Como aumentar a criatividade para gerar ideias extraordinárias

Criatividade não é talento nem habilidade e pode ser aprendida e desenvolvida ao longo da vida. E é sobre isso que quero conversar com você hoje.

iStock

Perdi as contas de quantas vezes já ouvi algumas pessoas ou afirmando que não eram criativas ou dizendo que precisavam desenvolver a sua criatividade de alguma forma.

Mas para quem acredita que o dom da criatividade é para poucos, eu tenho uma boa notícia: você não poderia estar mais enganado do que isso.

Criatividade não é talento nem habilidade e pode ser aprendida e desenvolvida ao longo da vida.

No entanto, quando alguém diz que precisa ser mais criativo, está querendo dizer, na verdade, que precisa encontrar uma solução inovadora para um problema, ser mais produtivo, otimizando gastos de tempo e dinheiro e também descobrir jeitos diferentes de fazer tarefas antigas.

Mas principalmente, quem quer ser criativo quer sair da zona de conforto e evoluir, já que essa é a maior força propulsora da sociedade.

Como seria nossa sociedade hoje sem essas e tantas outras invenções, frutos de mentes criativas e inovadoras?

A criatividade não é só encontrada nas artes, mas também na política, na ciência e na sociedade como um todo, desde que resulte em algo novo e útil.

Como funciona o processo criativo

Através da imaginação surge o pensamento criativo.

Nem todo pensamento será uma ideia genial, como você já sabe muito bem. Porém, digamos que de vez em quando alguma coisa boa pode surgir da sua imaginação.

O pensamento criativo pode ser proposital, quando você se esforça para encontrar uma ideia que terá um propósito ou isso pode acontecer “acidentalmente”.

Um tipo de “momento Eureka”. Só que esse momento de aparente iluminação, vinda do nada, não existe de fato.

Para saber como aumentar a criatividade, você precisa ter uma vasta bagagem de referências.

Por isso que ler, ver filmes, ouvir músicas, observar pessoas ou qualquer outra atividade de pesquisa é tão importante para gerar boas ideias.

E não só investir em referências da sua própria área de atuação. Se você só consome conteúdos de um mesmo assunto, suas ideias serão sempre as mesmas.

Este é um erro que vejo muita gente cometendo.

Eu mesmo procuro expandir meus horizontes sempre que possível. Apesar de produzir conteúdo essencialmente sobre Marketing Digital, gosto de ler sobre todo o tipo de assunto, como cinema, esportes e ciência.

Dê um tempo para suas ideias descansarem

Só que as informações que absorvemos precisam de um certo tempo para serem processadas. O chamado período de incubação.

Seu cérebro precisa de um tempo para processar e armazenar as referências que você coleta no dia-a-dia.

Esse não é um processo imediato.

Por isso que muitas vezes temos ideias antes de pegar no sono ou durante o banho. É o momento que nossa mente está mais relaxada e portanto mais disposta a trazer pensamentos do subconsciente para o consciente.

Na verdade estava tudo ali guardado, só esperando a hora certa para aparecer.

Apesar da criatividade parecer um processo totalmente espontâneo, onde você, de repente, é iluminado(a) com um insight mirabolante e genial em um momento mágico de inspiração, não é bem assim que acontece.

Um modelo bastante usado para estruturar o processo criativo é o de 5 estágios.

Apesar de dar a impressão de seguir um fluxo, os estágios podem ter sua ordem alterada. Pois como você já deve saber, o pensamento criativo não é linear, mas sim caótico.

O primeiro estágio é o de preparação. Nele você irá, basicamente, adquirir novos conhecimentos através da pesquisa e observação.

Por exemplo, quando vamos escrever um artigo ou o conteúdo de um infográfico, sempre fazemos uma extensa pesquisa por referências de outros conteúdos publicados sobre o mesmo assunto.

Seja tanto para aprender mais sobre o assunto quanto identificar pontos de melhoria para produzir um material mais completo ou de maior qualidade do que os já existentes.

A incubação seria o próximo passo. E só acontece após o consumo de muitas referências.

Toda a informação com a qual entramos em contato durante nossa pesquisa e em nosso dia a dia, fica armazenada em uma espécie de biblioteca do subconsciente. E que não pode ser acessada sempre no momento desejado.

Você pode demorar minutos, horas, dias, meses ou anos para usar aquela referência adquirida.

O criativo não é aquele que tira ideias do absoluto zero. Mas sim aquele com um repertório vasto de referências que são acessadas por seu cérebro em formato de insights, o próximo passo do fluxo criativo.

Você consegue se lembrar o que estava fazendo no exato momento que teve sua última ideia genial?

Possivelmente você envolvido(a) em uma atividade que exigia pouco de suas habilidades cognitivas, como tomar banho, fazer uma caminhada ou lavar a louça.

Muitas das minhas ideias mais interessantes surgem durante o banho. E, por isso, costumo usar um bloco de notas especial para não deixar nada que possa ser aproveitado escapar.

Como a mente não está sendo muito requisitada nesses momentos, o subconsciente consegue trazer à tona as referências que foram armazenadas no estágio de incubação.

Depois de uma boa dose de descanso, finalmente surgem as boas ideias

É o famoso momento de inspiração. Aquele que muitos enxergam como sendo o grande auge da criatividade.

Aliás, acredito que um dos maiores erros cometidos por várias pessoas que enfrentam constantes momentos de vazio de ideias, é esperar para realizar sua atividade de criação, como escrever um texto, por exemplo, somente quando sentem-se inspirados.

Grandes são as chances desse momento nunca chegar.

Por isso, sempre recomendo fazer nem que seja um pouco por dia. Independente de inspiração ou não. Acredite, a consistência da persistência é que garante o sucesso.

O próximo passo do processo criativo é o de validação de ideias. Todas aquelas que você anotou ao longo do seu dia ou da sua semana.

Quanto mais livre você deixar seus pensamentos fluírem, quanto mais fizer braistormings e deixar seus pensamentos livres de julgamento, mais e mais criações fora do comum irão surgir.

E menos momentos de bloqueio criativo farão parte da sua vida. E quando o branco de criatividade for inevitável, você poderá encontrar algo no seu repertório de ideias já previamente anotadas.

Validar as ideias é tão importante como tê-las, já que você não vai conseguir tempo para colocar todas elas em prática, afinal, foco é essencial para garantir o fluxo de ideias e transformá-las em algo tangível.

Espero que você tenha gostado.

Forte abraço.

Henrique Carvalho

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(1)
Tags: carreira criatividade empreendedor empreendedorismo marketing marketing digital