Gestão & Carreira - Profissional ideal para o mercado atual

Você tem conhecimentos avançados de internet, informática, possui inglês fluente, é um expert em todas as ferramentas e teorias específicas da sua área, é flexível para negociar remuneração? Então, parabéns! Você é um forte candidato ao prêmio de “queridinho do mercado de trabalho”. Mas, de acordo com análises de especialistas em carreira e recursos humanos, você só será um profissional completo e requisitado por empresas de grande porte se apresentar também competências comportamentais.

Paulo Pedrosa, Jornal do Commercio,
Você tem conhecimentos avançados de internet, informática, possui inglês fluente, é um expert em todas as ferramentas e teorias específicas da sua área, é flexível para negociar remuneração? Então, parabéns! Você é um forte candidato ao prêmio de “queridinho do mercado de trabalho”. Mas, de acordo com análises de especialistas em carreira e recursos humanos, você só será um profissional completo e requisitado por empresas de grande porte se apresentar também competências comportamentais.

A cada ano, as empresas estão descobrindo que não basta ser excelente tecnicamente, é preciso também que o profissional seja maduro emocionalmente e que tenha flexibilidade de se adaptar às mudanças; capacidade de trabalhar em equipe e manter um bom relacionamento com os colegas; comprometer-se de fato com os objetivos; ser um empreendedor mesmo dentro da empresa; gerar resultados efetivos; ser assertivo; ser um líder eficaz; ser ético; entre outras coisas. E isso vale para todas as áreas.

Uma pequena amostra das exigências atuais de avaliação no exame de seleção profissional é o resultado de uma das pesquisas feitas pelo Grupo Catho, com 13.600 profissionais disponíveis no mercado de trabalho. O levantamento mostrou que 30,10% dos trabalhadores brasileiros foram demitidos por não apresentarem os resultados desejados pela empresa.

Uma das pesquisas do Grupo Catho verificou que grande parte das demissões acontece por falta de visão sistêmica, ou seja, o profissional não apresenta a capacidade de olhar o departamento que administra como parte de um grande negócio chamado empresa, e a habilidade de saber lidar com todos os demais departamentos. Isso significa que as empresas estão cada vez mais exigentes na seleção dos empregados.

Em alguns casos, a pesquisa mostra que os profissionais não sabem expor suas idéias ou não apresentam iniciativa de fazer o que precisa ser feito, alguns outros não demonstram comprometimento e outros ainda não têm maturidade. Hoje em dia, o nível de exigência das organizações é muito alto. Nas multinacionais, por exemplo, um supervisor tem que ser formado em engenharia, ter treinamento na área de qualidade, noções de ISO 9000 e, para completar, possuir MBA (Máster of Business in Administration).

Um engenheiro tem apenas a formação técnica para administrar a área na qual foi preparado. No caso de uma empresa, como gerenciar tudo isso? Só com as ferramentas da engenharia o profissional não consegue. As companhias exigem que o profissional tenha visão sistêmica, ou seja, olhar a empresa como um todo, a exigência na contratação de funcionários fica cada vez maior. Para se ter uma idéia, para se montar um currículo hoje, o executivo tem que ter no mínimo pós-graduação e apresentar inglês ou espanhol com boa fluência. A pesquisa não tem embasamento científico, mas demonstra, com clareza, uma situação cada vez mais latente no mercado de trabalho no Brasil: profissionais com ótima bagagem técnica não conseguem permanecer por muito tempo no emprego por problemas de comportamento. A amostra observou, também, uma grande mudança nas relações de trabalho: aquele técnico que alcançava todas as metas, mas não falava com ninguém, não existe mais.

No novo mercado de trabalho, as competências comportamentais estão tão em alta e é difícil lidar com pessoas no ambiente corporativo e manter bom relacionamento com elas em um período de crise e instabilidade como a atual. Daí a necessidade de ter profissionais que vençam essa dificuldade e sejam flexíveis, que aceitem as mudanças e saibam trabalhar sob pressão em ambientes novos. Você não pode mais esperar pela verba da empresa para o treinamento, principalmente por que isso esta ficando cada vez mais raro.

Competências Essenciais

Estruturais
São aquelas que se relacionam às características individuais, aos valores, visão e missão da empresa. As mais valorizadas hoje em dia são: capacidade de realização, ética, criatividade/inovação, motivação, equilíbrio emocional, liderança e solução de problemas.

Gerenciais
São aquelas diretamente vinculadas à responsabilidade de gestão propriamente dita. As mais valorizadas são a gestão de pessoas, comprometimento com resultados, orientação para cliente, pensamento estratégico, trabalho em equipe, gestão de mudanças, conhecimento do negócio, habilidade de negociação.

Técnicas
Que se refere à cadeia de valores da empresa e aos conhecimentos funcionais necessários para executar tanto as atividades-fim como as atividades meio. As mais valorizadas são a gestão de projetos, gestão de qualidade, educação e treinamento, relações com o mercado, logística, agressividade comercial, gestão do conhecimento e marketing.
O profissional será avaliado pelas suas competências/habilidades e aquele que chegar mais perto do perfil ideal da empresa será o escolhido.