O caminho para encontrar conexões humanas poderosas

A conexão humana não é tão comum em nossa era de conectividade. Vemos muita gente, mas encontramos nossos pequenos casulos para se esconder dentro. Nós não percebemos que desejamos uma conexão mais profunda com os outros até encontrá-la

iStock

Enquanto escrevo isso, estou sentado em uma floresta tropical cheia de nuvens em um retiro no Equador, cercado pelos cantos de milhares de pássaros e criaturas tropicais, por uma vegetação densa e exuberante e por alguns dos seres humanos de coração mais aberto que já conheci.

Antes de vir aqui, me senti ansioso por estar prestes a conhecer tanta gente, me preocupei com o que poderiam pensar a meu respeito, achei que poderia me sentir desconfortável ao conversar com os outros e que não me encaixaria. Essa ansiedade me fez não querer vir. Isso teria sido um grande erro.

Percebi que estava me contando uma história sobre o quão ruim eu sou em falar em público, em conhecer novas pessoas, sobre como não mereço que os outros gostem de mim. Mas essa história não era útil, e estava me impedindo de fazer algo com o potencial de ser incrível. Então, eu me perguntei se isso era definitivamente verdade, e a resposta foi: "Eu não sei".

Esse "eu não sei" me assusta. Eu decidi que eu tinha que encarar o "eu não sei" de uma maneira diferente - então eu disse a mim mesmo: "Eu não sei, e eu adoraria descobrir. Quem sabe o que descobrirei?"

Isso me ajudou a subir no avião, e então eu fui forçado a conhecer um grupo inteiro de 24 estranhos. E eu poderia vê-los como 24 pessoas que potencialmente iriam me julgar, ou como companheiros seres humanos, que têm aspirações e que lutam, que têm amor para e frustração e raiva. Pessoas que querem ser melhores e que se decepcionam quando não conseguem, que querem fazer a diferença no mundo e se sentem culpados quando procrastinam. Pessoas que são bonitas mas que se julgam, que são tão diferentes de mim de muitas maneiras maravilhosas, mas que possuem, dentro de si, o mesmo coração terno da humanidade batendo com força e fragilidade, assim como eu.

Eu os conheci, e sorri. Senti a ansiedade voltar, mas me dirigi até eles com curiosidade. Eu senti a vontade de fugir e ficar sozinho e confortável, mas tentei encontrar suas aspirações e lutas.

Eu abri meu coração para eles, e eles vieram com bondade. E me mudaram. E fizeram com que o esforço de superar o meu medo e a ansiedade de ser julgado e falhar completamente valesse o esforço, mil vezes.

A conexão humana não é tão comum em nossa era de conectividade. Vemos muita gente, mas encontramos nossos pequenos casulos para se esconder dentro. Nós não percebemos que desejamos uma conexão mais profunda com os outros até encontrá-la.

É difícil se conectar com o outro, porque as normas culturais ficam no caminho - devemos falar sobre o tempo e esportes e notícias, mas não sobre nossas lutas mais profundas. Devemos dizer coisas legais ou espirituosas, mas não compartilhar nossas maiores esperanças para nossas vidas ou falar sobre a pessoa que queremos nos tornar.

É difícil, mas a conexão humana é uma das forças mais poderosas disponíveis para nós. Nós não percebemos que temos sede por isso, mas temos, e é uma sede profunda. Quando encontro uma verdadeira conexão humana, ela alimenta minha alma, me transforma, me leva a lágrimas. Eu não posso contar quantas vezes eu chorei esta semana. Meu coração se sente cru, de uma forma que o abre para mais conexões.

Então, como nos conectamos, quando é tão difícil? Gostaria de compartilhar algumas ideias:

Coloque-se em um lugar com pessoas com seus interesses
Este retiro está cheio de pessoas tentando mudar suas vidas e interessadas em mindfulness. Isso é uma coisa tão rara, estar com um grupo de pessoas como esse, mas cada um de nós fez a escolha intencional de vir aqui. Encontre um grupo como esse - em uma pequena conferência, um retiro, reuniões de grupo, um clube de corrida, um encontro de tecnologia, qualquer coisa. Faça algumas buscas online para ideias, mas diga sim a pelo menos uma.

Supere sua resistência
Eu sempre encontro resistência quando vou me encontrar com pessoas, e uma resistência ainda maior quando vou fazer uma apresentação para um grupo de desconhecido. A resistência pode nos impedir de sair de nossas zonas de conforto. Não deixe. O benefício da conexão é muito maior do que a resistência, e você precisa superá-la.

Sorria e seja curioso
Quando você conhecer esses estranhos assustadores, abra-se. Sorria, pergunte sobre suas vidas, tente descobrir mais. As pessoas muitas vezes apreciam um bom ouvinte, e as perguntas podem iniciar e manter uma conversa.

Compartilhe quando puder
Embora ouvir seja melhor do que falar, descobri que quando posso ser vulnerável e compartilhar meus medos e lutas, as pessoas sentem que podem fazer o mesmo. É aí que você faz uma conexão real, indo além da superfície. É preciso um pouco de habilidade para saber quando você pode se abrir, e o quanto que você pode compartilhar - você não quer compartilhar seus segredos mais profundos assim que alguém, mas você pode se abrir lentamente, enquanto a outra pessoa faz o mesmo. Algumas pessoas não se sentem à vontade para se abrir, então não vá muito fundo ou espere que todos desejem fazer esse tipo de conexão, mas esteja aberto a isso.

Abra seu coração
São outros seres humanos que estão na sua frente de vocês - e eles têm corações leves, dor e esperança como você. Abra seu coração e veja quem você encontra na sua frente e aprecie essa pessoa. Seja você mesmo, e confie que você é digno do amor dos outros também. Permita que os outros se aproximem. Dê abraços.

Conecte-se em grupos e individualmente
Se você estiver em uma conferência ou em um grande grupo de 20 ou mais pessoas, pode ser difícil encontrar realmente conexão. Eu prefiro muito conversas individuais, então tento me dirigir a uma pessoa e, se ela quiser, inicio uma conversa privada para conhecê-la melhor. Também valorizo conversas em pequenos grupos, de três a seis pessoas, e acho que elas podem ser grandes experiências de ligação e muita divertidas.

Não se esconda no seu telefone
Muitos de nós temos a tendência hoje em dia de usar nossos telefones quando estamos em espaços públicos lotados, mas quando você está indo em algum lugar (como uma conferência) que tem um monte de gente, é um grande erro se desligar assim. Em vez disso, procure interação, mesmo que você se sinta desconfortável com isso. Eu gosto de começar com uma pergunta simples, ou às vezes com uma piada simples que quebra a tensão.

A prática faz com que você se sinta melhor e mais confortável
Eu certamente não sou o melhor conversador do mundo, nem o mais confortável conversando em um grupo. No entanto, sou melhor do que já fui, porque eu tenho praticado propositadamente durante a última década. Eu ainda tenho um longo caminho a percorrer. Mas é incrível ver o progresso que fiz, e quanto mais eu faço, menos nervoso eu fico.

Use um ao outro para mergulhar mais fundo e encontrar clareza
Se você pode ter boas conversas individuais ou mesmo pequenas conversas em grupo, desafie-se mutuamente a aprofundar em conversas sobre suas lutas e desafios, aspirações e propósitos de vida. Muitas vezes você encontrará muita clareza nessas conversas.

Use um ao outro para suporte contínuo
Muitas vezes me ofereço para ajudar alguém se ele me diz que tem lutado para lidar com um hábito. Ou se estamos ambos lutando com alguma coisa, podemos tentar apoiar os esforços de cada um para superar a luta no futuro próximo.

Faça um esforço para manter contato
Se você fizer uma conexão humana real, encontre uma maneira de manter a conversa, e até mesmo se reunir novamente em pessoa, se for possível. Se não for possível, marque um dia no Skype para que você possa conversar cara-a-cara.

Não tenho a pretensão de ter todas as respostas, nem ser qualquer tipo de especialista. Eu ainda fico nervoso e desajeitado. Mas essas ideias me ajudaram, e espero que o ajudem. Porque conexões simples com seres humanos maravilhosos mudaram minha vida esta semana, e o poder do amor vindo dessas conexões me deixou completamente devastado.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração