Será que você comete o maior erro da Inteligência Emocional?

Não temos uma pontuação de Inteligência Emocional, e sim um perfil

iStock

É algo que escuto de vez em quando: "Ela tem um QE alto", ou "Ele não tem nenhum QE".

E isso me incomoda todas as vezes.

Ao contrário do QI, não existe uma pontuação única que represente a Inteligência Emocional de uma pessoa. (E eu também não uso o termo 'Quociente Emocional' - prefiro 'Inteligência Emocional').

Vale lembrar que a Inteligência Emocional tem quatro aspectos: conhecer as próprias emoções, lidar com emoções, reconhecer emoções nos outros e lidar com relacionamentos. Elas compreendem aquilo que conhecemos sobre nós mesmos, sobre o outro e o que fazemos com essas informações.

Podemos ter maior domínio em algumas competências e menor em outras. Não temos uma pontuação de Inteligência Emocional, e sim um perfil.

Outra percepção equivocada que as pessoas têm é a de que meu modelo de Inteligência Emocional tem cinco partes. Depois de ver pesquisas que mostram que a motivação, a quinta parte desatualizada, está inserida na capacidade de lidar com emoções, eu a removi do modelo. As pessoas que leram apenas meu artigo mais antigo do Harvard Business Review, ou meu livro original, Inteligência Emocional, ainda fazem esse erro.

O modelo de IE de quatro partes é ainda mais fragmentado. Dentro de cada um desses quatro elementos, estão as competências que dependem de uma habilidade geral. Dessa forma, é possível encontrar competências como adaptabilidade, perspectiva positiva, influência e mentoria.

Aqui estão as doze competências que meus parceiros de pesquisa - e décadas de estudo - puderam identificar em profissionais que possuem um desempenho notável:



Um perfil de Inteligência Emocional tem altos e baixos, mostrando até que ponto você demonstra forças (ou não) em uma determinada competência. É como um exame de sangue detalhado, que pode mostrar que algumas taxas estão fora dos níveis desejados, como colesterol alto, e outras estão perfeitas, como a contagem de glóbulos brancos.

Como saber seu perfil de Inteligência Emocional?

Primeiramente, não se guie apenas pela noção que você tem de sua personalidade. Todos temos dificuldade para enxergar nossos pontos fortes e limitações. Estudos mostram que pedir uma avaliação de colegas que conhecem bem você e cujas opiniões são de confiança pode lhe dar um perfil muito mais preciso.

É por isso que Richard Boyatzis e eu, com parceiros da Korn Ferry Haygroup, desenvolvemos o Inventário de Competências Emocionais e Sociais, uma avaliação de 360 graus que lhe dá uma visão detalhada de seus pontos fortes e limitações.

Todos temos perfis únicos, além de motivações, objetivos e paixões. O melhor plano para desenvolver a Inteligência Emocional é aquele que aproveita sua empolgação natural pelo seu propósito para fortalecer as competências que ajudarão a concretizar seu objetivo mais profundo.

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(2)