Educação afetiva nas organizações

Ser indiferente, rude ou arrogante é depositar no outro os seus piores sentimentos e, em troca receber a solidão. Uma poupança que se faz para o futuro, para a velhice. Mas, o que realmente vai fazer a diferença é a forma como você enxerga a vida e as pessoas, agora.

Um dos segredos da vida é saber se relacionar. Não adianta de nada você ser um excelente profissional, uma pessoa com um extenso currículo, alguém que poderíamos chamar de Top, se você não consegue se dar bem com os demais.

Veja, consideração pelos outros, por exemplo, é uma qualidade maravilhosa. Acredito que essa qualidade seria, inclusive, o maior
atrativo que alguém pode ter. Pratique-a e verá sua vida mudar da água para o vinho!

Muita gente pensa que afetividade não se aprende. Amar é um aprendizado constante. Educar a si mesmo para expressar a sua afetividade pode transformar a sua vida e, a vida das pessoas que estão próximas a você. Seja no ambiente de trabalho, em sua casa ou no seu relacionamento íntimo, o afeto é o caminho para conviver bem e também extrair o melhor de cada pessoa.

Todos nós passamos por dificuldades, ninguém está imune as intempéries da vida. Por melhor que você seja, por melhor que você aja, é fato,  não irá agradar a todos. Porém, educação afetiva serve para o seu crescimento pessoal. Você investe na sua melhoria interna e isso reverbera. Reflete luz, que brilha e faz resplandecer.

Portanto, permita-se reconhecer a importância de um sorriso, um abraço ou carinho inesperado, gratuito e desinteressado. Ouvir também é uma forma de demonstrar afeto. Suas palavras e atitudes devem estar em consonância  com o seu coração.

Em muitas partes do mundo, as pessoas são tocadas, por uma imagem, por uma mensagem por uma atitude que demonstre afeto. Não importa a sua posição social, onde vive, o que faz, sua condição financeira. Você é humano! E ser humano é ser portador de sentimentos e emoções que se não expressados nos fazem adoece.

Ser indiferente, rude ou arrogante é depositar no outro os seus piores sentimentos e, em troca receber a solidão. Uma poupança que se faz para o futuro, para a velhice. Mas, o que realmente vai fazer a diferença é a forma como você enxerga a vida e as pessoas, agora, é o modo como você expressa o amor e compaixão que existem dentro de si.

Sucesso e felicidade todos podem conquistar, mas viver uma vida plena só é possível quando aprendemos a expressar nossos sentimentos bons. Sempre que estiver sentindo raiva, ciúme ou qualquer outro sentimento negativo, você é cumplice deles ao descarrega-los em outras pessoas. Então, eduque-se para erradicar sentimentos destrutivos e aprender a expressar os bons
sentimentos.

Estudos comprovam que a educação afetiva ganha cada vez mais espaço dentro das organizações. Os benefícios são inúmeros: minimizar conflitos, melhorar o potencial produtivo dos colaboradores, modificar comportamentos, além de unir e favorecer a comunicação entre as equipes de trabalho.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: comportamento gestão de pessoas liderança relacionamento trabalho em equipe

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração