Como seria o mercado de trabalho se as pessoas tivessem super poderes?

Ao contrário do que muitos pensam, a sociedade não entra em caos e super vilões começam a aparecer.

O ano é 2067, um grande incidente nuclear acontece e pessoas por todo o globo começam a desenvolver individualidades fantásticas. Ao contrário do que muitos pensam, a sociedade não entra em caos e super vilões começam a aparecer.

Os cidadãos depois de um momento de tensão começam a retomar sua vida cotidiana e seus trabalhos mundanos, entretanto, devido à exposição ao conteúdo radioativo todos agora possuem um super-poder que que o permite façanhas incríveis. Elas podem ajudar ou não o seu trabalho, e por isso, muitos decidem mudar de profissão para melhor aproveitar sua mutação.

Foquemos na pequena cidade de Laturandia, com cerca de 115 mil habitantes. O prefeito, Thomas Miguel, exímio administrador e líder, depois de acalmar o estado de calamidade antes instaurado, comanda seu povo rumo à estabilização, utilizando-se da premissa: Não tenha medo, use-a para o bem do povo. (Se referindo aos poderes adquiridos). A transição profissional ocorre gradativamente visando o máximo aproveitamento das novas habilidades e a sociedade agora entra em uma época de prosperidade, eficácia e eficiência.

Depois de uma breve análise, assim se configurou a sociedade pós-organização:

(Use esse momento para deixar sua imaginação livre e pensar em qual poder mais te ajudaria no desenvolver de suas atividades)

Invisibilidade: Para esse poder uma profissão está fazendo uso dele mais do que todas, o Jornalismo. Pessoas agora estão infiltradas em todos os locais, cobrindo todos os furos de reportagem e descobrindo todos os maiores segredos escondidos. Sigilo é uma palavra extinta e a profissão está em alta. A mídia como um todo faz uso dessa individualidade, visando extrair o máximo de informações possíveis (Os famosos odeiam isso).

Super força: Certamente essa habilidade não é tão útil para atividades de escritório, os maiores beneficiados são os trabalhadores braçais. A turma da logística obteve um alto desempenho, causando um desequilíbrio de mercado, pois, para fazer a mudanças de um apartamento, carregar paletes e caixas e etc, agora ao invés de 5 ou 100 funcionários, só basta 1. O mercado de máquinas também está ruindo, carregar material pesado agora não exige um aluguel caro de máquinas, mas sim de bons funcionários. A categoria tem se mobilizado para melhorias salariais devido ao desgaste físico.

Super velocidade: Os correios e as empresas de logística (delivery e transportadoras) realizam entregas em segundos, fazendo quase que extinguir as empresas físicas. Elas são necessárias apenas para você provar um produto ou coisas do gênero, mas tudo é feito online e os custos, muito baratos ou até inexistentes.

Ler mentes: Certamente essa habilidade se tornou muito útil nos âmbitos relacionados à justiça. Policiais, juízes, procuradores e etc geralmente detém esse poder. Aliado a um bom senso de realmente querer fazer justiça, mentir para eles é quase impossível. A impunidade é a menor já vista na história e aliado a uma mídia atuante, o mundo vive um período de justiça e transparência.

Super inteligência: Eles meio que já tinham esse poder, né? Mas agora todos os professores são dotados de uma capacidade intelectual elevadíssima e conseguem atuar em 2 frentes: Desenvolvimento tecnológico e humano. Eles guiam nossa sociedade com suas invenções e descobertas. Desbravando melhores sistemas políticos/sociais, energia limpa e produtos/serviços que facilitariam a vida da população em vários aspectos. Por consequência, temos agora profissionais em todas as áreas muito mais capacitados.

Multiplicação: O que precisa de mais pessoas para fazer melhor o que já se faz? As ONG`s! Todo o trabalho voluntário é escasso, tanto de recursos como dinheiro, medicamentos, produtos e etc, quanto de pessoas. As pessoas que podem se multiplicar ocupam várias profissões, entretanto, houve uma instrução para a convergência dessas pessoas para organizações não governamentais, visando ajudar o maior número de pessoas possível.

Curar: Os nossos ilustres profissionais da saúde agora exercem com mais primazia o dom da cura. Não existem doenças terminais e a expectativa de vida aumentou drasticamente. Geralmente as pessoas morrem de velhice e podemos desfrutar mais tranquilamente das nossas vidas, sem se preocupar os sermos pegos de surpresa por doenças genéticas, esporádicas e acidentes.

Manipulação dos elementos: O controle da água, fogo, terra e ar ficou destinada a todos àqueles que trabalham com a agricultura, pecuária, preservação e manutenção ambiental. Cuidar do nosso planeta é extremamente importante, mas sabemos que nem todos o fazem. As pessoas que trabalham diretamente com a natureza podem desfrutar de poderes para manipulá-la, as pessoas agora destinam-se a evitar desastres naturais, proteger a fauna ea flora, desenvolver mais produtividade e sustentabilidade e por fim, preservar todo o nosso meio ambiente.

Invulnerabilidade: A habilidade de não poder ser ferido por nada foi aplicado à nossa área de segurança. Certamente ainda existe crime e pessoas ruins nesse universo paralelo. O medo da retaliação exige estratégias perfeitas e muito bem elaboradas. Exército, polícia, fuzileiros e etc podem exercer suas funções de proteger a sociedade de "peito aberto" agora mais do que nunca. Aliado, claro, a um forte esquema tático (intelectualmente falando).

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)