Especialista alerta sobre serviços de internet para empresas dependentes

De acordo com dados do indicador TIC Empresas do ano 2013, 96% das empresas brasileiras com mais de 10 funcionários e que utilizam computadores disponibilizam conexões em rede

Redação, Administradores.com,

O acesso à internet é algo indispensável para quase todos os tipos de negócios hoje em dia. No entanto, mesmo com os avanços estruturais e com a ampliação da conexão de alta velocidade no Brasil, são frequentes os números de casos de queda do sinal da internet em ambientes corporativos, o que pode causar grandes estragos e consequências negativas, caso esse problema aconteça regularmente.

No último dia 1º de setembro, a operadora Oi deixou os estados de Rondônia e Acre sem internet por cerca de cinco horas, sem nenhum motivo aparente. O fato causou transtornos para a população e, claro, para as empresas.

Segundo Claudio Sá de Abreu, especialista em tecnologia da informação da Vialink, os problemas de conexão com a internet causam prejuízos não só do ponto de vista financeiro, mas também em relação à produtividade e à imagem das corporações. “Quando a internet cai, o prejuízo não é apenas o do valor do link de acesso por algumas horas, que é relativamente baixo. É o valor de todos os salários de todos os funcionários parados por essas horas, somado a toda a produtividade perdida nesse período, junto a todo o dano causado à imagem da empresa por se deixar cair nessa armadilha, típica de empresas pouco maduras. O dano é incalculável”, explica Claudio.

O especialista afirma que a dependência das corporações em relação à internet atualmente é indiscutível. De acordo com dados do indicador TIC Empresas do ano 2013, 96% das empresas brasileiras com mais de 10 funcionários e que utilizam computadores disponibilizam conexões em rede. “Estamos em um caminho sem retorno”, garante ele. A recomendação para mitigar os impactos é a contratação de um segundo link de acesso à internet, o chamado IP Redundante. A tecnologia deve ser contratada em uma segunda operadora, para que, caso a internet caia na fornecedora de link principal, a empresa conte com o auxílio de uma operadora diferente. “Com dois links de acesso à internet e com equipamentos e configurações corretas nos roteadores, as possibilidades de interrupções eventuais sofrem uma redução de mais de 99%”, afirma Claudio Sá de Abreu.

Porém, segundo ele, é preciso tomar cuidado ao assinar determinados planos das empresas prestadoras de serviços de internet, pois há operadoras que concentram toda a sua capacidade de conexão em uma mesma infraestrutura, inclusive com serviços de telefonia no mesmo equipamento, o que pode oferecer risco para as empresas dependentes de uma boa internet. “Entre operadoras de fibra, por exemplo, é muito comum haver compartilhamento de cabos e de dutos, o que torna o risco de uma ruptura múltipla de conexão muito grande. Também há várias operadoras de radiofrequência que têm interconexão com as mesmas operadoras de fibra que, eventualmente, são as contratadas como redundância, por isso é fundamental que um especialista estude esses detalhes”, aconselha o especialista.

Ele recomenda ainda que o mais seguro é investigar bem os caminhos percorridos pelo sinal de cada operadora, aproveitando a queda nos preços para distribuir os serviços entre infraestruturas não compartilhadas ou independentes. Além disso, uma boa alternativa para reduzir a sobrecarga pelo uso de dois serviços em um mesmo equipamento é a utilização da tecnologia VoIP, que utiliza aplicações na internet para realizar chamadas telefônicas, inclusive com baixo custo. “Em algumas localidades, oferecemos uma solução com duas redes próprias independentes, ou seja, o cliente pode contratar o serviço de IP redundante sem precisar recorrer às grandes operadoras, o que traz vantagens financeiras e técnicas bastante relevantes para ele. Além do custo, na maioria das vezes, ser mais interessante, ele ainda tem um atendimento muito mais personalizado” finaliza Abreu.