Mais comentada

Por quanto tempo devemos guardar comprovantes e documentos?

Todos os meses recebemos diversas contas, recibos e comprovantes que funcionam como registro da efetuação de um pagamento ou serviço. Saiba o prazo que cada documento deve ser guardado para evitar problemas futuros.

Fábio Bandeira de Mello, www.administradores.com.br,
Muitas pessoas aproveitam o início do ano para organizar os antigos documentos e papeladas acumuladas. Para muitos, essa é a hora de esvaziar a gaveta com arquivos que não interessam mais e deixar espaço para a entrada dos novos documentos que vão surgir ao longo do ano. Mas, existem ainda muitas duvidas e receios em jogar fora algum comprovante ou papel que possa ser útil em determinado momento posterior, sejam dias, meses ou até anos.

De acordo com o diretor do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec) José Geraldo Tardin é importante ter cautela e guardar determinados documentos durante algum tempo para evitar futuros transtornos. “Devemos ter cuidados de nos proteger de cobranças indevidas e não correr o risco de ter o nome e o CPF em lista de devedor do comércio, bancos e órgãos federais. Para isso, o consumidor precisa guardar alguns documentos.”

José Geraldo Tardin ressalta ainda que “o prazo mais comum de prescrição de dividas é de cinco anos, conforme o Código Civil. Mas, há comprovantes que devem ser mantidos por mais tempo como os de imóvel financiado”. O diretor do Ibedec relaciona o tempo que cada comprovante e documento deve ser devidamente guardado pelo consumidor. Confira:

Guardar por três anos:

a) os recibos de pagamentos de aluguel:
b) recibos de diárias de hotéis:
c) recibos de pagamento de restaurante:

Guardar por cinco anos:

a) os tributos ( IPTU, IPVA, Imposto de Renda e outros);
b) contas de água, luz, telefone e gás;
c) recibos de assistência medica e plano de saúde;
d) recibos escolares;
e) pagamento de cartões de créditos;
f) recibos de pagamentos a profissionais liberais;
g) pagamento de condomínios;

Guardar por vinte anos:

a) documentos comprobatórios para aposentadoria junto ao INSS

Outros prazos:


a) Seguros em geral (vida, veículos, saúde, residência etc) - 1 ano após o término da vigência
b) Extratos bancários - 1 ano;
c) Notas fiscais - até o término da garantia do produto;
d) Declaração de Imposto de Renda e documentos anexados - 6 anos;
e) Comprovantes de pagamento de financiamentos de bens como carros e imóveis - até o término do pagamento de todas as parcelas ou após a entrega da escritura definitiva (imóveis) e/ou documento que oficialize a quitação (consórcio)

Com todos os comprovantes devidamente guardados, o consumidor pode, havendo necessidade, ter a garantia de não pagar duas vezes a mesma despesa ou, de correr atrás de seus direitos.

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

Tags: comprovante conta documento recibo

Vagas de trabalho