Mais comentada

Confira dez motivos para você mudar de emprego

Ninguém nunca sabe ao certo quando é hora de mudar de emprego. A decisão depende das crenças de cada um. Por exemplo, enquanto uns fazem questão de permanecer pelo menos dois anos em cada emprego...

UOL Economia,
Ninguém nunca sabe ao certo quando é hora de mudar de emprego. A decisão depende das crenças de cada um. Por exemplo, enquanto uns fazem questão de permanecer pelo menos dois anos em cada emprego, com o intuito de aprender mais e não comprometer o currículo, outros, ávidos por desafios, mal conseguem ficar um ano no mesmo lugar.

E, ao mesmo tempo em que muitos têm receio de mudanças - ainda que não admitam ou não percebam -, de maneira que acabam se acomodando, outros não suportam situações incômodas e correm atrás de oportunidades melhores logo que as primeiras dificuldades se apresentam.

Independentemente das crenças, o coach Ricardo Melo explica que há alguns sintomas que sinalizam o momento de mudar de emprego. "Se, ultimamente, está mais difícil de acordar para ir ao trabalho; se você não pára de pensar nos problemas relacionados ao trabalho quando está em casa e nos momentos de lazer; se não consegue dormir porque fica pensando no que terá que fazer amanhã; se fica irritado com freqüência e se o seu corpo está somatizando as dificuldades, traduzindo-as em problemas de saúde, está na hora de mudar de emprego", exemplifica.

Dez motivos para mudar de emprego

Confira os dez motivos para procurar um emprego melhor, apontados pelo coach:



* 1 - Salário baixo: Nem sempre este é um fator determinante para a mudança de emprego, uma vez que, no início da carreira, os profissionais tendem a se preocupar mais com a experiência e o aprendizado. Mas a remuneração baixa pode pesar, e muito, com o passar do tempo, quando as necessidades do profissional não são satisfeitas. Certamente, é um fator crucial a quem tem uma casa e filhos para sustentar, por exemplo;


* 2 - Não gostar do que faz: É muito comum as pessoas aceitarem empregos por necessidade, empregos que não envolvem exatamente aquilo que elas gostam de fazer. Tome cuidado, pois é consenso entre especialistas em Recursos Humanos que os profissionais que não fazem o que gostam têm pouquíssimas chances de se destacar no mercado de trabalho;


* 3 - Dificuldade de convívio com os colegas mais próximos: Nada pior do que um ambiente de trabalho competitivo, onde não há ninguém para confiar. A confiança nos colegas de trabalho é um imperativo para que o trabalho em equipe saia a contento. Além disso, empresas que cultivam a competitividade acabam tomadas por sentimentos que minam a motivação dos funcionários, como raiva, medo e inveja;


* 4 - Falta de novos desafios: Problema que acomete principalmente jovens talentosos, que gostam de se superar a cada dia. Para inúmeras pessoas, desenvolver todo o santo dia as mesmas atividades é uma penitência. Se você tentou conversar com seu chefe sobre o assunto e, ainda assim, nada mudou, então comece já a mandar currículos!;


* 5 - Apareceu uma chance única: Os profissionais não se demitem apenas quando as coisas não vão bem. Eles podem se desligar da empresa também quando a carreira vai bem até demais! É o caso daqueles que recebem uma proposta única na vida, como a chance de vivenciar uma experiência profissional no exterior;


* 6 - Sonho (e oportunidade) de abrir o negócio próprio: Quem nunca quis ser seu próprio chefe e ter autonomia para tornar a empresa lucrativa? Se há uma chance de ser dono do seu próprio nariz, então aproveite! Uma pessoa com um sonho desses pode se cansar de ser empregado;


* 7 - Sentimento de que não é respeitado: Quando um profissional sente que não é respeitado e que suas idéias não são valorizadas, deve procurar uma oportunidade melhor. Isso porque a situação causa baixa auto-estima e podem ficar seqüelas para sempre;


* 8 - Perda de respeito com relação ao chefe: Imagine ter que receber ordens diariamente de alguém que você não respeita, seja porque provou não ser um profissional experiente e talentoso, seja pela falta de ética. Entretanto, antes de procurar outro emprego, é importante ponderar por que você perdeu o respeito. O motivo deve ter fundamento, uma vez que é um imperativo em qualquer empresa o respeito à hierarquia e muitas pessoas extrapolam esta regra;


* 9 - A empresa não tem futuro: Se os negócios de sua empresa estão indo de mal a pior, talvez seja a hora de procurar um novo emprego, antes que acabe desempregado porque a empresa fechou as portas;


* 10 - Falta de perspectiva: Pode parecer clichê, mas é importante o funcionário acreditar que tem futuro na empresa. Muitas empresas pecam por vender planos de carreira falsos, que dificilmente irão se concretizar. Isso pode ser um motivo enorme de insatisfação.



Conselho importante

Não necessariamente um destes motivos deve determinar a decisão de sair da empresa, uma vez que muitos dependem do emprego para sustentar a família ou arcar com suas responsabilidades financeiras. Entretanto, Melo ressalta que qualquer um deles pode ser suficiente para que alguém decida sair da empresa quando a situação contradiz sua essência enquanto pessoa. É o caso daqueles que têm um chefe que maltrata, grita e humilha, de forma que inclusive a vida pessoal é afetada pela insatisfação.

Portanto, a recomendação do coach é refletir para descobrir o real motivo da insatisfação no emprego. "Às vezes, o chefe passa uma atividade que o profissional tem dificuldade de desenvolver e isso pode incomodar. Mas o fato de o chefe incomodar não quer dizer que ele seja injusto e que não mereça seu respeito".

Outra preocupação dele é com relação aos acomodados. "Há pessoas, principalmente aquelas sem qualificação, que se submetem a situações ruins durante anos, porque têm medo do novo, tornando-se ainda mais vítimas do processo. Se, realmente, não faz mais sentido trabalhar em determinado lugar, procure se qualificar mais e planeje uma transição, mas não se esconda".




Tags: coach curriculo emprego recursos