Não transforme um sonho em pesadelo

É muito importante descobrir a sua vocação para que você possa estar no lugar certo fazendo as coisas certas para o crescimento do negócio

iStock

Recente pesquisa realizada pela FIRJAN (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), identificou que 2 em cada 3 jovens brasileiros pensam em abrir seu próprio negócio nos próximos anos. Ainda segundo a pesquisa, as 5 principais motivações (em ordem da mais importante para a menos importante) para querer ter o seu próprio negócio são:

1. Realização de um sonho;
2. Qualidade de vida;
3. Altos ganhos financeiros;
4. Aposta em um mercado promissor;
5. Liberdade de não ter chefe.

Se refletirmos um pouco sobre esses 5 fatores, todos eles estão ligados a um sonho, concorda? E o desafio do empreendedor é exatamente esse, transformar seu sonho em realidade ou pelo menos o mais próximo dele possível. A questão é que muitas vezes esse sonho se torna um pesadelo; a qualidade de vida cai com o stress e excesso de trabalho; ao invés de altos ganhos financeiros, dívidas; o mercado promissor foi super avaliado e decepcionou; e não ter chefe te deixa mais preso do que você poderia imaginar. É muito comum ver pessoas com ideias e brilho no olhar para empreender que depois de abrirem o negócio, perdem o brilho nos olhos com o tempo, pois o sonho virou pesadelo. Empreender não é fácil, concorda? Depende de um monte de fatores, inclusive alguns que não dependem diretamente do Empreendedor.

E aí, qual o caminho então? Para mim, o caminho para um País mais forte e menos dependente do Estado é o Empreendedorismo e por isso mesmo temos que fortalecer o movimento empreendedor em nosso País e ajudar nossos empreendedores a fortalecerem, principalmente a execução de suas ideias para que se tornem uma realidade que vai mudar a vida não só dele, como de toda uma comunidade que passa por funcionários, fornecedores, vizinhos, moradores da cidade, etc. Um ponto a ser considerado é que se não houver cuidado na validação da ideia e depois na execução, ao invés de altos ganhos, liberdade e vida melhor, haverá frustração. Quando encontro empreendedores que não cuidaram de aspectos importantes para um negócio, os vejo estressados, sem dormir e com uma vida que nem de longe se parece com seus sonhos quando ainda pensava em ter seu próprio negócio. Ao invés de se tornar um empresário, o empreendedor se torna um "empresidiário", ou seja um empreendedor que está preso a um negócio que não se parece em nada com o que ele imaginava. E daí vem o desejo de fechar a empresa e de não empreender mais. Para fortalecer o movimento Empreendedor é preciso apoiar ainda mais pessoas que querem abrir seus negócios. O fracasso não deveria, mas pode até fazer parte do processo de amadurecimento do futuro empresário de sucesso. Mas, só aprendemos com os erros se refletirmos sobre eles. É a reflexão e não o fracasso em si que nos faz amadurecer para tentar de novo e aumentar nossas chances de sucesso. Não acredito em fórmulas e receitas para o sucesso, mas acredito em competência técnica e emocional para diminuir os riscos do sonho virar pesadelo e aumentar as chances do negócio ter mais sucesso.

Mas o que pode ser feito para diminuir riscos?

Qual a sua vocação?

É muito importante descobrir a sua vocação para que você possa estar no lugar certo fazendo as coisas certas para o crescimento do negócio. Existem três papeis fundamentais em uma empresa: Empreendedor, Empresário e Empregado. O empreendedor é representado pela criatividade, inovação, visão de futuro e inspiração. O Empresário é o gestor, administrador do negócio; é o cara que toca a operação do dia a dia da empresa: Controla, acompanha, corrige e procura garantir a melhor execução da visão do empreendedor. Por fim, tem o Empregado que faz a operação em si, coloca a mão na massa, realiza tarefas, executa, faz acontecer. Tem pessoas que conseguem ter um pouco de cada um desses três papeis, mas outros não. Os que não, por exemplo, podem buscar por um sócio que os complemente. Se você for Empreendedor, mas não for empresário, é preciso ter alguém para fazer a gestão da empresa e garantir a execução e saúde financeira do negócio. Pode ser um sócio ou um executivo. O papel empregado todos tem que ter um pouco, mas cuidado para não exagerar e centralizar tarefas que outras pessoas na empresa podem fazer e ficar preso nelas e sem tempo para liberar o seu lado Empreendedor ou ainda para gerir sua empresa. Cuidar para não virar um "empresidiário" preso na sua centralização e microgerenciamento.

Qual a sua causa?

Qual a razão do seu negócio existir? Negócios com CAUSAS fortes e impactantes conseguem atrair pessoas que queiram trabalhar neles de verdade e não simplesmente porque estão procurando um emprego. Acredite, isso faz uma grande diferença no engajamento e produtividade. CAUSA é a razão pela qual se acorda, feliz, para ir trabalhar na empresa. A vocação te coloca no lugar certo, a visão fornece a direção e a CAUSA a razão, o motivo.

Qual o posicionamento do seu negócio?

Quem é o Cliente que você quer ter? Que produtos e serviços você precisa oferecer para ele? E com que diferenciais? Três perguntinha bem simples e que podem ajudar um negócio a se conectar mais profundamente com seus Clientes. Posicionamento define quem você é, para quem e que diferenciais você vai criar para conquistá-los.

Gosto muito de dizer que movimento gera movimento. Negócio, ou melhor "neg-ócio", ou seja, negação ao ócio (aprendi isso no seminário empretec). E para sua empresa crescer, você como dono, empreendedor, empresário tem que continuar crescendo também, afinal para o negócio crescer, o empreendedor tem que crescer primeiro. Dessa forma você aumenta as chances do seu sonho se transformar numa linda realidade.

Sucesso e forte abraço!

Avalie este artigo:
(2)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração