Transformação digital e banco omnichannel: como e por onde começar?

Como uma estratégia omnichannel segura pode trazer benefícios ao consumidor sem comprometer a confiança ou a segurança bancária?

Luis Carlos Rego, Administradores.com,
iStock

O estudo Unisys Retail Banking Insights mostra que muitos bancos buscam maneiras de se reinventar para atuar no ambiente digital. No entanto, preocupações com segurança e confiança podem impedir a adoção desse formato.

Como uma estratégia omnichannel segura pode trazer benefícios ao consumidor sem comprometer a confiança ou a segurança bancária? Essa é a grande questão para os bancos que pretendem começar hoje uma revolução em seus serviços e produtos bancários.

Com intuito de colaborar com o movimento de transformação digital das instituições financeiras, elencamos três pontos relevantes na execução deste plano:

1. Experiência bancária consistente: embora o estudo mostre que mais de 96% dos entrevistados concordam que o setor bancário está evoluindo para se tornar uma série de serviços financeiros digitais, apenas 13% dos respondentes se sentem preparados para esse momento. Para se destacar no mercado, é preciso oferecer uma experiência consistente, sem interrupções e com omnicanalidade, permitindo uma experiência digital completa

2. Automação e analytics: a automação permite eliminar custos desnecessários e recursos associados ao monitoramento e cadastro de novos clientes. O custo médio global para adquirir e configurar uma conta de cliente em uma agência é de US$ 350; configurar a mesma conta online de forma automatizada reduz o valor para US$ 140. Já os recursos avançados de analytics, por sua vez, podem identificar clientes-alvo, aumentar o desempenho de campanhas, conectar as atividades de atendimento, além de aumentar a eficiência e as oportunidades de venda cruzada para gerar receita adicional

3. Segurança avançada: de acordo com o estudo Unisys Security Index, o roubo de identidade ocupa o primeiro lugar em preocupação entre oito ameaças de segurança em todo o mundo, com 65% dos entrevistados dizendo que estão seriamente preocupados. A fraude com cartões bancários fica em segundo lugar no nível de preocupação. Por isso, é necessário construir uma estratégia de segurança avançada. Deixe as senhas para trás em favor da biometria física e comportamental e crie resiliência com redes e ecossistemas definidos por software e com microssegmentação. Também aproveite a inteligência artificial para fornecer análises preditivas e fortaleça a criptografia avançada para defender-se dos futuros ataques.

Com esses três pontos incluídos e considerados no plano de transformação digital, estaremos garantindo confiança na experiência dos clientes e do mercado.

Luis Carlos Rego — Vice-Presidente de Serviços Financeiros da Unisys para América Latina