O big data como ferramenta de transformação nos negócios

Nos negócios digitais modernos, os dados são a moeda que orienta todas as decisões e ações

Rodrigo Pementa , Administradores.com,
iStock

Mesmo sendo um tema comum em pautas ligadas à Tecnologia da Informação, Big Data ainda é motivo de muitos pontos de interrogação. Isso ocorre, principalmente, porque tendemos a tratá-lo como uma questão tecnológica, quando na verdade, ele representa uma solução complexa de negócios, capaz de remodelar empresas, mercados e economias.

Nos negócios digitais modernos, os dados são a moeda que orienta todas as decisões e ações. A análise completa e precisa de tais dados habilita a tomada de decisões rápidas, baseadas em informações que suportam a contínua melhoria do serviço digital e a inovação.

Iniciativas em Big Data exigem uma abordagem abrangente, holística e com foco equilibrado em como as pessoas trabalham, pensam e se comunicam; conhecimentos e habilidades; cultura organizacional; inspeção de processos e ajustes; necessidades tecnológicas. A principal característica de Big Data é conhecida a partir dos “4Vs” - Volume, grandes quantidades de dados; Variedade, diferentes tipos de dados; Velocidade, dados que são gerados e precisam ser processados rapidamente; e Veracidade, as fontes de dados são múltiplas, internas e externas. Os “4Vs” também ditam novos métodos de coleta, armazenamento, organização, análise e resultados.

Vemos que a tecnologia e a sofisticação do usuário evoluem em um ritmo acelerado, o que significa que mais dispositivos digitais continuam gerando grandes quantidades de dados e em uma velocidade ainda maior. Em 2013, o IDC estimou que a quantidade anual de dados criada em todo o mundo cresceria de 4.4 zettabytes para 44 zettabytes até 2020. Mas agora, em 2016, a consultoria disse acreditar que este número chegará a 180 zettabytes.

Transformar grandes volumes de dados em insights digitais de forma eficiente e econômica é essencial para se manter competitivo no mercado, melhorando a experiência do cliente e dos produtos, reduzindo riscos, aprimorando o desempenho e conduzindo operações com excelência. As organizações estão ansiosas para tirar proveito de informações que elas acreditam que irão proporcionar vantagens competitivas ou ajuda-las a desenvolver novas estratégias, a fim de acelerar projetos.

No entanto, à medida que as empresas adotam o Big Data e escalam seus negócios, diversos problemas vêm à tona, especialmente quando elas estão usando soluções que não foram projetadas para analisar volume, velocidade e variedade de dados do atual cenário de negócios. Para aproveitar os benefícios dessa explosão de informações, as organizações devem adotar uma plataforma de análise de dados otimizada para trabalhar com muito volume e em tempo real, e que ofereça APIs bem escritas e fáceis de usar, além de integrações com ferramentas que extraiam dados de qualquer fonte.

Outra preocupação que cada vez mais aparecerá no dia a dia das empresas que já iniciaram a jornada do Big Data é a segurança & privacidade. Assim, as empresas devem se atentar à escolha de plataformas de Big Data que possuem a segurança como alicerce, e não como um recurso secundário.

Considerando que estão sendo manuseados dados de uma quantidade enorme de fontes, as empresas precisam manter o mesmo padrão de segurança geral que possuem, e devem inclusive estar em conformidade com as regulações sobre dados vigentes nas localidades onde opera.

Apesar de ser uma iniciativa complexa, os benefícios trazidos pelo Big Data, quando bem orquestrado, tem o potencial de transformar os negócios. A escolha das soluções certas, a inspeção e adaptação de processos, o controle do fluxo de dados em intervalos regulares, e a velocidade e continuidade da análise oferecem as condições necessárias para que os tomadores de decisão ajam de maneira mais rápida.

Rodrigo Pementa é diretor de pré-vendas da BMC para América Latina




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração