Mais comentada

Novo negócio: saiba em qual ramo investir em 2007!

Abrir um novo negócio é sempre um desafio. Nunca se sabe o que pode vir pela frente e se a decisão pela atividade na qual irá atuar será a certa. Vários fatores influenciam na economia e, conseqüentemente, no hábito de consumo da população.

InfoPessoal,
Abrir um novo negócio é sempre um desafio. Nunca se sabe o que pode vir pela frente e se a decisão pela atividade na qual irá atuar será a certa. Vários fatores influenciam na economia e, conseqüentemente, no hábito de consumo da população.

Antes de abrir a empresa dos sonhos, é preciso atentar se será possível mantê-la e se o setor caminha de forma positiva ou não. Para isso, veja quais as atividades com destaque no ano de 2006, para escolher o ramo certo para investir neste novo ano.

Os dados utilizados para indicar o melhor negócio fazem parte da PCCV (Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista), divulgados pela Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo).

Roupas
Para quem está sempre atualizado nas roupas que estão na moda e gosta de escolher sapatos, camisas e calças, este é o momento certo para investir em lojas de vestuário, tecidos e calçados.

O resultado nas vendas, nos seis primeiros meses de 2006, no setor, foi de alta de 13,1%, o melhor da economia. Já no acumulado do ano até setembro, o faturamento das lojas de vestuário, tecidos e calçados atingiu 11,5%, o que indica que o ramo está em expansão. O trabalho em uma loja implica no tratamento com fabricantes de roupas, na procura por peças variadas e complementação dos estoques, para troca de estações. O trabalho é agitado e repleto de números.

Farmácias e perfumarias
Todo o estabelecimento que vende remédios, como as farmácias e algumas perfumarias, deve ter uma pessoa com formação superior em farmácia. Por isso, se sua intenção é abrir algum negócio como este, antes de atentar ao desempenho das vendas do segmento, providencie algum farmacêutico.

O trabalho nas farmácias depende da compra e revenda de remédios. Além disso, é preciso atentar a data de validade do produto e conservação adequada. Para quem quer apostar no ramo, as vendas de janeiro a junho de 2006 cresceram em 7,2% e tendem a crescer em 2007, já que, até setembro, as vendas do segmento já tinham incremento de 9%.

Supermercados
Entre os nove segmentos pesquisados pela Fecomercio, o de supermercados teve desempenho de vendas positivo. Para montar um estabelecimento que comercializa alimentos, é necessário um investimento grande. O interessado deve ter bastante tempo disponível, para lidar com clientes e fornecedores.

No primeiro semestre de 2006, o aumento das vendas dos supermercados foi de 6,3%. Mas vale lembrar que este ano aconteceu a Copa do Mundo da Alemanha, o que contribuiu para a venda de petiscos e bebidas. Por isso, de julho a setembro, o faturamento cresceu, portanto em proporções menores, o que fez com que o índice registrasse 3,8% de aumento em nove meses.

Materiais de construção
Prédios, casas e ruas. Os materiais são necessários para aprimoramento ou construção do espaço físico, o que sempre muda nos centros urbanos. Entretanto, entre os segmentos da economia, ele teve crescimento nas vendas, no primeiro semestre deste ano, de somente 2%.

Para ter sucesso no ramo de materiais de construção é preciso saber tratar os clientes, negociar e ainda comparar os preços e vantagens com as lojas concorrentes. Este é um bom investimento para 2007. Isso porque, até setembro do ano passado, o crescimento no faturamento do setor tinha sido de 3,9%.

Além disso, especialistas indicam que o aluguel de imóveis já é uma boa fonte de renda para este ano. Então, por que não partir para a construção de alguns imóveis e investir no aluguel destes?

Maus resultados
Caso você não queira investir em algo de risco e que pode lhe trazer algum prejuízo no futuro, o segmento de eletrodomésticos e eletroeletrônicos não é uma boa opção. A queda nas vendas do setor, nos seis primeiros meses do ano passado, foi de 13,1%. Mas este quadro pode mudar. Isso porque, o faturamento melhorou nos nove primeiros meses de 2006 e chegou a -10,4%.

E parece que as pessoas estão investindo na construção, mas não estão comprando móveis novos e artigos para decoração. A queda no setor que renova sua casa ou escritório foi de 8,3% no primeiro semestre. O setor registra o mesmo histórico que o de eletroeletrônicos, já que teve melhora para -5,6% quando analisado os nove primeiros meses de 2006.

Apesar do desempenho das lojas de autopeças e acessórios se manterem estáveis no período, as concessionárias de veículos não são uma boa opção para quem quer fazer um grande investimento. Isso porque, o setor teve queda de 3,6% nas vendas. No entanto, para 2007 o segmento já representa uma alternativa mediana de investimento. Até setembro do ano passado teve aumento de 0,7% nas vendas, o que mostra uma recuperação.

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores


Shopping