Mais comentada

Mais de 60% dos usuários do Twitter se interessam em produtos após seguir marcas

O mesmo acontece com o Facebook, em que mais de 50% dos usuários confirmam que também aumentam suas intenções de compra após se tornarem fãs da página de algum produto ou empresa.

Assessoria,
Mais de 60% dos usuários do Twitter afirmam que ao seguirem uma marca no microblog, ficam mais interessados em comprar os seus produtos. O mesmo acontece com o Facebook, em que mais de 50% dos usuários confirmam que também aumentam suas intenções de compra após se tornarem fãs da página de algum produto ou empresa. As pesquisas - realizadas por Chadwick Martin Bailey e iModerate - mostram também que os fãs e seguidores indicam os produtos e serviços para conhecidos até 80% mais do que os consumidores em geral.

 

 

Esses dados apenas se somam aos muitos outros obtidos nos últimos anos e que apontam para a mudança radical que a internet trouxe para a forma de fazer marketing e divulgar marcas. "O consumidor atual não é mais passivo à comunicação oferecida pelas empresas. Hoje, ele não apenas recebe as informações oficiais, como também produz conteúdos e os disponibiliza na rede", aponta Andrea Dunningham, diretora do iDigo - Núcleo de Inteligência Digital.

 

 

Se por um lado, as empresas beneficiam-se pela multiplicação das informações e exposição extrema dos seus produtos; por outro, elas perderam o controle sobre o que é falado. "Antes, a empresa precisava criar uma comunicação para divulgar seu nome, hoje as pessoas falam sobre ela, quer queira ou não. Há, portanto, a necessidade de monitorar constantemente o público para gerenciar possíveis crises e estabelecer relacionamento com os consumidores", alerta Andrea.

 

 

"Como agir, entretanto, diante de tanta mudança?" é o que muitas empresas perguntam-se. São muitas as ferramentas para realizar marketing pela internet e, além de entender o comportamento do consumidor e conhecer os princípios e fundamentos de marketing, é preciso estudar as novas ferramentas e a cultura que se desenvolveu sobre elas. Você pode ser jornalista, publicitário ou administrador por formação, mas, qualquer que seja o seu background, é necessário que passe por uma verdadeira imersão no meio.

 

 

Pela rápida mudança que a internet sofre, a busca por atualização também deve acontecer constantemente. "Historicamente, já há um atraso entre o que se aprende na faculdade e o que o mercado está fazendo. No caso da web, o próprio mercado tem a sensação de estar sempre atrasado - e, às vezes, está mesmo. Os profissionais correm atrás do prejuízo com muita leitura e cursos de especialização", ressalta.

 

 

Diante de tanta informação, há uma boa notícia. Com a internet - principalmente, redes sociais e blogs -, é possível fazer um monitoramento da sua marca e saber, quase em tempo real, o que as pessoas estão falando dela. Há, então, a possibilidade de corrigir distorções da sua divulgação, mudar o rumo de uma campanha mal recebida, entrar em contato direto com estes consumidores e formadores de opinião. "É um caminho mais rápido e eficiente para trabalhar com as informações", considera.

 



Tags: marca produtos twitter

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração