Artigo / Teoria das Organizações

Longevidade empresarial: MPEs a uma taxa de sobrevivência atípica

O presente estudo buscou analisar dez empresas de micro porte do setor de varejo, na cidade de São Bernardo do Campo/SP, que estão em atividade até o presente momento e que conseguiram superar e vencer as taxas de mortalidade empresarial e a predatória concorrência mercadológica

A quantidade de micros e pequenas empresas que encerram suas atividades no Brasil antes de dois, três ou cinco anos chega a taxas de mortalidade que se aproximam dos 75%. O presente estudo buscou analisar dez empresas de micro porte do setor de varejo, na cidade de São Bernardo do Campo/SP, que estão em atividade até o presente momento e que conseguiram superar e vencer as taxas de mortalidade empresarial e a predatória concorrência mercadológica. A investigação iniciou-se pelo ABC paulista, além de um levantamento no SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e na JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo) para descobrir a quantidade de micros e pequenas empresas que estavam em atividade e que foram inauguradas entre 2006 e 2007. A discussão sobre o tema da longevidade empresarial, ou seja, entender quais foram as capacidades que algumas empresas tiveram para manter-se operante por tantos anos foi fator decisivo para o estudo. O objetivo central foi verificar a forma de administrar e conduzir os negócios destes dez empresários que fizeram com que suas empresas tivessem sobrevida no mercado. Este estudo desenvolveu uma pesquisa exploratória para formatação do referencial teórico e uma pesquisa de campo qualitativa a partir de uma amostra não probabilística, por cota, com entrevistas em profundidade.

Faça o download agora