Mais comentada

Due Diligence: qual sua importância para empresas?

Que tal conhecer melhor a realidade do seu negócio?

Devido às diversas operações de expansão de empresas existentes no mercado, é preciso adotar medidas para trazer segurança nas efetivações dos negócios de compra, venda, fusão, cisão, entre outros e, por isso, a realização de Due Diligence se torna essencial.

Se trata de uma diligência prévia, tomada diante de um possível investimento, com a finalidade avaliar dados e documentos de vários setores de uma companhia, auxiliando no planejamento e na análise de riscos.

Se você quer entender melhor os principais pontos da Due Diligence e como ela funciona, continue a leitura deste texto!

Afinal, o que é a Due Diligence?
Trata-se de um procedimento que verifica e identifica riscos em oportunidade de negócios. É realizado por meio de um conjunto de ações que possibilita analisar minuciosamente os ativos e passivos contábeis e jurídicos de uma determinada empresa.

Ela se diferencia da auditoria, já que é um estudo de caráter analítico e avaliativo de dados, informações e documentos de diversas áreas da organização para de conhecer sua sustentabilidade ao longo prazo, além disso, o objetivo de cada Due Diligence pode variar, dependendo da necessidade e objetivos do(s) contratante(s).

Já o processo de auditoria é algo de caráter mais técnico do ponto de vista contábil, sendo focado, por exemplo, na adequação das demonstrações contábeis da companhia às normas e princípios vigentes.

Qual é o papel desse recurso?
Comprar uma empresa geralmente é um ato que envolve diversos riscos e o papel da Due Diligence é justamente reduzir esses riscos, já que ela vai garantir que as ameaças que possam ser encontradas não se transformem em perdas financeiras futuramente.

Pode ser também considerada como um selo de qualidade, que mostra a realidade da instituição com precisão e, dependendo dos possíveis riscos apresentados, é uma maneira mais confiável de tornar a empresa melhor avaliada.

Quais são as análises realizadas nesse processo?
A Due Diligence compreende análises, por exemplo, das áreas financeira, contábil, trabalhista, previdenciária, jurídica, entre outras, de uma organização. As análises são realizadas por meio da verificação e cruzamento de informações, dados, documentos etc. Saiba como funciona essas análises a seguir.

Análise financeira
Verifica as informações financeiras disponibilizadas e avalia o desempenho do negócio por meio desse ângulo. São apontadas para a análise diversas áreas, como bens, ganhos, fluxo de fundos, ganhos, plano de negócio, dívidas e demais.

Análise fiscal-contábil
É a averiguação dos passivos impostos atuais e futuros de uma empresa. Esse estudo exige uma revisão de certos documentos fiscais por parte de profissionais com conhecimentos específicos no código tributário das jurisdições aplicáveis.

Análise jurídica
Examina os fundamentos legais de uma operação. Abrange áreas que englobam: contratos, estrutura legal, litígios, empréstimos, financiamentos, dentre outros.

Análise de riscos e seguros
Do ponto de vista de riscos materiais, um consultor de seguros deverá ter bem definido qual tipo de transação está sendo feita, tendo em vista que as exposições serão arguidas com base em sua natureza.

Como a Due Diligence auxilia na tomada de decisões?
A Due Diligence aponta os riscos existentes em uma operação permitindo aos compradores negociar o valor da transação com base nas respostas concedidas sobre os números apresentados (confirmando se representam a realidade) e sobre eventuais passivos existentes.

Além disso, ela pode auxiliar a empresa a entender melhor alguns aspectos relevantes sobre o seu posicionamento de mercado, sua concorrência, principais riscos inerentes ao negócio, bem como ajudar nas projeções e planejamentos dos próximos passos da empresa.

Por quais motivos é necessário realizar a Due Diligence?
Entre os diversos motivos dentre os quais é necessário realizar a Due Diligence, podemos destacar:

  • negociações relacionadas à compra e venda de produtos e serviços;
  • análises de viabilidade de desenvolvimento de novos produtos e serviços;
  • negociações envolvendo aquisições, vendas, fusões, incorporações e outras formas de parcerias de comerciais.
  • Quais são os benefícios para sua empresa?
    Esse tipo de processo traz diversas vantagens, as quais serão transformadas em ações futuras. Conheça as principais:
  • visão ampla e real do negócio;
  • dados necessários para mensurar a possibilidade do investimento;
  • descoberta de fraudes cometidas pelos fornecedores, funcionários ou clientes;
  • exposição de fraquezas operacionais;
  • avaliação de riscos e oportunidades;
  • averiguação para saber se a transação comercial está de acordo com os parâmetros de investimentos ou de aquisição.

Também ajuda na compreensão de alguns pontos relevantes sobre a empresa, como:

  • posicionamento no mercado;
  • perspectivas para o futuro;
  • principais concorrentes e base de concorrência;
  • situação contábil e fiscal;
  • práticas que precisam ser formuladas para evitar problemas financeiros;
  • principais riscos relativos ao negócio, entre outros.

Com fazer uma boa Due Diligence?
Para fazer uma Due Diligence eficaz, é necessário seguir algumas regras importantes, como:

  • foco em informações realmente fundamentais, impedindo a análise de documentos que possam trazer dados que não influenciem no resultado final do estudo;
  • cordialidade com os colaboradores responsáveis pela entrega de documentos e fornecimento de dados;
  • determinar os itens que pretende pesquisar;
  • planejar e solicitar informações previamente;
  • concentrar em poucos colaboradores a entrega de dados para o profissional que vai realizar a atividade;
  • requisitar pequenas reuniões em conjunto para esclarecer dúvidas específicas, dentre outras ações.

É muito importante contar com os profissionais adequados para fazer esse tipo de estudo e obter resultados eficientes, os quais vão trazer retornos positivos para a sua empresa.

Existem empresas especializadas em realizar esse trabalho, contudo, antes de escolher alguma delas, é muito importante pesquisar o histórico de entrega, conversar e buscar indicações de pessoas que já foram atendidas pela instituição para se assegurar de que está contratando pessoas sérias e que vão fazer uma análise correta.

Além disso, é primordial entender que o levantamento nos moldes de uma Due Diligence é indicada para qualquer tipo de negócio, independentemente do seu porte e segmento. Obviamente que de acordo com o caso de cada empresa, o escopo do trabalho é previamente definido para atender a demanda específica. Afinal, sem esse procedimento de avaliação do estado atual da empresa, os riscos futuros que o investidor sofrerá podem ser gigantescos.

Conseguiu entender por que é importante implementar a Due Diligence na sua instituição? Fazendo isso, fica mais simples eliminar ou reduzir os problemas envolvidos em uma possível aquisição ou expansão, além de ter em mãos um levantamento preciso sobre ameaça/oportunidade com a finalidade de desenvolver um crescimento sustentável da organização.

Que tal conhecer melhor a realidade do seu negócio?

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: Auditoria Avaliação de Empresas Contabilidade Due Diligence