ESTRATÉGIAS NO VAREJO INFANTIL

Sérgio Dal Sasso


O público infantil hoje é considerado um público consumidor. Como o varejo pode acompanhar esta transição?

Vejamos o histórico passado e a revolução dos costumes e hábitos. A própria emancipação feminina e sua participação atuante no mercado de trabalho, fizeram com que aumentasse a importância decisória do publico infantil em todos os itens de consumo. O decisor potencial de compras e tendências, até pela ausência de tempo dos pais, está cada vez mais para quem indiretamente participa dos veículos naturais da mídia moderna. Compete ao varejo entender e conseguir penetrar dentro do mundo aonde os hábitos infantis costumam pesquisar, acessar e orientar suas opções.


- O poder de decisão, no caso de vestuário e calçados, já é das crianças. De que forma é possível encantar este pequeno cliente?

A imagem ainda é um forte apelo ao consumo, é pelo visual e forma criativa da sua exposição que conseguimos chamar a atenção, de um publico aonde a diversidade de opções ofusca o direcionamento entre esse ou aquele produto. A idéia da multi-utilidade de um produto é fantástica, ou seja , tentar ampliar seu uso ou mesmo sua necessidade. Lembramos a extensão adquirida pelas ações de empresas com o Mcdonald, adicionando prazer e desejo com suas seleções sempre atualizadas e renovadas na política de vendas dos alimentos versão infantil e também no segmento das tradicionais havaianas e o trabalho de imagem que agregou seu e extensão de utilidade, unindo desejo renovável e colecionável ao mercado infantil.
A juventude compra sonhos e desejos, compete ao mercado impulsionar suas atitudes para encaminhar a percepção na direção dos seus interesses.


- Que estratégias de marketing funcionam com este público?

Não existe nada definido, no fundo o que faz atingir o resultado por um marketing inteligente é a capacidade de interpretação pela vivencia próxima ao mercado que preiteamos. Nesse caso a pesquisa e o entendimento das tendências futuras traduzem o que podemos criar como prazer em complementação aos estilos e gostos. Não consigo imaginar nada nesse mercado, sem a minha presença dentro dele ou seja se você não tem filhos, se matricule de alguma forma no mundo deles, perceba seus hábitos, assista seus filmes, conheça sua linguagem e assim comece a pensar no que gostariam amanhã.

- Como atender este público? Dar atenção aos pais ou às crianças é a melhor opção?

Em primeiro trate-os como gostariam, lembrando que nossas crianças são os adolescentes do passado, acessam a internet, não mais se interessam por branca de neve e os sete anões, e assim devem ter um espaço que as valorizem integrando-as aos meios. Os Pais na verdade sempre estarão pelas definições finais do como definir as compras, mas cada vez mais distantes do onde e o que compra-las.

- Em relação ao ponto-de-venda, como deve ser o lay out adequado?

Deve integrar vida, incluindo características que façam uma extensão dos seus mundos. Espaços que completem o produto adicionando processos de fixação e lembranças para garantir a preferência. A capacitação humana nesse item será fundamental pois estabelecerá vínculos de linguagem em todas as fases do processo e continuidade do envolvimento.

Autor : Sérgio Dal Sasso -  Consultor, Palestrante, Escritor e Articulista

Café com ADM

Café com ADM

#79
Uma conversa com Washington Olivetto
Um dos maiores nomes da publicidade no Brasil, Washington Olivetto bate um papo com Leandro Vieira sobre os novos rumos da publicidade, como as marcas devem se relacionar com os seus clientes e o impacto da internet nessa relação.
Café com ADM #79 Uma conversa com Washington Olivetto
00:00 00:00
Confira outros episódios


Administradores
Administradores

O login deve conter apenas "letras" (minúsculas), "números" e "_". Ele será usado para lhe identificar no seu perfil.

Entre com a sua conta

Administradores
Administradores

Torne-se um Administrador
Premium por apenas
R$ 29,90 mensais

Ou cadastre-se com: