Artigo / Outras

A ORIGEM DA VILA MILITAR - RJ

Fabio Saores,

A ORIGEMDA VILA MILITAR - RJ
Fabio Soares Campos
Curso de História
Professor Orientador: Francisco Menezes
fbparaquedista@yahoo.com.br

Resumo
A Vila Militar – RJ, recentemente completou cem anos da sua criação.
Este legado referenciador nos traz a certeza de que sua construção não foi em
vão, pois passados todos esses anos, é visto e notório o quão o seu entorno
cresceu e progrediu. O período compreendido entre os anos de 1822 a 1908, ou
seja, desde o advento da Independência do Brasil, às desventuras e êxitos na
Guerra do Paraguai, passando pela Proclamação da República e findando com a
construção da Vila Militar, o Brasil se viu diante de muitas lutas e conflitos. Fruto
dessas experiências o Presidente - Affonso Pena -, juntamente com o Ministro da
Guerra - Hermes da Fonseca -, deram seguimento a medidas significativas no
campo militar, dentre elas a promulgação da Lei 1860, de 4 de janeiro de 1908,
que tornou o serviço militar obrigatório e determinava a organização da Força.
Para tal instaurou-se uma comissão a fim de tratar da Reorganização Geral do
Exército. Esta comissão resolve como forma de melhorar as condições da tropa,
criar uma área destinada a realização dos treinamentos militares, reformarem os
estabelecimentos de ensino militar, e por fim, desencadear a construção de
instalações mais apropriadas aos militares no exercício da profissão. Com isto
está formulado o objeto do estudo apresentado e espera-se justificar a
investigação desvendando o porquê da criação da Vila Militar - RJ, considerada
atualmente o maior conglomerado de quartéis da América Latina. Por ultimo, nos
será muito oportuno redescobrir novos fatos a respeito do tema.
Palavras chaves: Vila Militar. Exército. Comissão Construtora. Organização da
Força.

1. INTRODUÇÃO
Neste artigo pretende-se objetivar uma revisão bibliográfica do tema "A
origem da Vila Militar-RJ", contudo, nesta abordagem dar-se-á um enfoque com
vistas para o porquê da criação da Vila Militar-RJ.
Buscará expor informações novas e críticas ao tema, cujo período
histórico tem uma importância significativa para a história nacional. A nova
abordagem terá como delimitação o período compreendido entre os anos de 1822
a 1908. A relevância deste período justifica-se pelo fato de que com o advento da
Independência do Brasil – 1822, ocorreram significativos movimentos os quais
influenciaram um contexto histórico dentro da instituição denominada "Força
Terrestre" (FERRER, 2005). Já no "fim do processo", ou seja, início da construção
- 1907 - seria um marco referenciador, cuja etapa finda mudanças decorrentes
das experiências negativas e positivas da instituição envolvida. O tema sugerido
levará o leitor a um mergulho profundo no passado trazendo novos
esclarecimentos e novos questionamentos sobre o assunto, de forma que isso
justificaria o estudo aqui apresentado.
Este objeto de estudo pretende também despertar questionamentos
dispondo-se de temas cotidianos evolvendo a população circunvizinhas, tais como
questões de ordem urbana e segurança pública. Tais questões evidenciariam
dúvidas e anseios da localidade.
Por fim, ao tratar do tema "A origem da Vila Militar-RJ", cabe destacar que
as antigas fazendas de Afonsos, Sapopemba e Gericinó trazem consigo um
legado histórico e grandioso, na qual conduzem em seu solo pátrio um fortificado
e pioneiro sucesso fatídico, cujo leito do nascimento, surgiu da criação da
chamada Comissão Construtora. Tal comissão aproveitaria um contexto histórico
e momentâneo, que pelas conseqüências do passado acharam por bem,
desencadear medidas inovadoras na área militar. Então, acataram as ordens do
Comandante Supremo e iniciaram as obras, onde o desencadeamento deu-se no
dia 18 de novembro de 1907, com a realização da cerimônia de lançamento da
Pedra Fundamental [...] (1ª DE, Editorial, 2008).

Podemos afirmar que nos dias atuais o desenvolvimento das regiões
circunvizinhas deve-se, e muito, a esta criação. Sendo assim, está formulada a
contextualização necessária e presente, para a relevância do estudo
apresentado, cuja importância nos permitirá rever, analisar e levantar novos
questionamentos.
O método de pesquisa apresentado compôs-se, basicamente, da leitura
de documentos historiográficos tais como a Lei Presidencial Nr 1860, de 1907
(Arquivo Histórico do Exército, 2011), de pesquisas literárias de autores tais
como: Burton, Magnoli, Pedrosa, Castro, Ferrer, entre outros. Além das fontes
bibliográficas apresentadas, faz-se necessário dispor de fotografias atuais e do
início da construção.
Embora o foco da pesquisa seja a criação da Vila Militar – RJ, fez-se
necessário reportar-se, inicialmente, em meados do século XIX, no pós
Independência do Brasil - 1822, a fim de entender a problemática e justificativa da
construção do bairro. Nesta ocasião a Força Terrestre passou a ser considerada
por diversas autoridades do Império como uma ameaça à estabilidade política do
até então sistema recentemente instaurado. Tal fato limitante e determinador, em
que se relevava a igualitária presença de portugueses junto ao oficialato no
Exército, aliando-se a este fator uma provável ameaça a estabilidade imperial,
tendo em vista os motins que ocorriam por intermédio das praças. Esses aspectos
eram os causadores das profundas desconfianças junto à sociedade política que
temia o retorno do antigo regime (FERRER, 2005).
Com o temor das possíveis atitudes extremas e restauradoras realizadas
pelo oficialato, e, também, aliando-se a este fato as dificuldades financeiras em
manter o efetivo terrestre profissional, o governo imperial criou em 1831 a Guarda
Nacional, relegando a um segundo plano a antiga Força Terrestre. Esta Guarda,
basicamente, era auto financiada e constituía-se de um mecanismo de controle
eficiente e barato, que no final gerava lucros com a venda de patentes de oficias.
Desta forma, conclui-se que a Força Terrestre não teria relevância para o
Império até por volta de 1864, data esta que precedera o advento da Guerra do
Paraguai, evento este causador de muitas transformações na Força. Foi da campanha Paraguai que se redescobrem novas técnicas de
combate, das necessidades de mudanças nos regulamentos internos e na forma
de pensar na defesa do Território Nacional [...] (FERRER, 2005).
Conforme aborda Magnoli (2008), onde nos explica que diante dos
acontecimentos uma série de medidas foi tomada, cuja finalidade era obter
melhores resultados no desempenho interno e externo do Exército. Ações estas
necessárias e inerentes às atividades da caserna, pois objetivariam uma pronta
resposta e um pronto emprego operacional caso houvesse a necessidade de
acionar o Exército ou caso ocorresse alguma eventualidade.
Passados alguns anos da Guerra do Paraguai, mais precisamente na fase
que antecedera a Proclamação da República, vislumbravam-se no Brasil uma era
onde medidas inovadoras no campo militar eram necessárias, objetivando com
isto, melhoras nos fatores eficiência e proficiência. Tais fatores eram
preponderantes para a busca da modernidade. Foi no governo Affonso Pena, que
se resolve tomar medidas extremas e inovadoras, para corrigir eventual falha.
Com isto criou-se a Lei 1860, que como conseqüência, medidas tomadas
abrangeriam a construção da Vila Militar.

 

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Mesmo com o passar dos anos pode-se observar o bom estado de
conservação das antigas construções e da arborização local, que data do início
da construção. Outro aspecto a observar foi a mudança ocorrida num passado
recente, onde uma das vias do bairro (Av. Duque de Caxias), que anteriormente
corria o fluxo do trânsito no sentido bairro Magalhães Bastos para Deodoro,
passou a ser destinada aos transeuntes. A utilização desta via atualmente
destina-se às práticas de atividades físicas tais como corridas, caminhadas,
ciclismo, etc. A crescente urbanização no entorno é um fator a ser considerado,
levando em consideração o nascimento do bairro. Observa-se nos dias de hoje
um enorme desenvolvimento pelas vizinhanças da área militar e bairros
batizados com nomes de integrantes da antiga comissão construtora.
Diante do exposto podemos compreender que antes da independência do
Brasil, da Guerra da Tríplice Aliança e da Proclamação da República o Exército foi
relegado a 2º plano enquanto força militar de segurança. Isto se deu tanto na
esfera social quanto na esfera política e econômica, portanto, não possuía
significação expressa por entre as camadas sociais e políticas da Nação. Porém,
após uma momentânea calmaria, simpatia com a força e lucidez governamental,
promulgou-se a Lei 1860, fazendo com que esse Exército fosse organizado
agregando-se ao seu efetivo permanente, grande parte da sociedade, que
anteriormente encontravam-se as margens da estrutura socioeconômica do
Brasil.
Por fim, após todas essas mudanças a Força passa ocupar seu espaço
no delicado contexto social, político e econômico do país. Assim sendo, essa
instituição agora fortalecida passa a assumir posições políticas significativas no
contexto nacional, em meio às proximidades da 1ª Guerra Mundial.
Ao findar o tema, verificamos o quão a criação de um "Bairro", contribuiu
historicidade do país. Vimos o retrato da sua relação existente com fatos
importantes ocorridos no cenário historiográfico nacional que envolveu a
instituição denominada Exército Brasileiro.

 

4. REFERÊNCIAS
BRASIL. 1ª Divisão de Exército. Editorial dos cem anos da criação da Vila
Militar – RJ. Rio de Janeiro, 2008.
BRASIL. Ministério da Guerra. Lei 1.860, Rio de Janeiro, 1908.
BURTON, Richard F. Cartas dos Campos de Batalha do Paraguai. Rio de
Janeiro. Bibliex.
CERQUEIRA, Dionísio. Reminiscência da campanha do Paraguai, Rio de
Janeiro. Bibliex, 1980.
CASTRO, Therezinha de. História Documental do Brasil. Rio de Janeiro.
Bibliex.
FERRER, Francisca Carla Santos. Artigo Científico sobre a (Re)organização
do Exército Brasileiro na Guerra do Paraguai. Rio Grande, 2005.
MAGNOLI, Demétrio. História das Guerras. Rio de Janeiro. Contexto.
PEDROSA, J. F. Maya. A Catástrofe dos Erros. Rio de Janeiro. Bibliex.
SOUSA, Rainer. Revolução Federalista: Brasil República, Rebeliões na
República Velha. Disponível em:
<http://www.brasilescola.com/historiab/revolucao-federalista.htm>. Acesso em:
20 Abr 11.
Vila Militar: bairro do Rio de Janeiro. Disponível em:
< http://pt.wikipedia.org/wiki/Vila_Militar_(bairro_do_Rio_de_Janeiro) >. Acesso
em: 20 Abr 11.

Faça o download agora


Shopping