Errar não é o fim do mundo

Levante a cabeça, assuma os seus erros e reveja os meios de reconstruir a sua vida

Definitivamente, errar, não é o fim do mundo!

Aprendemos que os erros devem ser punidos e que as pessoas que erram devem ser deixadas de lado porque erraram. A verdade é que aplicamos isso em nosso dia a dia de forma explicita em relação aos erros mais graves das pessoas.

A grande jogada da sociedade está em - também - marcar as pessoas que cometem pequenos erros com o sinal da derrota, mesmo que seja de forma implícita. Com o tempo, percebemos - ou não - que isso fica impregnado em nosso cérebro e automaticamente, quando erramos, nos sentimos um verdadeiro monte de lixo que não serve para mais nada. É necessário sim o arrependimento, porém, o aprendizado advindo do erro é a maior lição de vida que podemos ter.

Errar é ruim, claro! Mas marcar a vida com o erro e com a derrota em razão de uma falha é um grande exagero. Errar não é o fim do mundo. Quando erramos, precisamos colher as consequências dos nossos erros, assumir uma postura de arrependido - de verdade - e arrumar o que quebramos, pedir perdão a quem ofendemos e recomeçar aquilo que foi acabado em razão das nossas falhas, mesmo que na prática não seja tão fácil. 

A vida continua e o mundo não irá parar porque cometemos algum tipo de erro. Fácil? Certamente, não! Eu diria que é necessário. Não podemos parar nossas vidas em razão das nossas mais variadas falhas do dia a dia.

Levante a cabeça, assuma os seus erros e reveja os meios de reconstruir a sua vida, pois o mundo não para porque você falhou e colheu consequências ruins pelas suas falhas. A vida continua e espera de você coragem para enfrentar a realidade, as pessoas, as situações e dar a volta por cima. 

Dói muito procurar algum aprendizado em meio aos erros, mas é necessário. Na vida, muitas pessoas se negam a olhar seus erros porque não conseguem enfrentar seus momentos ruins e por isso nunca aprendem nada. Não se trata de se martirizar pelos fatos ocorridos, não mesmo. A ideia aqui é aprender mais sobre seus limites para que não cometa erros parecidos no futuro. Reveja o que fez e analise se você deve conter melhor suas palavras, se deve dizer algo que não disse ou se deve evitar momentos, pessoas ou situações que você mesmo criou. 

Repito: Não reveja o passado para se entristecer ou se culpar. Reveja para encontrar algum aprendizado para não cometer o mesmo erro duas vezes. Por fim, reconheça seu erro, faça o que deve fazer para sanar ao máximo as consequências do que fez e siga em frente.

A vida continua. Só não se esqueça do que aprendeu. Diante de situações parecidas, seja inteligente o suficiente para compreender quando deve ou não agir. Se você é uma pessoa que não consegue conter suas emoções, sair de cena é o mais indicado. É melhor a vergonha de não falar do que as consequências do que falou "a mais" diante de uma discussão ou diante de um simples diálogo que "perde a linha" com os ânimos exaltados das pessoas. 

Porém, se mesmo assim, você errar. Recomece, cobre mais de você mesmo e entenda que uma coisa é errar e outra coisa é ter uma vida de erros. Diferentemente de textos que você encontra por aí onde a pessoa é sempre vista como "a coitada" da situação, digo a você que, se quer viver bem, você precisa aprender a abaixar a cabeça, trabalhar suas falhas e permitir que a mudança aconteça em sua vida. 

Levante a cabeça para a vida e não para enfrentar outra pessoa por meio de ofensas e palavras de ordem. Quem perde, é quem ganha diante das discussões. Nunca se esqueça disso. 

Como vimos, alguns erram por falar, outros por se calar e outros por ações que se arrependem depois. Não importa o que tenha acontecido. A ordem da natureza da vida é muito clara quando nos mostra que o que plantamos colhemos e assim por diante. Tudo nos deixa uma consequência. Cada erro, cada falha, cada palavra dita e cada atitude que façamos para com o outro ou para com a vida. 

Assuma seus erros, levante a cabeça para a vida, colha as consequências das coisas que fez e as revolva de alguma forma para seguir sua vida. Não se esqueça de voltar ao erro e levar consigo o aprendizado pelos fatos ocorridos. Errar, não é o fim do mundo. 

As consequências existem, as dores existem, mas a vida incrivelmente maravilhosa que temos também existe e continua. O problema é como vemos o problema. A dor é maior quando fugimos dela. Uma situação difícil deixa de ser difícil depois que a enfrentamos. 

Seja feliz!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: Errar não é o fim do mundo Erro, errar, falha, desenvolvimento humano