Mais comentada

Pesquisa operacional: o que é isso e para que serve?

Por conseguinte, a P.O foi um método criado num momento em que era inconteste a necessidade da tomada de decisões de forma concisa e objetiva

O período que se transcorreu no inicio dos anos 30 envolvendo diversos países e que veio a ficar conhecido como a Segunda Guerra Mundial também teve sua parcela positiva tocante a evolução da Administração da produção, visto que em virtude dos diversos problemas e situações decorridas na época, tornou-se quase que obrigatório que os envolvidos na mesma criassem uma visão mais acurada para resolução dos problemas enfrentados na guerra.

No que tange a esses problemas enfrentados na época, Gaither e Frazier (2005, p. 11, grifo nosso) comentam:

"A campanha europeia da Segunda Guerra Mundial usou enormes quantidades de força de trabalho, suprimentos, aviões, navios, materiais e outros recursos que tiveram de ser desdobrados num ambiente extremamente agitado. Nunca antes as organizações enfrentaram decisões administrativas tão complexas".

Por outro prisma, Davis, Aquilano e Chase (2001, p.36) dissertam:

"A Segunda Guerra Mundial, com seus problemas complexos de controle de logística e projeto de sistemas de armas, proveu o ímpeto para o desenvolvimento do campo da pesquisa operacional, interdisciplinar e matematicamente orientada".

Na época da Segunda Guerra, o físico britânico, Patrick M. S. Blackett se destacou por conduzir e desenvolver conhecimentos na área da pesquisa operacional, sobre ele Peinado e Graelm (2007, p. 62) ensinam:

"A técnica de pesquisa operacional se desenvolveu na Inglaterra, com Blackett dirigindo um grupo de especialistas dedicados a análise de operações militares. As análises procuravam maximizar os escassos recursos disponíveis para as operações militares. Ao final da guerra, as técnicas passaram a serem aplicadas nos meios empresariais da Inglaterra e dos Estados Unidos*".

Em virtude de tudo o que aconteceu na Guerra e após o fim da mesma a maioria dos envolvidos acabaram voltando às salas de aula para aprender e/ou aprimorar métodos de estudo específicos no auxilio a tomada de decisão, tais métodos vieram a ser denominados como a pesquisa operacional.

Já em se tratando de seu significado ou conceito, Churchman, Ackoff e Annof apud Chiavenato (2011, p. 447) explicam:

"É a aplicação de métodos, técnicas e instrumentos científicos a problemas que envolvem as operações de um sistema, de modo a proporcionar, aos que controlam o sistema, de modo a proporcionar, aos que controlam o sistema, soluções ótimas para o problema em foco".

Siegel apud Chiavenato (2011, p. 447) leciona com simplicidade “O objetivo da PO é capacitar a administração a resolver problemas e tomar decisões”.

Cabe, por oportuno, destacar a lição de Gaither e Frazier (2005, p. 12) “A pesquisa operacional [...] procura substituir a tomada de decisões intuitiva para grandes e complexos problemas por uma abordagem que identifique a alternativa ótima, ou a melhor, por meio de análise”.

Por conseguinte, a P.O foi um método criado num momento em que era inconteste a necessidade da tomada de decisões de forma concisa e objetiva, para tanto era necessário um âmparo que enxergasse todas as alternativas possíveis, sendo que a Pesquisa Operacional efetivamente atingiu o cerne deste objetivo o que acabou fazendo com que a mesma se infiltrasse nos meios empresariais bem como ultrapassasse os anos, afinal até hoje ela é latente na tomada de decisões estratégicas.

* O MIT (Massachusetts Institute of Technology) foi o primeiro instituto de ensino a incluir em 1948, uma disciplina destinada ao ensino da pesquisa operacional. PEINADO, Jurandir; Graeml, Alexandre Reis. Administração da produção: operações industriais e de serviços. Curitiba: UnicenP, 2007, p. 62.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(2)
Tags: administração guerra operacional pesquisa produção