Case-se com alguém que acredite em você

Se você quer um ótimo conselho para a sua carreira e para os seus negócios, vou resumi-lo em uma única frase: case-se com alguém que acredite em você.

Arquivo pessoal

Não sou de dar conselhos matrimoniais nem de esfera sentimental. Sempre fui da opinião que cada um cada um. Se você acompanha meus artigos, deve saber que costumo escrever sobre negócios - e não será diferente desta vez. Pode acreditar.

O ano é 2002. Às vésperas de completar 25 anos, após ter entrado na faculdade aos 17 e já passado pelos cursos de Direito, Ciências Sociais, Matemática e Jornalismo, finalmente eu estava me formando em alguma coisa. Nessa época, após estagiar na empresa dos meus pais, eu já havia levado dois calotes. O primeiro foi ter dado 50% de entrada para comprar um notebook de um muambeiro safado. O segundo foi ter contratado uma empresa vagabunda para desenvolver o projeto dos meus sonhos na internet, que pegou meu suado dinheirinho de estagiário e me deu uma banana no fim das contas. Já comentei em algum artigo, e até no meu livro, que as pessoas me olhavam com aquele típico olhar de quem olha pra você e pensa "esse aí não sabe o que quer da vida".

Eu já tinha tido algumas namoradas, mas meus relacionamentos não duravam muito tempo. Não demorava muito para elas perceberem que eu era um nerd sem futuro, um sonhador, um sujeito indeciso que não conseguia terminar uma mísera faculdade (o que dirá passar em um concurso ou arrumar um emprego decente). Até que eu conheci a Aninha, em 2001.

Não vou ocupar seu tempo com os detalhes românticos e sentimentais dessa história, mas o fato é que a Aninha sempre foi uma pessoa especial. Havia um espaço único no nosso relacionamento que deveria existir na vida de todos os casais: o espaço para cada um ser o que é de verdade, sem um querer mudar a personalidade e os comportamentos do outro, querendo adaptá-lo para o seu modelo de par ideal.

Confesso que, pela minha situação, pela série de decisões erradas que já havia tomado, por ter demorado tanto tempo para encontrar a carreira com a qual eu me identificava, por olhar os amigos da minha idade já resolvidos e encaminhados em suas profissões, eu já tinha me contaminado com aquela visão que as pessoas tinham de mim. Eu me sentia patinando na vida e, na boa, nem eu acreditava em mim mesmo.

Mas a Aninha sim.

Ela sempre teve o dom de enxergar - e despertar - o que há de melhor em mim.

Quando mostrei pra ela o plano de negócios do Administradores.com (o sonho que me fez ser motivo de chacota de muita gente), os olhos dela brilharam. Quando levei o calote, ela me disse: "não desista, segue em frente que você consegue colocar isso de pé".

Nesse ano de 2002, quando finalmente me formei, ela me deu um cartão de parabéns e escreveu assim: "Mais um passo foi dado hoje, e que bom eu poder estar ao teu lado também nesses momentos, pois no futuro, quando olharmos para a estrada que caminhamos, vamos poder dizer que demos os passos sempre juntos, que construímos nossas vidas baseados nessa cumplicidade. Que essa conquista seja apenas a primeira de muitas outras que virão". Aí ela continua, agora com o bom humor que sempre foi sua marca pessoal: "ATENÇÃO EMPRESÁRIOS! Preparem-se para falir, pois o novo Bill Gates acaba de chegar no mercado de trabalho. Que venham as revistas Exame, Você S/A… o novo administrador do planeta tá na área". Releve os exageros (essa é outra característica dela). O fato é que ela não estava apenas querendo me agradar. Ela realmente via algo em mim que eu não conseguia enxergar. Até que eu comecei a acreditar nessa visão.

Na sequência, concluí um MBA em Marketing e - pasmem! - acabei terminando o curso de Direito que havia abandonado (só voltei porque seríamos colegas de sala e poderíamos ficar mais tempo juntos, mas ignore esse detalhe…).

Em 2004, finalmente, o Administradores nasceu. Nessa época, já totalmente comprometido com a missão de contribuir com o avanço da Administração no Brasil, senti a necessidade de me aprofundar ainda mais nesse universo. Rumamos, eu e ela, para Porto Alegre, minha cidade natal, para que eu pudesse me preparar para o processo seletivo no programa de mestrado em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, naquela época apontado com um dos três melhores do Brasil e, consequentemente, também um dos mais rigorosos.

Passei na parada, mas não pense que as coisas se tornam fáceis só porque você agora é alguém que acredita no seu potencial e se tornou implacável na busca dos seus sonhos. Aquele papinho de autoajuda, o segredo e afins, vende livro pra caramba, mas não funciona na vida real. Sua postura mental é fundamental, mas ralação é a única estrada que conduz você na direção dos seus objetivos.

Durante o mestrado, nossa vida virou uma bagunça. Logo comecei a dar aulas, então ocupava os três turnos do dia correndo de um lado pro outro, ou tendo aulas do mestrado, ou dando aulas na graduação. Some-se a isso uma carga de leitura entre 400 a 500 páginas por semana. A Aninha passou na OAB, passou a trabalhar como advogada trabalhista de uma grande empresa, e passava os dias em audiências, também pra cima e pra baixo. E o Administradores, como ficou no meio disso tudo? Bem, qualquer pessoa normal teria deixado essa história de site na internet pra depois, para uma hora em que as coisas estivessem mais tranquilas. Mas não éramos pessoas normais.

A gente se dividia. Cada um no seu tempo livre respondia os e-mails do site, atualizava as notícias, fechava negócios, tudo isso até altas horas da madrugada, em nosso home office improvisado.

A poeira baixou quando terminei o mestrado, em 2007. Foi nessa época que tivemos um importante ponto de virada. Decidimos voltar pra João Pessoa e focarmos toda a nossa energia no Administradores, que já demandava uma atenção exclusiva. A Aninha não pensou duas vezes para abandonar não só o bom emprego dela de advogada, mas a carreira profissional para a qual havia se preparado. E isso mesmo ganhando 4 vezes mais do que eu ganhava como professor somado com o que se faturava no site. Louca? Chame do que quiser, mas algumas pessoas tomam decisões assim quando acreditam na outra que está do seu lado.

De lá pra cá, as coisas tomaram rumos inimagináveis. Em casa, tivemos dois filhos lindos, que nos enchem de orgulho todos os dias. Nos negócios, acabamos formando um time fantástico, composto por pessoas extremamente talentosas, apaixonadas pelo o que fazem e que sonham o nosso sonho. O resultado disso tudo é que o trabalho que desenvolvemos no Administradores vem sendo cada vez mais reconhecido e fazendo a diferença na vida de milhões e milhões de pessoas.

Nada disso seria possível sem ela ao meu lado.

Se você quer um ótimo conselho para a sua carreira e para os seus negócios, vou resumi-lo em uma única frase: case-se com alguém que acredite em você.

Avalie este artigo:
(27)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração