Mais comentada

Poder de Mark Zuckerberg preocupa investidores

Investidores receiam controle do cofundador do Facebook que, com apenas 27 anos, se verá posições acima de veteranos estrategistas, com poder até para escolher um eventual sucessor

AdNews,
Há algo preocupando o mercado investidor quanto à oferta inical de ações do Facebook: Mark Zuckerberg. Com a abertura de capital da companhia, teme-se as consequências de se manter tanto poder concentrado em uma única pessoa; a pergunta que fica é: será que ele dá conta?

Vários veículos estrangeiros trazem a discussão à tona. A BusinessWeek, por exemplo, diz que os 57% de poder de voto que ficarão nas mãos do CEO são um risco aos investidores e o The New York Times afirma que a operação toda não passa de uma grande aposta em Zuckerberg.

Com apenas 27 anos, o cofundador do Facebook se verá posições acima de veteranos estrategistas, com poder até para escolher um eventual sucessor.

"O público não tem qualquer influência no controle do conselho, o que na minha opinião é extremamente prejudicial a qualquer noção de responsabilidade", disse Charles Elson, professor de governança corporativa da Universidade de Delaware, à BusinessWeek. "É muito preocupante para os investidores, e é uma aposta ruim para eles."

O mesmo alerta é feito pela Reuters, que comenta: "Facebook revela planos para o maior IPO já feito em relação à internet, que pode levantar perto de US$ 10 bilhões, mas deixa claro que o CEO Mark Zuckerberg exercerá o controle quase total sobre a companhia, deixando os investidores com pouco a dizer."

Já o NYT usou a opinião dos usuários para mostrar que a operação financeira não preocupa apenas os investidores. Três horas depois do anúncio de IPO, Zuckerberg postou uma foto sobre o assunto, em que centenas de pessoas comentaram, algumas com posições do tipo "bom trabalho, você pegou o mundo todo para si, agora devolva-o" ou "por que abrir o Facebook apenas à elite? Dê a oportunidade para todos ajudarem a fazer o Facebook ser o que ele é".

O periódico também faz sua provocação: "As massas do Facebook vão exigir suas ações?"

Brasil em jogo

Quando fez a apresentação oficial da abertura de capital, o Facebook mostrou o quanto aposta no Brasil como um dos focos principais para lucrar. Ao lado da Índia, é um dos países que mais crescem na rede social de 845 milhões de usuários.

O Brasil possui 37 milhões de pessoas cadastradas, resultado de um crescimento de 236% visto em 2011 - que deixou o Orkut para trás.

Também está em jogo o fato de um país com quase 200 milhões de habitantes não ter nem metade da população conectada à internet. A perspectiva de crescimento é grande.

Com informações da Folha de S.Paulo



Tags: Facebook Mark Zuckerberg poder preocupação

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração