Mais comentada

Visão sistêmica é importante para todos

Neste artigo, desenvolvemos nossas percepções do conceito, significado e importância da competência visão sistêmica para uma prática de gestão eficaz

Sérgio Lopes,

Fala-se muito em visão sistêmica, principalmente em processos de seleção de profissionais de nível superior e de executivos, quando, então, ela se torna um dos requisitos obrigatórios, também chamados de competências, a serem atendidos para que o candidato avance na sua caminhada em busca da conquista daquela vaga para a qual está concorrendo.

Mas será que ter visão sistêmica de fato é uma competência? E se for uma competência, seria nata ou é mais uma daquelas que podem ser desenvolvidas?

Vamos começar formulando algumas perguntas: O que é visão sistêmica? Por que é importante ter visão sistêmica? A visão sistêmica pode ser desenvolvida? Se pode, quais os requisitos a serem atendidos para tanto e quando ter certeza de que você já possui visão sistêmica?

Podemos definir visão sistêmica como sendo a capacidade que um profissional tem de "ver" a empresa como um todo e entender como funcionam e se integram seus processos de obtenção, transformação e entrega (delivery) de seus serviços, produtos e informações, ao mercado e, particularmente, aos seus clientes. Entender como se integram os processos internos e como eles se relacionam com o ambiente externo, como circulam as informações veiculadas através destes processos internos, desde seus pontos de origem, nos quais são geradas, até seus destinos, nos quais são utilizadas é uma característica de quem possui a competência visão sistêmica.

Possuir visão sistêmica é importante para todos os profissionais de uma organização; pois, assim eles podem se posicionar na estrutura organizacional e compreenderem seu papel como membros de uma equipe na execução de suas tarefas inerentes aos seus cargos dentro das áreas organizacionais em que atuam.

A visão sistêmica é em grande parte responsável pelo sucesso do modelo "cliente x fornecedor interno", um dos pilares da filosofia da Qualidade Total, haja vista que os relacionamentos interpessoais dentro das organizações são pautados pela interface dos processos nos quais as pessoas atuam. Então, entender bem qual é seu real papel na estrutura e no processo em que atua é fundamental para que as pessoas também percebam quais são os papéis dos seus colegas de trabalho e com este entendimento bem claro e bem acentuado, contribuam voluntária e sistematicamente para o sucesso de todos na organização.

Particularmente aos gestores, possuir visão sistêmica, no nosso entender, é vital. É requisito obrigatório para o exercício das funções dos cargos que ocupam, seja nas relações internas com seus superiores, pares ou subordinados, seja nas relações externas, quando representam a organização em seus diversos relacionamentos profissionais; pois, escolhas de alternativas, definições de ações e tomadas de decisão exigem de quem se utiliza destes instrumentos de administração, capacidade de analisar, ponderar e avaliar os reflexos de suas ordens em todo o contexto organizacional, enxergando a organização como um todo e como esta irá reagir frente às suas decisões.

Um gestor que possui a competência Visão Sistêmica e a coloca permanentemente a serviço da organização exerce um papel preponderante na gestão dos processos que envolvem sua área de responsabilidade; pois, em suas decisões estará privilegiando não só a eficiência do processo, que significa "fazer certo a coisa", mas, acima de tudo, privilegiará a eficácia, que em última instância significa "fazer a coisa certa" objetivando agregar valor aos resultados da organização.

Respeitosamente parafraseando o presidente americano John F. Kennedy (1917- 1963), e guardando as devidas proporções podemos afirmar que um gestor que possui a competência visão sistêmica não pergunta o que a sua organização pode fazer por ele. Pergunta o que ele pode fazer por sua organização.

Entendemos, ainda, que esta competência pode e deve ser desenvolvida gradativamente pelas pessoas, em diferentes momentos e níveis organizacionais, mormente por aquelas que aspiram cargos de gestores. Planejar as ações para o desenvolvimento desta competência, organizar e coordenar o processo de ensino e aprendizagem e incentivar as pessoas para que pratiquem a nova competência adquirida é um desafio que deve fazer parte do arsenal de projetos estratégicos que a área de gestão de pessoas se propõe a executar na organização.

Recomendamos, neste sentido, que a área de gestão de pessoas elabore um programa de desenvolvimento e capacitação de gestores na competência visão sistêmica que contemple em linhas gerais a abordagem de temas relacionados ao negócio da organização e seu posicionamento no mercado; à sua visão, missão, valores e princípios que norteiam suas ações; aos objetivos e metas estratégicas da organização e quais as estratégias adotadas para atingi-los; a estrutura organizacional e as atribuições de cada área nela representada (o papel de cada um); os seus processos internos, suas interdependências, necessidades de informações e resultados esperados de cada processo e; por fim, o modelo de Indicadores que a Organização adota para medir e avaliar seu desempenho.

São Paulo, 14 de janeiro de 2012

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: eficácia gerencial executivo gerencia Gestão processos visão sistemica