Mais comentada

Santander Universidades e Universia Brasil anunciam os seis vencedores dos Prêmios de Empreendedorismo e de Ciência e Inovação

Cada premiado receberá R$ 50 mil para investir em seu projeto. Prêmios apóiam a atitude empreendedora e a pesquisa científica no meio acadêmico e são a principal iniciativa de responsabilidade social do Banco.

Universia Brasil - Assessoria de Imprensa,
São Paulo, 30 de novembro de 2007 – O Santander Universidades e o Universia Brasil premiaram ontem (29/11), em Brasília, os três universitários e os três pesquisadores vencedores, respectivamente, dos Prêmios Santander de Empreendedorismo e de Ciência e Inovação. Cada vencedor receberá R$ 50 mil para investir em seu projeto.

"Nosso programa de responsabilidade social está comprometido com o desenvolvimento do País e, para o Santander, a melhor forma de ajudar uma nação a se desenvolver é investir fortemente na Educação. Os prêmios são coerentes com este objetivo, de melhorar os níveis de vida das pessoas, ao estreitar as relações entre a pesquisa acadêmica e a iniciativa privada", afirmou Gabriel Jaramillo, presidente do Santander.

Os vencedores do Prêmio Santander de Empreendedorismo são: Luiz Manoel Gerosa, da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Wilson Barros Luiz, da Universidade de São Paulo (USP) e Christian Jung, da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Os vencedores do Prêmio Santander de Ciência e Inovação são: Carlos Alejandro Figueroa, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Álvaro Cantini Nunes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Leda dos Reis Castilho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Eles foram selecionados entre os 38 finalistas de todo o País, homenageados em cerimônias regionais em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, em outubro. Em sua terceira edição, os prêmios tiveram 1.522 inscritos, ao todo, este ano. A premiação é uma das principais iniciativas do Santander Universidades, divisão do Banco responsável pela parceria com 260 instituições de ensino superior brasileiras, que beneficiam 1,5 milhão de alunos e professores. "Como parceiros das universidades nos diversos países em que atuamos, consideramos muito importante apoiar a pesquisa e a inovação, em benefício do mundo acadêmico e da própria comunidade", afirma Jamil Hannouche, vice-presidente do Santander Universidades.

"Estamos construindo a ponte entre o empresariado brasileiro e os talentos científicos, abrindo caminho para que projetos empreendedores e idéias inovadoras atendam às necessidades do setor empresarial e da sociedade como um todo", afirma Alina Correa, Diretora Geral do Universia Brasil, responsável pela gestão dos prêmios.

A premiação teve a presença de autoridades, empresários e executivos do Banco e do Universia Brasil. O senador Aloizio Mercadante elogiou a iniciativa do Santander: "Os prêmios estimulam os jovens pesquisadores a avançar não só na área acadêmica, mas na atitude empreendedora, integram as universidades e criam motivação intelectual, profissional e de pesquisa", afirmou. Já o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, destacou o incentivo à inovação promovido pelos prêmios. "Os estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA mostram que as empresas capazes de inovar produzem mais, portanto, o desenvolvimento acadêmico é fundamental para a inovação e para as novas tecnologias".

Empreendedorismo 

Os projetos vencedores se destacaram pela inovação, viabilidade técnica e potencial para gerar riquezas, entre outros critérios avaliados.

Luiz Manoel Gerosa, da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), criou o LEX, um jogo de computador que tem como benefícios melhorar o vocabulário e desenvolver o raciocínio lógico dos

participantes. "A idéia é implantar o jogo nas escolas públicas, para que possa ser usado pelos alunos do ensino fundamental, como uma forma de complementar e para fixar o conteúdo das aulas de Português", explica Luiz Manoel. Ele foi premiado pela categoria Tecnologia da Informação e Comunicação. "O reconhecimento do prêmio facilita o contato com as escolas. Pretendo começar a comercializar o jogo já no início de 2008", disse.

Wilson Barros Luiz (categoria Biotecnologia) desenvolveu, na Universidade de São Paulo (USP), um projeto para aumentar o aproveitamento do etanol por meio da produção da nisina, uma substância que evita a contaminação de bactérias no processo de fermentação da cana-de-açúcar, diminuindo a perda da produção.

"Esse projeto fará com que os produtores de etanol diminuam a perda na produção e reduzam o gasto com antibióticos e com a importação da nisina, que só é produzida em larga escala no exterior", explica Wilson. "O primeiro passo será comemorar com a minha equipe e depois planejar a execução do projeto, que teve origem em 2003 e foi sendo aperfeiçoado até chegar aqui. Estou muito feliz!", afirmou.

Christian Jung, da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), desenvolveu o projeto de beneficiamento industrial de cascas de ostras e mariscos. O objetivo é encontrar diferentes maneiras de reutilizar os restos destes produtos. "As cascas são formadas, basicamente, por carbonato de cálcio. É um componente importante e pensamos em usá-las até mesmo na construção civil", diz Christian, o premiado na categoria Indústria. "Agradeço muito ao Santander e à Universia por contribuir com a viabilização do projeto", disse.

A seleção e validação dos projetos foram de responsabilidade do professor e consultor Fernando Dolabela e do professor Afonso Cozzi, do Núcleo de Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral.

Ciência e Inovação

Além dos critérios também considerados pelo Prêmio Santander de Empreendedorismo, os projetos vencedores do de Ciência e Inovação também foram avaliados pela infra-estrutura física e humana proposta e pelos impactos sociais e ambientais.

Carlos Alejandro Figueroa, da Universidade de Caxias do Sul (UCS) criou um projeto para a fabricação de revestimentos protetores para ferramentas de corte, moldes e matrizes, com o objetivo de aumentar a vida útil destes equipamentos. "O eixo Porto Alegre - Caxias do Sul, que concentra o segundo maior pólo da indústria metal-mecânica do país, seria um grande beneficiado", diz Carlos, premiado na categoria Indústria. "Com o prêmio, comprarei um injetor de líquidos voláteis, principal dispositivo para viabilizar o projeto", revelou.

Álvaro Cantini Nunes, da Universidade Federal de Minas gerais (UFMG), criou uma vacina oral contra a eimeriose - uma doença que afeta o sistema digestivo de aves e animais. "A vantagem é que os produtores rurais poderão substituir os medicamentos que foram proibidos pelos mercados consumidores mundiais pelo medicamento que estamos desenvolvendo e que combate às infecções por meio de imunizações ativas", explica ele, que concorreu na categoria Biotecnologia . "O prêmio é um incentivo ao trabalho da equipe e de todos os pesquisadores", afirmou.

Leda dos Reis Castilho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), estuda o desenvolvimento de tecnologias de alta produtividade para a produção de biofármacos (proteínas recombinantes de uso terapêutico) usados no combate à hemofilia, AIDS e câncer. "A principal meta da pesquisa é desenvolver tecnologia nacional, aumentando a produtividade e reduzindo custos de produção", conclui a professora, também premiada na categoria Biotecnologia. "Fico feliz com o reconhecimento das pesquisas de Biotecnologia pelo Santander e da Universia, em benefício da saúde pública", afirmou.

A avaliação e o julgamento dos projetos foram realizados por uma comissão de pesquisadores vinculados a instituições científicas, sob a coordenação do professor e pesquisador Adolpho Melfi, vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Os dois prêmios têm o apoio institucional do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da ANPROTEC (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores).

Sobre a Universia

A Universia é uma rede de cooperação universitária que reúne 1.056 instituições de ensino superior na América Latina e Península Ibérica, e tem como parceiro financeiro-estratégico o Grupo Santander. A Rede Universia atua em três eixos estratégicos: desenvolvimento da Sociedade do Conhecimento, apoio à Relação Universidade e Empresa e o fortalecimento da Mobilidade e Internacionalização.

O objetivo da Rede Universia é contribuir com serviços de valor agregado às universidades, apoiando o desenvolvimento de projetos comuns e a geração de novas oportunidades para a comunidade universitária, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento sustentável dos países onde a Universia está presente.

O principal elemento integrador desta rede é o portal Universia, que desenvolve conteúdo e serviços gratuitos para o meio acadêmico, em línguas portuguesa e espanhola. O Portal está presente em 11 países: Espanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, Porto Rico, Portugal, Venezuela e Uruguai, congregando aproximadamente 78% do público universitário.

Lançado no Brasil em março de 2002, o portal Universia (www.universia.com.br) conquistou em cerca de 5 anos, a parceria com 249 universidades, alcançou a marca de 1,9 milhão de usuários cadastrados e uma média mensal de 900 mil navegadores únicos (Fonte: Nielsen//NetRatings).

As informações e os produtos atendem aos pré-universitários, universitários, pós-universitários, docentes, gestores e pesquisadores das instituições de ensino superior. Além de conteúdo, são oferecidos serviços relevantes para o público universitário, tais como: estágios e programas de trainee, cursos on-line, webmail, salas de aula virtuais, e informações sobre bolsas de estudo, intercâmbio, empreendedorismo, pesquisa científica, carreira, entre outros.

Sobre o Santander no Brasil

O Santander tem ativos totais de R$ 123,6 bilhões, R$ 130,5 bilhões de captações totais, que incluem recursos de terceiros administrados - R$ 34,3 bilhões em depósitos e R$ 52,1 bilhões em fundos de investimentos -, 7,8 milhões de clientes e conta com uma rede de mais dois mil pontos-de-venda, entre agências e postos de atendimento. 

Grupo Santander no mundo

O Santander (SAN.MC, STD.N) é o primeiro da Europa do Euro por capitalização em bolsa e o sétimo do mundo em lucro. Fundado em 1857, tem € 885 bilhões em ativos, administra mais de € 1 trilhão em fundos, tem mais de 69 milhões de clientes, 11 mil agências e está presente em 40 países. É o principal grupo financeiro da Espanha e da América Latina e desenvolve uma importante atividade de negócios na Europa, região em que alcançou uma presença destacada no Reino Unido, por meio do Abbey National, assim como em Portugal. É líder em financiamento ao consumo na Europa, por meio do Santander Consumer, com presença na Alemanha, Itália, Espanha e em outros nove países europeus. No primeiro semestre de 2007, registrou lucro líquido de € 4,45 bilhões, 39% a mais do que o registrado no mesmo período do ano anterior.

Na América Latina, o Grupo Santander é a franquia bancária líder, administrando volumes de negócio de aproximadamente US$ 200 bilhões (créditos, depósitos e fundos de investimento e de pensão) por meio de 4,4 mil agências. Entre janeiro e junho deste ano, o Santander teve lucro líquido de US$ 1,8 bilhão na região, volume 28% superior ao apresentado no primeiro semestre de 2005.







Tags: ciencia empreendedorismo