O que é Gestão, Gerenciamento e Administração?

Esses 3 conceitos... constituem a definição elementar do conhecimento cujo objeto é o trabalho nas Organizações

Introdução

      Fala-se em Administração de Negócios, Gestão Empresarial e Gerenciamento de Projetos. Por ventura, manter-se-ia a interpretação correta caso fossem permutados esses 3 substantivos? Na análise gramatical sim, entretanto, para as Organizações a definição adequada é fundamental. Não obstante uma diferenciação seja evidente, frequentemente, esses conceitos são utilizados como sinônimos e, muitas vezes, estudantes e profissionais não os definem com certa clareza.

      A semelhança dos significados é conseqüência da realidade, a qual consiste na compreensão que a parte compõe o todo e que a essência do todo é a natureza da parte. Isto é, os conceitos se desenvolvem numa relação intrínseca. Todavia, uma elucidação ideal implica categorização dos termos, portanto, cada um desses conceitos obtém uma aplicação especial, com suas causas e conseqüências peculiares na ação empresarial.   

      Administração é a Excelência do Poder, isto é, o poder de conquistar objetivos de maneira efetiva, eficaz e eficiente. Administrar é o fator em evidência na Gestão e no Gerenciamento; em outras palavras, o Gestor e o Gerente desenvolvem suas atividades por meio da Administração. Porém, o Administrador é um Gestor... se desempenha suas atividades em âmbito Estratégico; ou, um Gerente, caso sua função seja em nível operacional. Por consequência, a Gestão está relacionada à Estratégia e o Gerenciamento à Operação. A administração une o gestor e o gerente na elaboração das táticas que compõe o Plano de Ação.

 
Desenvolvimento

      Por uma perspectiva mais reativa, administração são as respostas para questões que surgem tanto no cenário interno das organizações, quanto no externo. Cada paradigma possui seus princípios que induzem à solução, portanto, administrar implica análise e decisão. No cenário externo, são 6 fatores que devem ser analisados pelo gestor – 5 indiretos e 1 direto. Os cinco fatores externos indiretos são: a política, economia, sociedade, tecnologia e o meio ambiente. O fator externo de influência direta são os concorrentes. A análise consiste em obtenção de dados e processamentos de informações, justamente para que se obtenha a melhor decisão.

       O cenário interno da organização é onde impera a atividade de gerenciamento. A análise, predominantemente dedutiva desse (cenário interno), embora também implique obtenção de dados e processamento de informações, se dá de maneira menos difusa, isto é, segue um fluxo previamente planejado, a fim de que o procedimento de decisão das soluções seja sistemático, metódico e holístico. Os fatores internos são: Produtos, Capital, Colaboradores, Processos, Estrutura e Clientes.

       A criação das soluções que respondem às questões cujo tratamento é dado pela administração, a priori, e pela gestão e gerenciamento, a posteriori, é resultado da elaboração de 9 perguntas auto-reflexivas. É nesse trabalho de construção dos argumentos que a união da gestão e do gerenciamento se manifesta sublime no ato de administrar. A Primeira pergunta é: Onde e Por Que estamos? (Diagnóstico). Por conseguinte: Aonde e Pra que vamos? (Diretriz). Em segundo lugar: O Que Ser (Visão) – O Que Ter (Valores) – O Que Fazer (Missão)? Em terceiro Lugar: Como? (Algoritmo), Quem? (Equipe), Quando? (Cronograma) e Quanto? (Orçamento).


Conclusão

    Portanto, a Administração é um todo do qual participam a Gestão e o Gerenciamento, ou seja, a Gestão e o Gerenciamento fazem parte da Administração. Quanto às perguntas estratégicas (Diagnóstico e Diretriz), cabem aos gestores conduzir as respostas. Quanto às arguições operacionais (Algoritmo, Equipe, Cronograma e Orçamento), ficam na responsabilidade (habilidade de resposta) dos Gerentes. A Visão, Valores e Missão representam a sinergia dos Administradores (União dos Gestores e Gerentes). Logo, na gestão predomina uma administração com enfoque externo e, no gerenciamento, o foco da excelência é o cenário interno da organização. Trata-se de uma consequência da aplicação do princípio da especialização na própria ciência, técnica e arte de administrar.

      Pois bem, de acordo com a oportunidade e conveniência de cada conceito, o significado correto na utilização dos termos Administração, Gestão e Gerenciamento são os seguintes: Administração de Empresas, de Igrejas, de Escolas, de Organizações no Geral; Gestão Estratégica, Gestão Política, Gestão Econômica, Gestão Social, Gestão Tecnológica, Gestão Ambiental; Gerenciamento Operacional, Gerenciamento Logístico, Gerenciamento Financeiro, Gerenciamento de Marketing, Gerenciamento de Pessoas, Gerenciamento de Sistemas de Informação e Tecnologia, Gerenciamento de Jurisprudência, Gerenciamento de Projetos, Gestão Empresarial (quando se trata de administração de várias empresas) e Administração de Negócios (negócio é o fundamento que dá origem a empresa. É possível ter um negócio sem ter uma empresa, contudo, toda empresa tem um negócio).

      Administração é (uma ciência, técnica e arte de) trabalhar para a realização de objetivos: estratégicos efetivos, táticos eficazes e operacionais eficientes; por meio de planos, pessoas, estruturas, insumos, tecnologia e capital; a curto, médio e longo prazos. É constituída pelos Sistemas Logístico, Comercial, Financeiro, Tecnológico, Jurisprudencial e Social. Sua ação se desenvolve pelo Planejamento, Organização, Direção, Execução e Reavaliação. É a excelência do P.o.d.e.r

    Gestão é uma perspectiva especializada da Administração, cuja visão está predominantemente em 3° pessoa, ou seja, um olhar além da matéria e o espaço em questão. Uma visão de cima, onde é possível obter uma imagem do todo com suas relações externas, contudo, sem muitos detalhes. A intenção é efetuar uma análise indutiva e definição de uma decisão geral.

        Gerenciamento é uma perspectiva de 2° Pessoa, isto é, a imagem foca uma parte do todo, algum fator específico, porém, ainda sim não é a visão de 1° pessoa, pois esta, pertence ao indivíduo que executa a ação. O Gerente administra, portanto, é uma segunda visão, que não foca apenas um ponto, observa toda uma linha. A atenção é focada no Departamento. A intenção é efetuar análises dedutivas e decisões setoriais.

    A título de exemplo, é possível ilustrar uma composição da Alta Diretoria, composta por Administradores, Gestores e Gerentes. A Administração é constituída pelo Presidente, Administrador Geral e Acionista Majoritário. A Gestão é composta por 6 Gestores: Assuntos Políticos, Econômicos, Sociais, Tecnológicos, Ambientais e Mercadológicos. A Gerência, vai depender do tipo de estrutura organizacional adotada pela empresa, com principal influência do modelo de departamentalização implantado, podendo ser por Função, então falar-se-ia em Gerente de Logística, Gerente de Marketing, Gerente de Finanças, Gerente de Info&Tecno (I&T), Gerente de Pessoas, Gerente de Jurisprudência; ou, por Fatores, Gerente de Produtos, Gerente de Tesouraria, Gerente de Recursos Humanos, Gerente de Processos, Gerente Administrativo e Gerente de Relacionamento.

Avalie este artigo:
(4)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Administração Administrador Gerenciamento Gerente Gestão Gestor

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração