11 exercícios de fonoaudiologia e dicção para a voz

Comunicar é inerente à vida. Não temos como fazer uma dissociação entre a vida e a comunicação, pois nos relacionamos com o mundo através dela, externando nossos sentimentos e pensamentos

iStock

A voz é um elemento importantíssimo para a comunicação.

Comunicar é inerente à vida. Não temos como fazer uma dissociação entre a vida e a comunicação, pois nos relacionamos com o mundo através dela, externando nossos sentimentos e pensamentos.

Podemos nos comunicar de forma não verbal, através de gestos e da postura, dos sons, das cores, por exemplo. Verbalmente, através da escrita e especialmente através da fala.

Falar de forma adequada e eficaz requer clareza e objetividade. Externar uma mensagem que seja entendida pelo ouvinte.  Um elemento chave deste processo é a voz.

O orador que se utiliza adequadamente de seu instrumento (voz), dá existência e expressividade à comunicação. A forma como articula as palavras pode ser o fator que influenciará a audiência. Além disso, é por meio da dicção que o orador se revela.

A importância da boa dicção

A dicção é a pronúncia do som das palavras, das sílabas e das letras na fala. A fala de qualidade contempla uma dicção clara e precisa. A dicção deve ser educada, corrigida, tratada e aperfeiçoada.

Melhorar a dicção requer vontade, disciplina e trabalho. A boa dicção é um hábito, que se adquire com preparo e treino.

Três fatores estão envolvidos na dicção: respiração adequada, aquecimento dos músculos faciais e aquecimento da língua. Na preparação da boa oratória é interessante incluir a colaboração técnico-científica do fonoaudiólogo. É preciso aprender a relaxar, respirar corretamente e articular adequadamente as palavras.

Exercícios de fonoaudiologia para melhorar dicção

Os exercícios de fonoarticulação ajudam a adquirir uma dicção de qualidade. Conheça alguns exercícios que você pode praticar:

1º)

Com os dedos apoiados no nariz, vibrar a boca e o nariz. Emita um som como se fosse de abelha (hummmmmm) por certa de 1 minuto.

Fique 30 segundos em silêncio. Repita o movimento em cinco vezes.

2º)

Com um pequeno objeto, que pode ser um lápis, colocado apenas 1 cm dentro da boca, leia frases diversas, rimas e travas-línguas. Leia num ritmo normal, lento e rápido cada tipo de frase.

Exemplos de frases:

Frase

“A clareza da comunicação é um fator determinante na conquista da confiança, que por sua vez, é fundamental na construção da credibilidade. A credibilidade é fator essencial do êxito do orador.”

Rima

”De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.”

Trava-língua

“Joana, a joaninha, enjoada de jantar jiló, jaca e berinjela; resolveu dar um jeito, foi falar com Juca e pediu sua sugestão. Juca, muito jeitoso, sugeriu ligeirinho: que tal jambo e jabá?”

3º)

Inspire pelo nariz; usando o ar inspirado articule os fonemas “i” e “u”, até esgotar o folego.

Repita 3 vezes. Articulando, na sequência após a inspiração nasal, os fonemas “i” e “o”; fazendo o mesmo procedimento.

Intercale um e outro exercício por 3 vezes.

4º)

Vibre intensamente os lábios por cerca de 1 minuto. Descanse. Repita por 3 vezes.

5º)

Pronuncie as sílabas:  Mua – Mué – mue – mui – muó – muo – muu.

Repita por 3 vezes. Fique em silêncio. Repita 3 vezes.

6º)

Articule de forma rápida e exagerada as sílabas e letras da seguinte sequência: la a  - la o – la u.  Na sequência:  la a – la e – la i.

Repita por 5 vezes consecutivas, após pausa ao final de cada conjunto de sequências.

7º)

Boca fechada, aperte os lábios para dentro. Aperte-os um contra o outro com energia por 5 segundos.

Na sequência, separe rapidamente os lábios mostrando os dentes cerrados por 5 segundos.

Repita a sequência 3 vezes.

8º)

Inspire e expire várias vezes lentamente, pronunciando as consoantes: P B T D G Q.

9º)

Leia pronunciando pausadamente e exageradamente cada vogal e leia na sequência a frase correlata:

AI – A gaita do pai de Adelaide está embaixo da caixa.

UI – Fui colher flores ruivas e azuis nos pauis.

AIO – O lacaio do cavalo baio leva o balaio de paio.

OIA – Aribóia via a jibóia que boiava na pitimbóia.

10º)

Leia pronunciando pausadamente e exageradamente cada consoante e leia na sequência a frase correlata:

M – O mameluco melancólico meditava e a megera megalocéfala, macabra e maquiavélica mastigava mostarda na maloca miasmática. Migalhas minguadas de moagem mitigavam míseras meninas.

R – O rato, ratazana, o ratinho, roeram as rútilas roupas e rasgaram as ricas rendas da rainha dona urraca de rombarral.

S – Sófocles soluçante ciciou no Senado suaves censuras sobre a insensatez de seus filhos insensíveis. Suave viração do Sueste passa sussurante sobre sensitivas silenciosas. 

11º)

Pronuncie o “r” no final das palavras. Cada série de quatro sílabas deve ser pronunciada numa só expiração, com ligeira parada em cada palavra:

BAR – DAR – LAR  - MAR

TER – LER – VER – VIR

QUER – DER – COR – MOR

COR – DOR – FOR - POR

Avalie este artigo:
(6)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: falar em público fonoaudiologia oratória

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração