ࡱ> ^`]5@ KFbjbj22*ZXXG>DDDX04X(pe> :) 9$I()R,I(DaeI(^(8(RDrT""Dd |㚋q4(H(--XX-D,"I(I(XX XXIMPACTO DOS SISTEMAS INTEGRADOS DE RASTREAMENTO NA LOGSTICA EMPRESARIAL Luis Moura Silvio Hamacher Departamento de Engenharia Industrial Pontifcia Universidade Catlica do Rio de Janeiro RESUMO Este relatrio de dissertao em andamento descreve o objetivo, a metodologia e os principais resultados esperados com a dissertao de mestrado em andamento. Essa dissertao tem como objetivo descrever a forma com que os sistemas integrados de rastreamento afetam a logstica empresarial. Alm disso, a dissertao visa fornecer subsdios para que uma empresa faa o levantamento de informaes dos sistemas de satlites e, com isso, possa implementar e verificar o impacto que o uso dos sistemas integrados de rastreamento traz para os sistemas de logstica empresarial. Este impacto ser medido atravs de um questionrio que est sendo respondido por pessoas ligadas s reas de logstica e segurana de empresas de logstica, gerenciamento de risco e transportadoras que utilizem os sistemas integrados de rastreamento no estado do Rio de Janeiro. ABSTRACT This report describes the goal, the methodology and the main results expected for a master degree dissertation. The goal of this dissertation is to describe the way that integrated tracking systems affect the enterprise logistics. Besides that, the dissertation also aims to provide subsidies for an enterprise to collect information satellite systems and, with this, make possible the implementation of an integrated system of tracking and the check of the impact of its utilization to enterprises logistics systems. This impact will be measured based on a questionnaire that will be answered by people linked to areas of logistics and safety of logistics enterprises, risk management companies and transportation companies that use the integrated tracking systems located on the State of Rio de Janeiro . INTRODUO At alguns anos atrs, quando o motorista cruzava os portes da transportadora e saa com os caminhes, ele se tornava a pessoa mais importante da empresa, tanto o veculo quanto a carga ficavam em suas mos. Todavia a necessidade de uma gesto logstica mais eficiente aliada o crescente nmero de roubo de cargas no Brasil obrigou o mercado de transportadores a aprimorar suas ferramentas de gesto. Baseado nas estatsticas de cargas seguradas feita pela Pancary, o roubo de cargas nas estradas vem crescendo de forma acelerada nos ltimos anos. Entre 1994 e 2001, o nmero de ocorrncias por ano, cresceu de 3.000 para 8.000, ao mesmo tempo em que o valor das cargas roubadas, se elevavam de R$ 100 milhes para R$ 500 milhes. A estas perdas diretas adicionam-se umas sries de outros custos resultantes da preocupao com a segurana: roteirizaes ineficientes, baixa utilizao de capacidade para minimizar risco, gastos com segurana (CNT e COPPEAD, 2002). Nesse contexto, transportadores e operadores logsticos tm que investir em uma forma segura da carga chegar ao seu destino em tempo hbil e de forma completa, surge da a emergncia os sistemas integrados de rastreamento. Com o advento dos sistemas de localizao, toda informao referente viagem passou a ser disponibilizada, pautada e orientada para o completo gerenciamento da frota. Tendo em vista as constantes atualizaes e inovaes da tecnologia utilizada para controlar a movimentao dos veculos no transporte de cargas, de modo a aumentar a segurana e a eficincia na utilizao na logstica da frota, esta dissertao prope observar o impacto que o uso dos sistemas integrados de rastreamento via satlite traz para os sistemas de logstica empresarial em um mbito geral. Estes ganhos so obtidos especificamente na rea de logstica de distribuio, gerenciamento de risco (segurana) e satisfao ao cliente (e-commerce). Este impacto ser medido atravs de um questionrio que dever ser respondido por pessoas ligadas diretamente s reas de logstica e segurana das empresas. Posteriormente, sero exibidos os resultados alcanados at o momento, com a demonstrao de caractersticas da aplicao. Por fim, sero traadas as metas futuras do projeto. O Gerenciamento de Risco consiste no planejamento das aes de preveno de riscos operacionais relacionados segurana das cargas transportadas, objetivando reduzir e minimizar o ndice de sinistros, garantir a qualidade dos servios prestados e o cumprimento dos prazos de entrega contratados. O Gerenciamento de Risco permite empresa que tenha o SIR instalado oferecer para a sua clientela a mais ampla cobertura securitria, na forma da legislao vigente, com aplices que contemplam desde acidentes rodovirios, avarias e faltas de mercadorias, at incndios, furtos e roubos, assim como a administrao da movimentao da frota. Esta movimentao feita pelos SIR, que possibilitam o acompanhamento ou rastreamento de cada veculo durante todo o percurso de transporte. O presente relatrio est dividido em 4 sees, incluindo esta introdutria. A segunda seo apresenta dois sistemas integrados de rastreamento: os bloqueadores e os rastreadores. A terceira seo apresenta o desenvolvimento da dissertao de mestrado e a quarta e ltima seo apresenta as consideraes finais desse relatrio. 2. SISTEMAS INTEGRADOS DE RASTREAMENTO a tecnologia utilizada para controlar a movimentao dos veculos no transporte de cargas, de modo a aumentar a segurana e a eficincia na utilizao da frota. Em geral, cada veculo equipado com um mdulo eletrnico que inclui um receptor de GPS e um dispositivo de comunicao, que permite a troca de mensagens entre os veculos e uma Central de Controle. Entre as tecnologias utilizadas nos mercados, esta seo apresenta os sistemas e as suas respectivas possibilidades de uso. De acordo com autor (Souza, 2003), esses sistemas podem ser divididos em bloqueadores ou rastreadores. 2.1 Bloqueadores Bloqueadores so dispositivos de segurana que permitem o bloqueio do veculo distncia utilizando um pager embarcado no veculo. A estrutura de antenas que geram os sinais , na maioria das vezes, de responsabilidade das operadoras de pager. A abrangncia a dos sistemas de pager, que engloba os grandes centros urbanos. Trata-se de equipamentos simples, que tm, normalmente, funes antifurto. No fornecem a localizao, pois no so capazes de enviar informaes. Tem como vantagens o preo bastante acessvel e funciona mesmo em ambientes fechados. Entre as desvantagens podemos citar a dependncia do usurio e possui uma rea de abrangncia limitada (Souza, 2003). 2.2 Rastreadores O rastreamento de veculos incorpora inmeras possibilidades de uso, e h opes de diferentes sistemas com os quais o usurio pode contar. H desde exemplos voltados principalmente para o controle de itinerrios de caminhes at sistemas recomendados para quem quer monitorar os passeios do carro novo. Os sistemas disponveis para esta funo so: localizao por direcionamento, triangulao de antenas e a utilizao da constelao GPS. O uso do GPS atualmente o mais comercializado no mercado de transportadores e operadores logsticos. Com o GPS temos trs opes: 1) GPS + Celular, 2) GPS + Rdio, 3) GPS + Satlite. De acordo com Letahm (1996), o sistema GPS (Sistema de Posicionamento Global ) baseado em 24 satlites colocados em rbita do planeta Terra pelo governo dos Estados Unidos, os quais ficam permanentemente transmitindo sinais de controle para a Terra, de modo gratuito. Um aparelho receptor de GPS em qualquer lugar do planeta em que consiga sincronizar com pelo menos 4 desses satlites, poder determinar sua localizao em termos de latitude, longitude e altitude, sua velocidade e sentido de deslocamento. Na triangulao de antenas; trata-se de um sistema que segue o mesmo conceito aplicado aos satlites, porm utilizando antenas em terra. Oferece uma localizao muito precisa, um custo de transmisso muito baixo, porm com uma rea de abrangncia limitada. 1) GPS + Celular: localiza via GPS conforme descrito e transmite as informaes de coordenadas por um telefone embarcado no veculo. Recebe os comandos de bloqueio tambm por esse telefone. O funcionamento para localizao depende do GPS e, para efeito de monitoramento (envio de sinais), depende do celular. 2) GPS + Rdio: localiza via GPS conforme descrito e transmite as informaes de coordenadas por um rdio transmissor embarcado no veculo. Recebe os comandos de bloqueio tambm por esse rdio. O funcionamento para localizao depende do GPS e, para efeito de monitoramento (envio de sinais), depende da potncia do rdio. 3) No GPS + Satlite: nesta opo, a transmisso de sinais pode ocorrer, por exemplo, a cada minuto, por causa do baixo custo da comunicao via satlite. Por isto, trata-se de um sistema muito indicado para o uso em caminhes. Alguns possuem computadores de bordo, que permitem que o motorista envie textos livres ou formatados para a central, relatando ocorrncias ou avisando sobre qualquer necessidade de mudana na rota, como tambm os tempos de paradas. Dependendo do sistema escolhido pode-se ter uma soluo simples, com apenas o rastreamento propriamente dito, at uma soluo mais completo que possui todas as funcionalidades integradas (rastreamento, troca de informaes entre a central e o veculo, acionamento de sensores a longa distncia). 3. Desenvolvimento do Trabalho Considerando-se o critrio de classificao de pesquisa aqui desenvolvida, toma-se como base a qualificao em relao a dois aspectos: quanto aos fins e quanto aos meios. Quanto aos fins, a pesquisa ser de investigao explicativa, devido tecnologia do sistema de GPS estar sendo cada vez mais utilizado nas empresas para a obteno de um ganho logstico empresarial. Quanto aos meios, a pesquisa ser bibliogrfica, de investigao EX POST FACTO e de campo. Bibliogrfica, porque as fundamentaes tericas do trabalho esto baseadas em literatura especializada, materiais publicados e em relatrios empresariais de organizaes lderes de mercado. A investigao ser, tambm, EX POST FACTO, porque se utilizar fato j ocorrido nas empresas que digam a respeito ao objeto de estudo. A pesquisa ser de campo porque coletar dados utilizando o questionrio aqui desenvolvido. O universo da pesquisa de campo ser feito em todas as empresas de logstica, gerenciamento de risco e transportadoras que utilizem os sistemas integrados de rastreamento no estado do Rio de Janeiro. A amostra foi definida pelo critrio de selecionar as empresas de logstica, gerenciamento de risco e transportadoras que tenham acima de 20 equipamentos e mais de 6 meses de uso. Os sujeitos de pesquisa sero funcionrios da rea de logstica e segurana da empresa, sendo participantes estes: diretores de logstica, diretores de segurana, diretores operacionais, gerentes de logstica, gerentes de segurana, gerentes de distribuio, analista de logstica, analista de segurana, tcnicos de logstica, tcnicos de segurana, operadores de logstica e operadores de segurana, todos devem trabalhar na rea por mais de um ano. Este tempo relevante porque, de acordo as atualizaes do mercado com as novas tecnologias. Como as mudanas vo ocorrendo medida que novas tecnologias so disseminadas, necessrio certo tempo para tal disseminao e absoro. No por outra razo que os funcionrios que respondero a pesquisa devero estar vinculados a uma mesma empresa, no mnimo, h 3 meses . Foi elaborado um questionrio especfico para cada rea de atuao (logstica e segurana ). Este questionrio contm um total de 25 perguntas, sendo 18 perguntas da rea de logstica e 7 perguntas da rea de segurana. A distribuio ser feita atravs de e-mail, fax e pessoalmente, a devoluo do mesmo poder ser feita atravs de e-mail, fax, carta ou pessoalmente. At o momento j foram distribudos 160 questionrios pessoalmente, 70 questionrios por e-mail, 10 questionrios por fax. A devoluo foi de 85 dos questionrios distribudos pessoalmente, 15 dos questionrios distribudos por e-mail e 3 dos questionrios distribudos por fax. Foi criado um banco de dados com a ferramenta Access com o objetivo de realizar uma avaliao estatstica. O passo seguinte ser o levantamento dos clusters. Estes cluster visam reagrupar as informaes obtidas no questionrio por grupos com comportamento semelhante. 4. CONCLUSES. O desenvolvimento da dissertao mostrou at o momento um grande potencial dos sistemas integrados de rastreamento. Os sistemas integrados de rastreamento provaram ser um mtodo flexvel e poderoso, resolvendo vrios tipos de problemas logsticos e de segurana, alm de a obteno de solues boas para problemas complexos em tempo reduzido das reas de logstica e segurana. O objetivo da dissertao ser observar os ganhos que o uso dos sistema integrados de rastreamento via satlite traz para o sistemas de logstica empresarial em um mbito geral, ganhos estes voltados especificamente para as reas de Logstica de Distribuio, Gerenciamento de Risco ( segurana ), Satisfao ao Cliente (e-commerce ). Apesar dos fortes evidncias que os SIR auferem benefcios logsticos, os custos de aquisio dos equipamentos de SIR ainda so muito altos para uma grande parte significante do mercado de transporte rodovirio. Completo e instalado, um SIR pode chegar a R$ 10 mil por veculo se o cliente optar pelo hardware e software completos, com todas as ferramentas de logstica e gerenciamento de risco. Se optar apenas pelos SIR de logstica, vai pagar na faixa de R$ 5 mil a R$ 8 mil, dependendo da tecnologia escolhida. Faz parte do pacote a instalao do equipamento no caminho e do software, alm disto tambm necessrio considerar o treinamento para utilizao do SIR em ambos os casos. Depois de comprar o sistema, o cliente se torna um assinante do servio de comunicao. A mdia de comunicao por caminho varia de R$ 150,00 a R$ 180,00 - para quem usa os sistema apenas para logstica - e de R$ 210,00 R$ 240,00 para o pacote completo, de logstica e segurana. Geralmente o treinamento dos usurios e a garantia de um ano, incluindo mo-de-obra, so fornecidos pelo fabricante do SIR e so gratuitos. H tambm em algumas das empresas fornecedoras dos SIR um servio de ps-venda que est dentro do pacote adquirido. Segundo Ferronato (2004), estima-se que existam no mercado brasileiro em torno de um milho e oitocentos mil caminhoneiros que ainda no investiram em nenhum tipo de SIR. Na nossa opinio, o problema principal no custo de aquisio ou de manuteno por dos SIR, mais sim uma questo cultural. Grande parte da frota de caminhes brasileira ainda de profissionais autnomos ou de pequenas empresas, que ainda no dispem de uma gesto profissional adequada. Isto faz que o suo de tecnologia ainda seja pouco disseminado nestas empresas. Todavia o mercado transportador brasileiro est enfrentando a concorrncia de novos players, o que est obrigando as empresas nacionais a se modernizarem rapidamente e por isso cremos que os SIR tm um futuro bastante promissor pela frente. Referncias Bibliogrficas Letham, Lawrence . GPS Made Easy. Canad , 1996. Confederao Nacional de Transportes e o Centro de Estudos em Logstica do Coppead / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Transporte de Cargas no Brasil Ameaas e Oportunidades para o Desenvolvimento do Pas, Setembro 2002. Souza, O. Controle Via Satlite Transporte Moderno, Revista Transporte, nmero 401, setembro 2002, pp. 17 ______________________________________________________________________________________ Luis Moura (slmoura10@ig.com.br) Slvio Hamacher ( HYPERLINK mailto:hamacher@ind.puc-rio.br hamacher@ind.puc-rio.br) Departamento de Engenharia Industrial, PUC-Rio de Janeiro Rua Marqus de So Vicente 225/9o andar, CEP 22453-900, Rio de Janeiro, RJ. e  ( PR]%&OP6  !!Q$1&2&O&+,,,@.B0488:::q;s;%<&<H<I<%>&>PCRCmCCCDrDDDDDzE׷ðװר h6h2hh2hh2hCJaJh2hCJaJ hCJhhB*CJhph h5h2hh2hCJ h2hCJ hCJhmH sH h5mH sH  hCJh h5CJ:IJUe  ( PQR$a$1$$a$1$$1$a$F1$C$Eƀvf1$GFJFR]qkk`F$Eƀvfa$H & F1$Eƀ_vf.%&PQ67 !!!$a$ hh1$^h`$a$gd2h$a$HC$Eƀvf`!3'5'l(m())++,,,v-w-?.@.B0C01144888: hh1$^h`$a$gdu1$$a$::q;r;s;H<I<&>'>@@A@@@PCQCRCmCCDDiEEEGFHFIFJF$a$1$$a$gdu$a$gd2hzE{EEEEEEFFKF h>*H* h0JjhUhjhU JFKF(&P PBP. A!"n#$%DyK hamacher@ind.puc-rio.bryK >mailto:hamacher@ind.puc-rio.br<@< Normal1$_HmHsHtH :@: Ttulo 1 $1$@&5D@D Ttulo 6$ & F1$@&5CJ>@> Ttulo 7 $1$@&5CJD@D Ttulo 8$$1$@&a$5CJL @L Ttulo 9 $$S1$@&^Sa$5CJ>A@> Fonte parg. padroXiX  Tabela normal :V 44 la ,k, Sem lista XYX Estrutura do documento-D  OJQJkH>B@> Corpo de texto$a$FP@F Corpo de texto 2$a$CJBQ@"B Corpo de texto 3$a$0U@10 Hyperlink>*B*@V@A@ HyperlinkVisitado>*B* 6>@R6 Ttulo $1$a$CJ,RC@bR Recuo de corpo de texto ``R@r` Recuo de corpo de texto 2$`a$CJ\S@\ Recuo de corpo de texto 3$h`ha$D^@D Normal (Web) 1$ddCJLL Texto de baloCJOJQJ^JaJD'D Ref. de comentrioCJaJBB Texto de comentrioLjL Assunto do comentrio5\K>K>ZIJUe(PQR]  %&PQ67 35l m !!##$$$v%w%?&@&B(C()),,00022q3r3s3H4I4&6'6@8A888P;Q;R;m;;<<i===G>H>I>L>00000000000000 0000000p00p000000 00x0 00x0 00p0p0p0p0p0p000p0p0p0p00p00p0(0(0(0(0(0000000000000000p0000080@00800(00 00 0000 M900M9000zEKF$+R!:JFKF%'()*,JF&z===K>X8  @ 0(  B S  ?K> _Hlt455833798 _Hlt454859203==L>==L>[,f[DM??L>BBL>9*urn:schemas-microsoft-com:office:smarttagsState9*urn:schemas-microsoft-com:office:smarttagsplace I8R8::G>L>zFO  zJ-U-%080L11[2f2335578C9J9;%;G>L>33R]G>L>G>L>AutotracAutotracAutotracAutotracAutotraclfscavaAutotracAutotracAutotracLuis8jwhr@gz52,Hdl^`lo(UlU^U`lo(.R0R^R`0o(.. 0 ^ `0o(... <<^<`o( .... ^`o( ..... &`&^&``o( ...... `^``o(....... ^`o(........hh^h`o(.hh^h`o(.0^`0o(..0^`0o(... 0^`0o( .... 88^8`o( ..... 88^8`o( ...... `^``o(....... `^``o(........hh^h`o(.hh^h`o(.0^`0o(..0^`0o(... 0^`0o( .... 88^8`o( ..... 88^8`o( ...... `^``o(....... `^``o(........hh^h`o(wh,Hgz58uq7d2h%4<<=F>L>@\\RJ0201\hp LaserJet 1000Ne04:winspoolhp LaserJet 1000\\RJ0201\hp LaserJet 100034 XSDDMhp LaserJet 1000 -dd\\RJ0201\hp LaserJet 100034 XSDDMhp LaserJet 1000 -ddK>@@UnknownlfscavaAutotracGz Times New Roman5Symbol3& z Arial5& zaTahoma"A\vfӈ;v K 4qK 4q!24d(>(>i3QH?2h=Sistemas Integrados de Rastreamento na logstica empresarial. ANPET - 2003Luis Moura - Luis 10Luis    Oh+'0 ,8H Xd    >Sistemas Integrados de Rastreamento na logstica empresarial.  ANPET - 2003graLuis Moura - Luis 10e RuisuisNormaluLuislu12sMicrosoft Word 10.0@_@M-@E5@J՚K 4՜.+,D՜.+,    fDissertao em AndamentonSilvio HamacherPUC- RJZq(>A >Sistemas Integrados de Rastreamento na logstica empresarial. Ttulo 8@ _PID_HLINKSAx1 mailto:hamacher@ind.puc-rio.br  !"#$%&'()*+,-/012345789:;<=>?@ABCDEFGHIJKLNOPQRSTVWXYZ[\_Root Entry F 㚋aData .1Table6$-WordDocument*ZSummaryInformation(MDocumentSummaryInformation8UCompObjn  FDocumento do Microsoft Word MSWordDocWord.Document.89q