Mais comentada

Mulheres da chamada classe “AAA” gastam em média R$ 3,5 mil por mês em roupas

A pesquisa ouviu compradoras sobre suas percepções acerca de 10 marcas de luxo

Redação, www.administradores.com,

Uma pesquisa divulgada pela La Clé – rede fechada do Instituto QualiBest criada exclusivamente para realizar pesquisas junto a mulheres da chamada classe “AAA” –divulgou os resultados de um estudo que avaliou 10 marcas de moda feminina, baseadas na pesquisa Top of Mind Luxo, feita em setembro. Ao todo, foram entrevistadas 270 mulheres cadastradas na La Clé, com idade média de 42 anos, residentes na cidade de São Paulo, que gastam R$ 3.500 mensais, em média, com itens de vestuário. 

Entre as entrevistadas, 92% possuem cartões de crédito premium e 68% costumam frequentar os mais tradicionais clubes da capital paulista. Questionadas sobre o estilo de se vestirem, a maioria diz ter três opções, sendo que os mais citados foram “básico”, “casual” e “chique/sofisticado”.

O estudo revelou que a Le Lis Blanc foi a marca com maior índice de preferência, se destacando por ter o maior número de atributos positivos e relevantes para a categoria, incluindo quesitos como “excelente mix de produtos”, “ótima relação custo-beneficio” e “bom atendimento”.

Citada como marca com coleções de mais “personalidade”, a Cris Barros foi o destaque, também apontada por representar “sofisticação” e “status”, assim como a NK. Já a Bo.Bô se destacou por ser “descolada”, mas alcançou o maior índice de visitas sem compras – 38% já foram à loja, mas nunca adquiriram itens da marca. No quesito jovialidade, as marcas mais lembradas foram a BobStore e a Spezzato.

A Claudeteedeca teve como destaque o atendimento, além de ter sido a mais citada por promover “eventos que agradam” ao perfil das consumidoras cadastradas na La Clé. A Mixed, assim como a Claudeteedeca, também se destacou por ter “tecidos de ótima qualidade”. “Arrojada” e “diferente” foram os atributos mais conferidos à Animale.

Questionadas sobre melhor catálogo e revista, a maioria das entrevistadas apontou a Daslu, também considerada como uma “marca de bom gosto”. Quanto a sentir falta de algo no mercado da moda nacional a maioria citou a “necessidade de produtos mais baratos, com tecidos de maior qualidade e melhor acabamento”. 





Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração