Quais são as tendências de marketplaces em 2018?

Os varejistas também entraram nessa onda dos marketplaces

Patrick Negri, Administradores.com,
iStock

Mesmo com a instabilidade política e econômica que o país ainda vive, há esperanças de que em 2018 surjam novas oportunidades de negócios. Já é notável o movimento de algumas empresas que buscam por alternativas para oferecer a melhor experiência para o consumidor, como é o caso dos marketplaces.

No setor de transportes, por exemplo, houve uma grande movimentação quando uma das gigantes do segmento foi vendida para rival chinesa da Uber por US$ 960 milhões. Os varejistas também entraram nessa onda dos marketplaces. O Mercado Livre, um dos líderes do e-commerce, se antecipou e começou a ativar algumas ações para não perder competitividade e seguir impulsionando o desenvolvimento do setor.

A Amazon, considerada pioneira do e-commerce e das vendas de e-books por meio da internet, desde o início do ano aposta nesse modelo de negócio para aumentar ainda mais suas vendas. Toda essa mudança visa proporcionar uma experiência positiva tanto para os consumidores finais quanto para os lojistas.

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), o número de lojas que passaram a comercializar seus produtos nos marketplaces brasileiros avançou em 2017, registrando crescimento de 15,3%. E para 2018, acredito que os números serão ainda mais positivos e veremos os setores de alimentação, saúde e moda sendo protagonistas desse avanço.

Diante de todo esse cenário, sabemos que cada negócio possui suas particularidades e pontos de otimização que causam um impacto direto nos resultados: um fluxo de recebimento e pagamento padrão de um e-commerce tradicional não é o mesmo que o de um serviço de mensalidade que, por sua vez, não é igual ao de um marketplace, por exemplo.

O que eu quero mostrar aqui é que os benefícios que a automação de serviços financeiros fornece são diversos, como ganho de escalabilidade, diminuição do custo operacional, simplificação da operação financeira e impacto direto no dia a dia da empresa. Por isso, é muito importante que cada organização tenha uma infraestrutura financeira personalizada, que otimize todo o processo e seja adequada para as necessidades de cada tipo de negócio.

Por fim, acredito que ficar de olho na movimentação do mercado é muito importante para saber em quais ferramentas apostar para alavancar seu negócio. Os marketplaces, independente do segmento, com certeza são tendências para o ano de 2018, e quem apostar nesse modelo precisa oferecer todo suporte necessário para atrair a atenção dos consumidores, gerenciar múltiplas operações e aumentar as vendas.

Patrick Negri — Cofundador e CEO da iugu. Profissional com mais de dez anos de experiência em automação, desenvolvimento de sistemas de busca e coletor de dados, com foco em tecnologia voltada para projetos de desenvolvimento e escalonamento. Atuou como um dos sócios e desenvolvedor na TAY Metabusca e como diretor de tecnologia na agência LOBO.