Como Ricardo Semler me inspirou a virar minha própria mesa

Imagine a minha sorte: o primeiro livro de Administração que eu li, ainda adolescente, já tratava de virar a Administração pelo avesso

Divulgação

Eu devia ter uns 14 ou 15 anos, e meu irmão mais velho estava maravilhado com Virando a própria mesa, livro de estreia de Ricardo Semler, o brasileiro que não apenas revolucionou a forma de gestão da Semco, mas se transformou em um estudo de caso da Universidade de Harvard e uma das mentes mais influentes do mundo dos negócios. Curioso que sempre fui, roubei o livro dele e o devorei em uma única sentada.

Imagine a minha sorte: o primeiro livro de Administração que eu li, ainda adolescente, já tratava de virar a Administração pelo avesso.

As sementes que Semler lançou em 88 germinaram anos mais tarde em minha mente, e marcaram profundamente a forma como enxergo a Administração, o poder das ideias e - o mais fantástico - o poder das pessoas. Já estudante de Administração, encarava aquelas aulas de como fazer um organograma empresarial como uma grande perda de tempo.

Meu resumo sobre o livro: um clássico com quase 30 anos de idade e que, mesmo assim, continua revolucionário.

Trecho para lembrar:

"A empresa tem o seu papel nisso [de mudar a sociedade] - ela tem como mudar o estado das coisas. Os que acreditam nisso (hoje conhecidos como utópicos) serão primeiro uma ilha, depois um atol, passarão a arquipélago e poderão até chegar a continente. O importante é não deixar a água avançar..."

 

PS: para avançar ainda mais no pensamento de Semler, recomendo a leitura do Você está louco!, livro mais recente do autor publicado no Brasil. 

Avalie este artigo:
(2)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.