4 erros dos líderes de Game of Thrones que você não deve cometer

Em meio a muitas histórias, reviravoltas, batalhas e mortes chocantes, Game of Thrones tem algumas lições são valiosas para a administração

Divulgação/HBO

Já com sete temporadas, a série Game of Thrones se encaminha para sua reta final. A série é um fenômeno mundial, exibida em 186 países e territórios, e desde suas primeiras temporadas desperta muitas teorias e análises entre os fãs. Nesses sete anos de exibição, foram muitas histórias, reviravoltas, batalhas e mortes chocantes. Mas em meio a todo esse drama, algumas lições são valiosas para a administração. Confira alguns dos maiores erros de liderança cometidos pelos personagens da série que você nunca deve cometer:

1. Ignorar a concorrência
Enquanto a Guerra dos Cinco Reis e todas as suas repercussões tomavam conta de Westeros, do outro lado do oceano, Danaerys Targaryen crescia e formava alianças. Aos poucos, foi conquistando os títulos que hoje carrega: Khaleesi dos Dothraki, Mãe dos Dragões, Rainha de Mereen, Quebradora de Correntes… Ninguém deu atenção à herdeira Targaryen até que ela chegasse em Westeros com seus exércitos e dragões. Em um negócio, ignorar ou subestimar a concorrência é um grande problema, já que em pouco tempo, um concorrente distante pode virar competição direta e conquistar os seus clientes.

2. Esperar que sempre concordem com você
Jon snow, ao abrir as muralhas para os "selvagens", precisou comprar brigar com todo mundo. Ele sabia que era o certo a se fazer, para proteger outros seres humanos e ainda impedir que o exército da noite ficasse ainda maior. Mas ele esperou que apenas sua palavra como lorde comandante conseguisse convencer as pessoas. Resultado: acabou sendo esfaqueado até a morte por vários de seus companheiros. É claro que Snow não é culpado pelas ações dos colegas, mas sua inabilidade de manter a paz e reconhecer o descontentamento de seu grupo foi uma grande falha. Se você ocupa uma posição de liderança, lembre-se que não pode simplesmente esperar que todos concordem com suas escolhas e sigam os seus comandos sempre.

3. Foco excessivo
Quando criança, Cersei Lannister escutou uma profecia que dizia que ela seria rainha, mas seu posto seria tomado por outra mais jovem e mais bonita. A ocasião impressionou a garota, que cresceu ambiciosa e desconfiada. Ao assumir o trono como rainha regente, porém, o medo de perder o poder se tornou uma obsessão. O trono de ferro de Porto Real é o único foco da rainha e, com as escolhas que fez para se manter na posição, acabou perdendo seus três filhos. Ela é rainha, mas, por não sabe enxergar nada além disso, está cercada de inimigos. É importante ter foco, mas em qualquer negócio, você não pode perder as perspectivas de todo o resto que está acontecendo. Focar excessivamente em algo pode te deixar preso mentalmente, impossibilitando o crescimento e até contribuindo para o seu fracasso.

4. Ouvir os outros demais
Escutar aliados e conselheiros é importante, mas é preciso saber também quando confiar nos seus instintos. Danaerys Targaryen, ao chegar em Westeros, resolveu não usar seus dragões e seguir planos traçados por Tyrion, e todos acabaram dando errado. Algo que Olenna Tyrell, com seus muitos anos de experiência, já havia alertado que poderia acontecer. A lady disse à rainha: "Eu conheci muitos homens inteligentes e vivi mais que eles. Sabe como? Eu ignorei todos". Por isso, na hora de administrar um negócio, é necessário estabelecer um equilíbrio seguir os conselhos dos outros e tomar decisões com base nas suas próprias experiências.
 

Avalie este artigo:
(3)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração