele for atuar, seja privado ou público.

A tarefa de injetar empreendedorismo na gestão pública não é fácil, porém, a necessidade de transformações significativas nesse setor, no sentido de desmanchar padrões engessados e arcaicos de administração, é urgente. Como, porém, adotar práticas empreendedoras em ambientes burocráticos? Em conversa com o Administradores, Alexandre Slivnik, autor do livro "O Poder da Atitude", compartilhou dicas que podem ser incorporadas ao cotidiano de qualquer empreendedor, especialmente o público. Confira:

1. Nutra a criatividade - "O empreendedor é aquele que pensa e age de forma diferente", diz Slivnik. Em vez de se contentar com as fórmulas prontas encontradas no setor público e constantemente limitar a própria capacidade de inovação, dê vazão a ideias possivelmente transformadoras. "Fazer as mesmas coisas trará sempre os mesmos resultados. É preciso entender que as pessoas já nascem criativas e, infelizmente, ao longo da vida, vamos 'podando' essa criatividade", continua o consultor. Ainda que não "grandes", mudanças simples podem ser benéficas e é preciso nutri-las. Quando tiver alguma sugestão nesse sentido, busque seu superior e fale abertamente sobre. Mesmo se o feedback não for o esperado, a sua criatividade estará em exercício.

2. Questione o sistema - Não se entregue ao pensamento fatalista, que gera resignação. Se o empreendedor público se prende ao fato de que há uma cultura do incorreto e burocrático onde trabalha, pensando que esta não pode ser mudada, termina conformado e inerte. "Um funcionário público pode ser empreendedor se, em primeiro lugar, ele acreditar que pode mudar. Parar de jogar a culpa no 'sistema' e arregaçar as mangas. Questionar o tal 'sistema' e contribuir para melhorias, não sendo refém de fórmulas ultrapassadas", é o conselho de Slivnik.

3. Seja exemplo - Seguindo o raciocínio de se portar como um canal de mudanças, ser o exemplo ao invés de exigir este ou aquele comportamento das outras pessoas é uma atitude importante para o gestor público. "Sempre acreditei que o servidor público é aquele que tem que dar exemplo à sociedade. A mudança, começando por ele, terá um impacto muito maior na sociedade como um todo. Basta ele acreditar que poderá fazer parte dessa mudança", afirma o autor. Chamar para si a responsabilidade de enfrentar as dificuldades, servindo de modelo para os que estão ao redor, é uma prática sadia e benéfica para todo e qualquer empreendedor.

4. Arrisque - Buscar a solução no inesperado, no inovador, pensar fora da caixa, são atribuições geralmente próprias de um empreendedor, e no setor público não é diferente. Assim, que os riscos sejam pensados e calculados mas não deixados de lado; se a recompensa for melhorar processos e trazer resultados para o setor público, eles valem a pena. Quando arriscar e errar, lembre-se do aprendizado que o fracasso pode gerar e não se deixe ter medo de tentar novamente. "O risco faz parte e trás brilho e vida para qualquer negócio. Um empreendedor de sucesso é audacioso e enxerga o seu trabalho de maneira estratégica (olhando o todo!)", conclui Slivnik.




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração