10 erros que fazem pequenos negócios fracassarem no Vetor Norte de Belo Horizonte

O Vetor Norte de Belo Horizonte tem se desenvolvido e crescido nos últimos anos. Mas por que tantas empresas surgem e em poucos meses fecham as portas? Quais os principais erros cometidos pelos pequenos gestores?

Nos últimos anos o Vetor Norte de Belo Horizonte recebeu investimentos dos governos federal e estadual, com isso houve uma super valorização da região, até então, pouco cobiçada pelas empresas e pela classe média.

Com o foco para o lado norte da cidade, assim como as cidades que compõe todo este eixo norte, como por exemplo Vespasiano, Lagoa Santa, São José da Lapa e Pedro Leopoldo, esta região cresceu consideravelmente em número de habitantes e novas empresas.

Agora este Vetor Norte conta com diversas opções hoteleiras e gastronômicas, focadas no turismo e lazer. Para aqueles que decidiram residir, a região recebeu grandes nomes no setor da construção civil, com ofertas de casas e apartamentos dentro e fora de condomínios para diferentes públicos. Na área da educação redes de escolas do ensino básico, fundamental e centros de idiomas, estão marcando presença e disputando o mercado. O setor de serviços conta atualmente com grandes marcas que há poucos anos eram encontradas apenas na região centro-sul de Belo Horizonte.

Todo este movimento de grandes marcas migrando para esta região, assim como novos negócios surgindo devido ao crescimento no número de habitantes, fez com que os pequenos negócios locais escolhessem entre se modernizar e oferecer melhor nível de serviço e atendimento, ou serem engolidos pela concorrência.

É comum vermos muitas ofertas de salas, lojas e espaços comerciais com placas de vende-se, aluga-se ou “passo o ponto”. Por um lado, devido a inauguração de novos espaços no setor imobiliário com pequenos centros comerciais, prédios e galpões. Espaços estes que oferecem opções para o empreendedor que busca um melhor custo benefício entre localização, modernidade e segurança.

Mas por outro lado, a má gestão do pequeno negócio e a falta de profissionalização de empresários tem feito com que empresas tradicionais desapareçam em pouco tempo, da mesma forma, novos negócios que surgem, mas não ultrapassam os dois primeiros anos de vida, segundo dados do Sebrae (2018).

Mas quais são os principais erros cometidos que levam estas empresas ao fracasso em tão pouco tempo?

Abaixo uma breve lista dos principais problemas identificados em consultorias prestadas pela Capacita Gestão.

1- Enquanto as novas marcas chegam oferecendo opções de serviços e produtos, por vezes o empreendedor local continua mantendo o foco nos mesmos produtos e serviços sem inovação.

2- Empresas domiciliares, sem uma sede comercial e que tem por costume “tirar férias” em pleno dia útil, fechando por uma semana ou dez dias (normalmente o aviso é pelas mídias sociais). Isso faz com que o consumidor não tenha confiança na marca.

3- Empresas que não são devidamente formalizadas, neste caso não podem emitir nota fiscal. Isso inviabiliza que façam vendas de empresas para empresas, por exemplo.

4- Limitação das opções de pagamentos, muitos negócios não possuem uma máquina para pagamento em cartão de crédito, aceitando apenas pagamento em dinheiro também. Este é um fator que limita o crescimento do pequeno negócio e faz com que o consumidor migre para a concorrência que oferece mais opções e facilidades.

5- Ausência nas mídias sociais é um erro que diminuí consideravelmente a visibilidade da marca. Estar presente ativamente é fundamental para se fazer lembrado na memória do consumidor. É válido ressaltar que atualizar as publicações e responder os contatos recebidos também é igualmente recomendável.

6- Horário de atendimento restrito, fecham cedo e não tem entregas em domicílio. Este fator faz com que o consumidor que não queira se deslocar até o estabelecimento opte por outra marca que ainda que cobre a taxa de entrega, faça a entrega.

7- Atendimento pouco profissional, deixando o consumidor entender que ele está fazendo um favor para a marca. Seja por telefone que toca e ninguém atende, seja no balcão em que o atende não lhe dirige a palavra ou deixa esperando em pé por longos minutos. Falta treinamento e capacitação para atender de forma profissional.

8- Muito comum em pequenas empresas os gestores não conseguirem saber o que tem em seu estoque tanto de matérias-primas, quanto de produtos acabados. Não saber gerenciar o seu estoque. É um erro que possibilita a falta ou a sobra desnecessária de matérias-primas para produção, ou então faz com que o consumidor tenha que programar o seu pedido de compra, sendo em muitos casos inviável quando o desejo é imediato.

9- Dificuldade em fazer da função compras um departamento que deve ter um planejamento, fazendo pesquisas, comparação de preços e busca por fornecedores e parceiros que possam manter o mesmo nível de qualidade a um custo menor.

10- Entender que o pequeno negócio deve ter sua gestão à luz da administração, praticando conceitos básicos para que a saúde da empresa não seja afetada. Princípios básicos como separar o dinheiro do caixa da empresa, do dinheiro do dono (sócio/gestor) é um dos erros mais comuns percebidos em empresas de micro, pequeno e médio porte. Dentro desta perspectiva, entender que o faturamento da empresa não é a renda bruta dos sócios.

Estes são apenas alguns dos erros mais cometidos, mas que são característicos de pequenos negócios indiferente da região em que estejam localizados. Claro, quanto mais exigente for o mercado, menos espaço para estes equívocos, pois rapidamente fracassará e na luta pela sobrevivência no mercado, prevalecerá somente aqueles que exercem uma gestão de forma madura e consciente.

Por Flávia Chinelato
Doutora em Administração | Mestre em Administração | Administradora com Habilitação em Comércio Exterior
Gerente da Capacita Gestão | Consultora do Grupo Atus
Professora de Pós-Graduação
www.capacitagestao.com.br | www.grupoatus.com.br
contato@capacitagestao.com.br

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: administração Belo Horizonte Capacita Gestão Flávia Chinelato Fracasso Gestão Grupo Atus Micro Empresa Negócios Pequena Empresa PME Vetor Norte