Corretor de Seguros 50 anos depois

Nos últimos 50 anos, a profissão de Corretor de Seguros sofreu os impactos de mudanças na sociedade, nos mercados, conhecimentos e tecnologias. Novos produtos e serviços que surgem a todo momento.

Nos últimos 50 anos, a profissão de Corretor de Seguros sofreu os impactos de mudanças na sociedade, nos mercados, conhecimentos e tecnologias. Novos produtos e serviços que surgem a todo momento. Novas profissões. Novas legislações. Novas estatísticas. E o conhecimento globalizado.

Uma perspectiva impensável ao corretor dos anos 60, quando foi regularizada a profissão pela lei n* 4.594, de 29 de dezembro de 1964.

Com a variedade de produtos disponibilizados pelo mercado de seguros, além dos novos produtos lançados a cada momento pelas seguradoras, faz-se necessário uma alta especialização ao corretor.

O profissional não pode mais ser um generalista. Deixou de ser um vendedor para ter um papel de consultor. Para bem fazer uma venda técnica e consultiva, deve conhecer profundamente o negócio do seu cliente bem como o detalhe de cada cobertura.

Achar a melhor solução deixa de ser uma questão de preço. Cada produto tem suas características. Cada profissão seus próprios riscos. Cada apólice, de cada seguradora, detalhes de coberturas e exclusões que podem fazê-la melhor ou pior em determinado caso.

Surgem cada vez mais corretoras e corretores especializados em vida, saúde, transporte, riscos de engenharia, responsabilidade civil,... Profissionais altamente gabaritados para discutir com seus clientes detalhes de suas necessidades e das soluções existentes.

Outra fonte de impacto é a tecnologia. Passamos pela época da máquina de escrever, dos programas e atualizações por disquetes e chegamos à era da internet. Hoje a parceria corretor – seguradora é mais forte do que nunca. Todo o trabalho, da cotação à emissão se dá por site das Seguradoras. A velocidade é cada vez mais importante. O mundo do telégrafo, do fax foi substituído pelo mundo do WhatsApp.

O corretor teve de se transformar em um especialista no assunto do segurado e também em comunicações. Estar em contato com seu cliente desde o entendimento da necessidade até a entrega da apólice, na abertura e liquidação de um sinistro, na negociação da melhor cobertura junto à seguradora de forma ágil e correta é fundamental.

Enfim, mais de 50 anos se passaram e a profissão continua se desenvolvendo com novos desafio a cada dia. Quem será o corretor dos próximos 50 anos?

 

por Fabio Sussermann

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: corretor de seguros dez corretora dez corretora de seguros profissional de corretagem