O coworking funciona para o varejo?

A partir do momento que o empresário entende qual é o seu público-alvo, ela sabe exatamente o estilo de coworking a oferecer

Bruna Lofego , Administradores.com,
iStock

Compartilhar é algo que está em alta no mundo atualmente. Pessoas compartilham produtos, conhecimento, serviços, meios de transporte, hospedagens e, é claro, espaços de trabalho. Mas seria esse um meio viável para se trabalhar no varejo? A resposta é sim.

Segundo o Sebrae, essa é uma tendência cada vez mais forte entre empresários interessados em oferecer soluções funcionais para seu público. Coworkings oferecem toda a infraestrutura para a empresa realizar suas atividades, sem contar que foram criados exatamente para se adequarem aos mais variados uso do espaço, de acordo com a rotina de quem o freqüenta.

É perfeitamente possível encontrar coworkings que ficam abertos todos os dias, incluindo finais de semana, e até 24 horas, e isso é um facilitador para qualquer tipo de negócio. Existem ainda modelos criados exatamente para quem é do varejo, com a oferta de uma estrutura diferenciada e programada para esse perfil, que conta até com equipe de vendas disponível no local.

Modelos existentes

Quem já viu alguém trabalhando na praça de alimentação de um shopping? Por mais inusitado que possa parecer, alguns shoppings centers criaram espaços próprios, reservados e devidamente mobiliados, para atender a essa parcela do público que freqüenta seus estabelecimentos. Há também espaços de coworking que funcionam como grandes centros de compras, que podem ser encontrados em São Paulo e Belo Horizonte.

A partir do momento que o empresário entende qual é o seu público-alvo, ela sabe exatamente o estilo de coworking a oferecer. Vale lembrar que as regras de uso e convivência podem variar bastante de um coworking para outro. Por isso, é sempre recomendável que o cliente escolha aquele que se encaixa melhor às suas necessidades.

Benefícios para alavancar as vendas

O coworking é um ambiente altamente propício para o networking, o que possibilita apresentar produtos e serviços a pessoas de diversos nichos. E nada interessa mais a um varejista do que ter seu produto divulgado e conhecido, não é mesmo?

Sem contar que o varejista tem vantagens adicionais, como menor investimento inicial, pois já se instala em um ambiente estruturado e mobiliado, além de reduzir os custos operacionais, possibilitando que todo esse dinheiro poupado possa ser investido em estratégias que ajudem a alavancar o negócio.

Bruna Lofego Especialista em coworking e CEO e Founder da CWK Coworking, que conta com cinco espaços, localizados em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração