Não comece um processo estratégico sem planejar

Como garantir que a estratégia vá além do que foi planejado no papel

iStockphoto

Quando as melhores equipes reconhecem a necessidade de rever sua estratégia, precisam ser críticos e cientes sobre quais são as decisões-chave na formulação desse processo, de modo a garantir que essa estratégia leve a mudanças que possam proporcionar melhorias no desempenho.

Os prós e contras definidos durante as reuniões de estratégia das equipes de liderança têm implicações importantes para a criação de uma mudança estratégica e sem permitir essa mudança, essas estratégias ficam apenas como anotações no papel, sem impacto algum. Felizmente existe uma ferramenta de diagnóstico que permite que as equipes façam escolhas conscientes com base nesses prós e contras.

A estratégia desenvolve o processo

A maior parte das empresas tem uma estratégia com propósitos e passam por um processo para ter isso definido. A mudança estratégica necessária para gerar aumento de desempenho – tanto financeiro quanto estrutural, exige que os gestores se dediquem a quatro questões: escolhas estratégicas documentadas, compromisso com essas escolhas, planos de ações coordenados e melhores capacidades organizacionais capazes para garantir a implementação dos planos

A criação de um processo estratégico envolve reuniões para construir as escolhas documentadas em fatos; compromisso, incluindo planos de ação coordenados e um entendimento de quais são as capacitações necessárias para uma série de escolhas do processo: (1) o grau de envolvimento das pessoas chave, (2) o número de estratégias e interações através dos workshops, (3) o escopo de questões a serem exploradas, que tem grande impacto para montar um cronograma de mudança estratégica (Figura abaixo).

Apesar de existir uma compreensão de que os indicadores para a mudança estratégica são requisitos necessários para obter melhorias de desempenho, um passo frequentemente esquecido no desenvolvimento da estratégia é justamente a fase de criação da estratégia. Nós entrevistamos alguns gerentes responsáveis por grandes equipes que disseram que o design dessa estratégia envolve decisões que nem sempre são explícitas, mas que têm enormes consequências na aplicação das estratégias. As decisões chave listadas abaixo são fundamentais para a concepção dessas etapas:

1. Envolvimento – longo prazo ou focado? Qual é o número total de pessoas que participarão do workshop? Em que nível estão essas pessoas na organização?
2. Questões – divergentes ou convergentes? O quanto o escopo das questões iniciais do processo estão claras? O que está aberto a discussão?
3. Interações – limitadas ou ilimitadas? Quantas interações um workshop deve ter? E por quanto tempo?

Considerando que não existe uma estratégia que seja única para todos, é importante ter em mente que as tensões geradas no processo de escolha de um modelo a seguir, terão impacto na entrega não apenas do cronograma da estratégia como também um compromisso na mudança de postura, além de outras mudanças que serão necessárias. É importante que essas implementações sejam feitas corretamente para que atinjam um maior desempenho.

Implicações gerenciais

Nossas entrevistas reuniram algumas lições chave para que os principais membros da equipe envolvidos no desenvolvimento de uma estratégia organizacional:

• Avaliar as condições iniciais da organização: a clareza da estratégia e a prontidão da empresa para que essas mudanças ocorram são dois importantes itens para que os gestores se concentrem e mergulhem na fase de concepção de desenvolvimento estratégico.

• Fazer escolhas claras e conscientes dos prós e contras: Precisam ser discutidos desde o começo com transparência sobre as consequências de cada decisão.

• Clareza quanto ao nível de detalhes do cronograma de mudança estratégica que você gostaria de criar como parte de todo o processo.

Os workshops para definir uma estratégia devem ter um cronograma concreto, que seja executável. Se não é possível definir o caminho para cumprir essa estratégia, se não há resultados claros para a empresa, então não existe uma estratégia que seja atingível e que traga os resultados esperados.

Por isso a importância dos planos de ação alinhados, detalhados e que tragam as múltiplas perspectivas de profissionais da empresa, de diferentes unidades, cargos e regiões. Existe um valor ao reunir as pessoas e fazer com que utilize o tempo para pensar e se conectar uns aos outros, para consolidar dados de qualidade e importantes para as decisões. No entanto, isso significa que definir um processo de estratégia requer tempo, mas é necessário esse tempo.

Além da concepção da estratégia, os líderes devem também considerar a importância da gerência e da implementação desta estratégia. As empresas só podem seguir um cronograma a partir do momento que os profissionais estiverem engajados com esta causa, ou seja, é preciso que todos trabalhem juntos para atingir os objetivos desejados.

Alguns dos entrevistados, de equipes importantes, concordam que a implementação das mudanças estratégicas raramente é algo direto e, mesmo com os anos de experiência, muitas vezes ocorre de o envolvimento e a comunicação dos envolvidos ser subestimado repentinamente.

Ao tomar decisões como a de seguir um cronograma para definir uma estratégia, deve-se pensar nas consequências graves para a empresa na questão de que nem sempre as decisões serão assertivas, que nem sempre será previsível e que podem gerar ideias contrárias às decisões tomadas anteriormente ao processo de definição desta estratégia.

Avalie este artigo:
(2)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração