O poder das informações: como a descrição de produtos pode fazer seu e-commerce lucrar

Em um mercado que ainda está aprendendo a usar informações de qualidade para obter retorno, existem muitas particularidades do comportamento dos consumidores a serem entendidas

Flávio Salomão, Administradores.com,
iStock

O mercado de e-commerce nacional segue em alta, com expectativa de crescimento de 12% em 2017, segundo dados do Ebit, e para aqueles que desejam aproveitar esse cenário e lucrar com sua loja virtual cada detalhe importa.

O descritivo dos produtos é um ponto crucial em estratégias voltadas ao aumento da taxa de conversão, sendo que 25% das devoluções no varejo digital são relacionadas a erro ou insuficiência nas informações fornecidas. No entanto, nem sempre é fácil escolher em qual conteúdo investir para vender mais. Uma boa descrição substitui o vendedor no canal de varejo, esclarecendo as dúvidas do comprador, retendo sua atenção e principalmente, mostrando possibilidades e agregando valor e experiência no momento da aquisição.

Em um mercado que ainda está aprendendo a usar informações de qualidade para obter retorno, existem muitas particularidades do comportamento dos consumidores a serem entendidas. Para os grandes canais produzir conteúdo relevante é um desafio devido à grande variedade de itens disponíveis, o que torna o processo custoso, além de demandar muito tempo e profissionais especialistas nas categorias ofertadas. Fora isso, o varejo depende de seus fornecedores para conseguir as informações, e nem todos os parceiros dispõem de uma estrutura adequada para entregar os dados.

Agora imagine, se já é assim para os grandes lojistas, os canais menores precisam se esforçar ainda mais para obter as referências necessárias ou até contato com a indústria.

Vale a pena investir, mas é preciso ter atenção

Investir em um conteúdo completo e relevante para seu produto exige clareza, objetividade, volume de informações, e sempre empregar o ponto de vista do consumidor. O bom posicionamento do item na loja virtual depende de alguns pontos vitais como um título atrativo, uma descrição adequada e completa, a ficha técnica, que conta com dados essenciais e legais para a venda, e claro, a imagem do produto.

E para ter qualidade em todos esses elementos, seja cuidadoso na escolha da empresa parceira. Busque aquela que ofereça exemplos aplicáveis, que vão além do cadastro básico, e realmente contribua para a estratégia de conversão. Tenha atenção também na adequação das informações para cada canal de varejo, para que os mecanismos de busca operem de maneira a ajudar, não apenas a loja, mas também quem procura pelo produto.

Os negócios estão cada vez mais presentes no mundo digital, e no e-commerce em que as interações são on-line, é preciso garantir que não existe espaço para dúvidas. Afinal, o 1% que não foi esclarecido, pode ser 1% de perda em vendas.

Flávio SalomãoCEO da iSee Retail Solutions, empresa especialista em gestão e criação de conteúdos de produtos para e-commerce. http://isee.com.br/