Primeiros passos rumo a Educação Financeira

Os primeiros passos para aprender sobre a educação financeira.

A educação financeira consiste em aprender a controlar seus hábitos financeiros, e entender a relação de escolhas financeiras conscientes, dívidas, juros investimentos aplicados a sua vida pessoal. Os seus hábitos financeiros dizem muito sobre quem é você, e como andam suas finanças pessoais. Educação financeira não é sobre economizar “cada centavo”. Acredito que a Educação Financeira está diretamente relacionada com nossa qualidade de vida, afinal com nossas finanças em dia podemos realizar nossos sonhos e objetivos, que nos proporcionam muita satisfação.

A Educação Financeira pode transformar sua vida, fazendo com que comece a analisar e questionar sobre seu estado financeiro atual, e como deseja estar futuramente. Economizar é apenas um dos princípios da educação financeira, a qualidade de escolhas é outro princípio essencial. Nesse sentido é extremamente importante possuir objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. A vida é mais do que pagar contas. A vida é para ser desfrutada em seus vários momentos ao lado de pessoas especiais. Devemos definir em nossa vida o que queremos, o que dá sentido aos nossos dias. Quais são seus planos para daqui 5, 10, 15, 20 anos?

Primeiramente para assumir o controle de suas finanças você deve avaliar como está sua situação atual, quais são seus gastos mensais que mantém e colaboram para um padrão de vida confortável. Se possui dívidas e como impactam o orçamento familiar mensalmente. Você pode se assustar com as pendências que possui. O interessante é comparar sua renda com a sua despesa e “torcer” para que o orçamento feche dentro do previsto. Isso já te colocaria em outro patamar, afinal 55% da população brasileira possui 1 ou mais contas em atraso. Essa é a técnica dos 100%, ou seja, 100% da renda cobre 100% dos gastos mensais, pelo menos você não está devendo. Entretanto isso não dá nenhuma margem para emergências e esse é o principal erro de um planejamento financeiro, não contar com imprevistos porque eles podem acontecer a qualquer momento. E esse é um dos principais motivos que fazem com que as famílias se endividem. Nesse sentido, viver no limite financeiro nunca é uma boa ideia. Assim como um maratonista deve preservar seu fôlego ao longo de 42 Km, você deve preservar uma margem financeira para absorver um imprevisto de forma saudável.

A Educação financeira lida com qualidade de escolhas financeiras. Jamais defenderá que você não pode tomar um cafezinho diariamente porque isso faz mal para suas finanças, o famoso “supérfluo” que é muito difundido por algumas pessoas. Eu acredito que não existem supérfluos, no entanto existem produtos/serviços que você consome que não agregam a sua qualidade de vida e perspectiva de futuro. Pense em tudo que não adiciona valor a sua vida nesse momento, por exemplo qual o motivo de assinar canais pagos em um pacote de 250 canais se no máximo você acompanha 10 ou 15 canais, muitas vezes nem isso. Aquele curso online ou presencial que você nem lembra mais a razão pelo qual se inscreveu. Esses gastos podem ser considerados como desnecessários. E podem ser cortados trazendo uma margem positiva para seu orçamento financeiro pessoal.

Portanto, a educação financeira é um conceito muito amplo que envolve muito mais do que apenas aprender a economizar. Serve para difundir aprendizado para você melhorar sua relação com o dinheiro e dessa forma fazer escolhas mais conscientes pensando cada vez mais no seu futuro, sempre com o objetivo máximo de agregar valor à sua qualidade de vida.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Autoconhecimento Dinheiro Educação Financeira Finanças Qualidade de Vida

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração