Bloco K otimizado – Elemento estruturante 1: cadastro do item

O elemento central para atender os requisitos do Bloco K é o Cadastro de itens. Posição similar é ocupada pelo cadastro de itens em implantação e uso de ERPs e gestão eficiente de operações

Vamos falar hoje sobre o cadastro do Item. De modo representativo ocupa a pole position dos elementos estruturantes contidos no Bloco K.

Lembro-me, no início da minha carreira profissional, quando era integrante do time de implantação de um renomado ERP numa companhia multinacional, que a consultora sênior da software house lembrava-nos sempre “Cadastro do Item é a mãe do Menino Jesus. É Nossa Senhora. Trate com atenção e carinho”.

Tudo começa pelo cadastro do item. Para o Bloco K também. Para atender os requisitos de prestar informações mensais da produção, consumo de insumos e do estoque escriturado, todos os itens movimentados e estocados devem ter um cadastro, num banco de dados único e centralizado.

O Bloco K requer 12 campos de identificação para cada item, como código, descrição, unidade de medida de estoque, código de barras, NCM, Alíquota de ICMS, entre outros, sendo que nem todos são obrigatórios.

Note que são poucos campos, se compararmos com Cadastro de itens nos ERP´s - SAP R3 (cerca de 280 ), SAP B1 (aproximadamente 150 ), Totvs Protheus (cerca de 200), e demais ERP´s – Oracle Application, JDE, Pleoplesoft, Datasul, etc, que seguem a mesma linha.

Isso porque, no ERP tudo passa cadastro de itens. É no cadastro de itens que estão configuradas e/ou parametrizadas as regras de negócio e as opções de processamento que executarão as atividades transacionais e/ou gerenciais da empresa.

Por exemplo:
• definir os fatores de conversão das unidades de medida, item a item, para solicitação, compra, armazenagem e consumo – tubos, barras, e cantoneiras, são solicitas em barras, compradas por kilo, armazenadas em metro e consumida em milímetros;
• grupos, subgrupos, famílias – de produto e material para análise de compra, estoque, venda, carga de fábrica por linha de produto, etc.
• definir formas de baixa do material – manual, backflush, super backflush
• definir estratégia de resposta a demanda – fazer para estoque (MTS) ou fazer para ordem (MTO)
• tamanho de lote, ponto de pedido, estoque de segurança, lead time, etc
• endereçamento, critério de separação, controle de lote,
• etc

Trazendo luz para a importância do cadastro de itens, todo trabalho de elaboração do Padrão Descritivo de Itens (PDI), com seus atributos (features), que auxiliam sobremaneira na gestão das operações, taxionomia (classificação dos itens), sistema de codificação dos itens, saneamento de banco de dados, passa pelo processo de Cadastro de Itens.

Este processo de negócio existe em toda e qualquer empresa, independente do porte ou segmento, e é entrada dos demais processos de negócio da companhia. Porém, sua completude e qualidade é relegada a um plano inferior.

Que ter uma gestão de Operações eficiente? Invista no cadastro de itens.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: # bloco K # cadastro de item